Labirintite na menopausa – Tem relação?

Compartilhe
Labirintite-na-menopausa

Veja o que a labirintite na menopausa pode impactar na vida das mulheres. Você já teve a sensação de sentir o mundo inteiro girar? Ou que você está flutuando pela rua? Sim, ninguém merece! Como sair e não correr o risco de sofrer uma queda? É um verdadeiro dilema, é uma situação horrível, pois saiba que esses são só alguns dos sintomas da labirintite na menopausa.

“labirintite é um termo impróprio, mas comumente usado, para designar uma afecção que pode comprometer tanto o equilíbrio quanto a audição, porque afeta o labirinto, estrutura da orelha interna constituída pela cóclea (responsável pela audição) e pelo vestíbulo (responsável pelo equilíbrio).”

-Dráuzio Varella.

A labirintite normalmente começa afetar a população depois dos 40 a 50 anos, período que em particular as mulheres estão passando pelos sintomas do climatério, bem como, algumas estão na fase da pós-menopausa. Após a instabilidade hormonal que o corpo feminino sofre, dificilmente o corpo sai ileso desse desequilíbrio. O fato é que, essas alterações podem ser externar e visíveis aos olhos da mulher, ou internas e afetarem a saúde e o bem-estar.

Os sintomas da labirintite

Os sintomas desencadeados pela labirintite, não são específicos da moléstia, portanto, no momento de realizar o diagnóstico o especialista deve investigar e analisar criteriosamente todas as informações e elementos do quadro clínico. Os sinais mais recorrentes são:

As causas

A labirintite é sempre resultante de uma disfunção, infecção e/ou inflamação que altera a dinâmica interna do ouvido e impacta no equilíbrio das funções. As causas que podem propagar a moléstia são:

O rebaixamento hormonal

Com a queda do estrogênio, os vasos sanguíneos ficam a mercê, pois perdem uma proteção natural, bem como, deixam de se beneficiar da presença do hormônio que possui uma função vasodilatadora, o que acarreta no envelhecimento e enrijecimento das artérias e veias.

reposicao-hormonal

É exatamente o que já foi pontuado, o corpo da mulher passa por uma transformação externa e interna e, quando não há atitudes para que se possa garantir ao organismo condições para seguir saudável e em equilíbrio, algumas doenças começam surgir e impactar essas mulheres que estão despreparadas.

Em relação aos vasos sanguíneos, os impactos gerados nessas estruturas que são as responsáveis pelo transporte do sangue, serão os agentes causadores de doenças cardiovasculares, em particular a pressão alta.

Tratamento

O tratamento para a labirintite perpassa por três frentes distintas, são elas, a tratativa da causa, a mitigação dos sintomas e a reabilitação vestibular. A mulher deverá ter o cuidado e garantir que nenhuma frente seja negligenciada, pois ao contrário o problema poderá retornar.

“A investigação das causas é fundamental. O profissional especializado pode pedir exames para checar a audição e o equilíbrio. Podem ser necessários exames complementares (sangue, tomografia ou ressonância magnética, potenciais auditivos, otoemissões acústicas, processamento auditivo etc.).”

-Instituto Ganz Sanchez.

A tratativa da causa

Tratar da causa que colaborou com o aparecimento da doença é de extrema importância, pois evita que a moléstia volte a incomodar. O tratamento será de acordo com a doença que desencadeou a labirintite, portanto, é possível que mais de uma especialidade acompanhe a evolução do seu quadro.

Mitigação dos sintomas

Os especialistas utilizam no alívio das tonturas, labirinto-supressores, pois eles colaboram na eliminação da moléstia, a partir de uma ação no sistema nervoso. Os outros sinais também são tratados com fármacos específicos. O médico pode receitar também, vasodilatadores, anticonvulsionantes e/ou antidepressivos.

Reabilitação vestibular

A reabilitação vestibular consiste em exercícios para ajudar as pessoas a restabelecerem o equilíbrio, assim como, reabilitar o labirinto que sofreu com o desequilíbrio. Além dos exercícios, alguns remédios podem ser utilizados para colaborar com o processo de readequação da pessoa.

Exercício para reabilitação

Esse exercício é bem simples, e você pode realizá-lo na sua casa tranquilamente. Basta deitar em uma superfície plana de barriga cima, e realizar a movimentação ocular apresentada na figura abaixo. Repita cinco vezes diariamente.

labirintite-na-menopausa
Exercícios oculares de reabilitação.

Chá de combate à labirintite

A receita do chá para a labirintite é uma fantástica opção para você tratar e aliviar o corpo. Veja a receita:

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de erva doce;
  • 1 colher de sopa de alecrim;
  • 1 colher de sopa de cravos da índia;
  • 200 ml de água.

Modo de preparo

Ferva a água em uma panela, em seguida acrescente os outros ingredientes até perceber que a fusão obteve uma coloração densa e uniforme. Tome ao longo do dia.

A labirintite na menopausa é o reflexo de como você cuida da sua saúde. Portanto, não deixe de fazer atividades físicas, beber muito água e caso seja necessário recorra a uma suplementação de estrogênio. Cuide-se!

Gostou? Então deixe o seu comentário. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

2 COMENTÁRIOS

    • Olá Rafael! Muito obrigado por nos acompanhar! Fazemos com muito carinho e seriedade esse blog. Abraços em toda família

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui