Câncer de esôfago e a obesidade

Compartilhe
cancer-de-esofago
Veja quais são os fatores de risco para o desencadeamento do câncer de esôfago.

O câncer de esôfago é o tipo de mazela que pode ser prevenida quando se tem hábitos saudáveis, muitos dos fatores de risco e causas estão intrínsecos a maus comportamentos para com a saúde do corpo. A doença quase sempre é silenciosa, os sintomas começam a aparecer quando o quadro cancerígeno já está bem avançado.

A prevenção é a melhor arma para combater esse tipo de câncer, portanto, abdicar dos hábitos nocivos ao organismo é fundamental, caso você queria diminuir as chances de ter um câncer de esôfago. Mas, qual é a função do esôfago? Ele é responsável pela condução do alimento que foi ingerido até o nosso estômago.

“O esôfago é um órgão tubular oco, com aproximadamente 25 cm de comprimento, que faz parte do sistema digestório. Ele começa no pescoço como continuação da faringe, na altura da sexta vértebra cervical, e desce atrás do esterno e na frente da coluna vertebral, até alcançar o estômago depois de atravessar o hiato esofágico do diafragma.”

-Dráuzio Varella.   

Tipos de câncer de esôfago

Existem dois tipos mais recorrentes, o carcinoma das células escamosas, e o adenocarcinoma. Ambos compartilham o consumo de tabaco, como um agente influenciador no aparecimento da doença, todavia, esse é o único ponto de correlação.

reposicao-hormonal

Carcinoma das células escamosas

Esse tipo de câncer no esôfago é o mais popular no momento do diagnóstico, ele representa 90% dos casos, ou seja, a maioria das pessoas que recebem os resultados dos exames são acometidas por essa linhagem cancerígena. A mutação celular ocorre nas células escamosas que são responsáveis pelo revestimento do começo do órgão até a metade dele.

Os fatores de riscos que mais estão atrelados com o carcinoma das células escamosas é o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o tabagismo.

Adenocarcinoma

Não era um tipo de câncer de esôfago muito comum, todavia, os números dos casos estão crescendo anualmente. O adenocarcinoma se desenvolve nas glândulas secretoras de muco, quase sempre no terço final do órgão. Os agentes causadores da mutação celular podem ser:

  • Obesidade;
  • Estômago de Barret;
  • Esofagite de refluxo crônica.

Essa linhagem cancerígena pode ser extremamente agressiva, normalmente demanda maior atenção no processo cirúrgico.

Sintomas

Os sintomas são verdadeiros pontos de atenção para os especialistas, pois eles não são exclusivos apenas do câncer no esôfago, outras doenças podem também apresentar os mesmos sinais. É importante salientar que, quase sempre os sintomas aparecem quando a situação já está em estado avançado. Os sinais mais comuns são:

  • Dificuldade de engolir alimentos (disfagia);
  • Dor ao engolir (odinofagia);
  • Perda de peso;
  • Desnutrição;
  • Má digestão e azia;
  • Rouquidão;
  • Tosse;
  • Falta de ar;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Hemorragia digestiva;
  • Pele amarelada (sinal de metástases).

Diagnóstico

O diagnóstico da doença, não é o suficiente para programar uma cirurgia, os especialistas devem obter a fase em que se encontra o câncer, essa análise é chamada de estadiamento. A endoscopia digestiva alta é o exame capaz de detectar a mutação nos tecidos, entretanto, para saber o estádio os especialistas podem recorrer aos exames abaixo:

  • Broncoscopia;
  • PET-TC;
  • Tomografia computadorizada;
  • Ultrassom;
  • Ecoendoscopia.

O câncer de esôfago é dividido em quatro estádios (I, II, III e IV), sendo em ordem crescente, o primeiro para os casos em que as células alteradas estão apenas na camada superficial do órgão, chegando ao quarto para os quadros em que existem metástases em outros órgãos distantes do esôfago. Exemplo: Pulmão.

O tratamento

O tratamento para o câncer de esôfago irá levar em conta o estádio em que a moléstia se encontra, ou seja, apenas o diagnóstico e a avaliação do quadro clínico poderão definir qual será o procedimento adotado. Os procedimentos clínicos utilizados são:

  • Cirurgia endoscópica;
  • Cirurgia radical;
  • Radioterapia;
  • Quimioterapia.

Por ser uma região importantíssima para a nutrição da pessoa, os médicos podem prescrever uma dieta especial administrada por uma sonda estomacal, ou nasoenterais.

Fatores de riscos e pontos de atenção

cancer-de-esofago

Conforme já foi mencionado no texto, o tabagismo é o maior vilão e precursor da moléstia, todavia, existem outros fatores de riscos que devem ser evitados para que ocorra a diminuição das possibilidades de desencadear a doença. Os fatores de riscos são:

  • Obesidade;
  • Refluxo;
  • Ingestão de produtos cáusticos;
  • Tumores de boca, garganta e pescoço;
  • Ingestão de alimentos contaminados por fungos;
  • Megaesôfago;
  • Tilose;
  • Acalasia;
  • Esôfago de Barret.

Devemos tomar muito cuidado com a nossa dieta alimentar, sendo um ponto de atenção crítico, pois um cronograma alimentício muito pobre em nutrientes pode colaborar com a mutação das células.

A prevenção é o melhor recurso!

A prevenção do câncer no esôfago perpassa em adquirir novos hábitos mais saudáveis, bem como, a inclusão de atividades físicas na rotina. Caso você seja uma fumante, procure maneiras de parar com o vício, ou pelo menos diminua a quantidade de cigarros fumados ao longo do dia.

Não será uma tarefa nada fácil! Todavia, a sua saúde vale o esforço, bem como o seu bem-estar deve ser a diretriz de sua vida, pense nisso. Gostou? Então deixe o seu comentário. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente matéria!! Eu fiz recentemente uma endoscopia Alta e foi detectado que estou com o tal de inficter laciado ,por isso estou tendo muito refluxo. Isso não é bom pois agride a parede do esôfago e pode causar câncer com o tempo. Mas tô com muito medo de fazer uma cirurgia. Existe outro método pra enrijecer o anel do esôfago ?

    • Olá Luzanira – o seu relato é fundamental para que outras pessoas vejam a importância de realizar exames, mesmo que de rotina, pois nunca se sabe o que nosso corpo esconde – obrigada por compartilhar. Quanto a métodos para o enrijecimento, indicamos procurar um profissional no seu caso, pois como já em tratamento, ele saberá o que é melhor e não interfira. Abraços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui