Conheça 12 benefícios do óleo de prímula para a saúde da mulher

Compartilhe
oleo-de-primula

O óleo de prímula é um composto natural extraído das sementes de uma planta arbustiva de origem norte-americana chamada “evening primrose”. Ela floresce de junho a meados de agosto e seu nome se deve ao fato de suas flores se abrirem somente ao entardecer. No Brasil, ela também é conhecida como prímula-da-noite, salgueiro noturno e estrela-da-noite.

Por ser uma fonte rica em ácidos graxos essenciais, como o ácido gama linolênico (GLA), o óleo é produzido e consumido em várias partes do mundo e oferece inúmeros benefícios à saúde, como regulação hormonal feminina, controle do colesterol e pressão arterial, entre outros. Além do GLA, o óleo de prímula também tem ácidos gordurosos essenciais como o oleico, palmítico e esteárico — e ainda cálcio e vitamina B.

Como o corpo humano não produz naturalmente os ácidos graxos essenciais, é fundamental incluí-los na dieta para garantir o bom funcionamento do organismo. O óleo de prímula é encontrado em cápsulas vendidas em loja de produtos naturais e farmácias de manipulação, que devem ser ingeridas com água ou suco, de preferência após as grandes refeições como almoço e jantar.

Conheça agora os benefícios que o óleo de prímula pode trazer para sua saúde!

Reduz os desconfortos da TPM

O ácido linolênico, ou ômega 3, encontrado no óleo de prímula interfere na produção da prostaglandina liberada durante a menstruação. Essa é uma substância que exerce uma ampla gama de atividades biológicas, entre elas a atração de células residuais de processos inflamatórios.

Ela atua ainda como um hormônio local, o que faz com que ajude no controle das cólicas e dos demais sintomas da tensão pré-menstrual, como aumento da sensibilidade dos seios, alterações de humor, irritação do cólon, entre outros.

Reduz os sintomas da menopausa

Para as mulheres que estão nesse período, o calor intenso e as mudanças de humor são alguns dos sintomas que podem dificultar o dia a dia. O óleo de prímula pode ser um grande aliado, pois ajuda na regulação hormonal, sendo um composto importante na produção de estrogênio, contribuindo para combater as ondas de calor características da menopausa e a irritabilidade. Ele tem ainda propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

Controle de inflamações relacionadas à endometriose

A endometriose é o crescimento do endométrio (mucosa que reveste o útero) em outras regiões do corpo, como ovários, bexiga, intestino, entre outros — e estima-se que 10% a 14% das mulheres entre 19 e 44 anos tenham algum grau da doença. Os ácidos graxos, como o linolênico encontrado no óleo de prímula, atuam como mediadores da resposta inflamatória comum nos quadros de endometriose, contribuindo para o alívio das dores intensas e demais sintomas.

reposicao-hormonal

Auxilia na prevenção e tratamento de dermatites

As características anti-inflamatórias também fazem do óleo de prímula um aliado no tratamento e prevenção de eczemas e outras dermatites e infecções na pele, inclusive a acne, já que reduz os riscos de entupimento dos poros que levam a essas inflamações.

O óleo de prímula proporciona também um equilíbrio entre o ômega 3 e o ômega 6, aliviando os sintomas dos eczemas, além de ajudar a normalizar a digestão de ácidos graxos essenciais para o organismo. É também rico em ácido gama linoleico (GLA) — essencial na formação e manutenção das células da pele —, atuando no controle de infecções moderadas.

Mantém a lubrificação da pele

É também o GLA presente no óleo de prímula que garante a lubrificação e elasticidade da pele, evitando ressecamentos que podem levar a dermatites e outras doenças.

oleo-de-primula

A deficiência de ácidos graxos é devastadora para nossa pele, pois pode resultar em um desequilíbrio das prostaglandinas, que são reguladas pelo GLA, deixando a pele seca e suscetível a pruridos e eczemas.

Combate o envelhecimento precoce

O óleo de prímula reduz a perda de água através da pele, mantendo sua hidratação e vitalidade. Além de aumentar a resistência aos raios solares ultravioleta, ajudando a prevenir o envelhecimento precoce.

Trata os sintomas de artrite reumatoide

Estimula a ativação do sistema imunológico, bloqueando as enzimas que causam a dor e a inflamação características da artrite reumatoide.

Reduz a agregação das plaquetas

O óleo de prímula pode reduzir a agregação das plaquetas e aumentar o tempo de sangramento, o que auxilia no tratamento de tromboses, por exemplo — que se caracterizam pela formação de coágulos que entopem as veias, mais comumente nas pernas, atrapalhando a circulação sanguínea e trazendo riscos para a saúde.

Mas é preciso cuidado: se você já utiliza algum anticoagulante, deve pedir orientação médica antes de usar o óleo de prímula em conjunto com outro fármaco. Em alguns casos, eles poderão ser tomados ao mesmo tempo sem nenhum problema.

Reduz o colesterol e a pressão arterial

O óleo de prímula, especificamente o ácido gama linoleico que ele contém, ajuda na redução do colesterol ruim e também no controle da pressão arterial, devido às suas características vasodilatadoras.

Controla o diabetes

Contribui para manter os níveis de insulina estáveis, ajudando no controle do diabetes. Ele também evita efeitos secundários da doença no sistema nervoso, como a sensação de formigamento ou a dormência dos membros.

oleo-de-primula

Ajuda no fortalecimento dos ossos

Estudos demonstraram efeitos benéficos do óleo de prímula para fortalecer os ossos de mulheres com osteoporose. O uso do óleo de peixe em conjunto com o óleo de prímula, na proporção 10:1, promoveu um aumento do pró-colágeno e da osteocalcina (substância presente nos dentes e nos ossos), estimulando a atividade dos osteoblastos — as células envolvidas na formação de tecido ósseo.

Cuidados ao consumir o óleo de prímula

Mesmo sendo um composto natural com muitos benefícios, como os que descrevemos acima, é preciso alguns cuidados no consumo desse óleo. As doses a serem tomadas devem ser acordadas com o médico ou nutricionista para evitar uma superdosagem, que pode até reverter os ganhos em danos reais para a saúde.

Se você está grávida, não deve usar o óleo de prímula. E ele também não pode ser ingerido por pacientes epiléticos que fazem uso de fenotiazínicos.

Conhece outros benefícios do óleo de prímula? Compartilhe com a gente e deixe seu comentário!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email