Qual o melhor tipo de óleo para cozinhar?

Compartilhe
o-melhor-tipo-de-oleo-para-cozinhar

Você sabe qual o melhor tipo de óleo para cozinhar? Imagine a cena: você irá fritar um alimento, todavia, é notada uma fumaça saindo da frigideira – e é do óleo. Cuidado! Essa fumaça é tóxica e, pode fazer mal para a sua saúde.

A vida inteira consumimos os óleos errados em nossos preparos. A maioria dos que são encontrados nos supermercados, não são adequados para cozinhar, muito menos recomendados, pois além de não ofertarem nutrientes para o nosso corpo, acabam colaborando para o aparecimento de doenças quando são ingeridos ao longo dos anos.

O nosso corpo precisa de gordura para manter o bom funcionamento, assim como necessita das vitaminas, sais minerais e dos ácidos graxos encontrados, pois são fundamentais para a manutenção de um organismo saudável. Portanto, escolher um bom óleo para o preparo dos alimentos, vai muito além de apenas uma necessidade gastronômica, tem que ser uma escolha nutritiva e consciente, em prol do bem-estar. Com isso, retornamos ao questionamento: qual o melhor tipo de óleo para cozinhar? Continue a leitura para descobrir!

reposicao-hormonal

Ponderar é mais do que necessário!

Tudo em excesso faz mal! E aqui no Brasil nós temos o mau hábito de consumir as nossas refeições em sua grande maioria resultantes de uma fritura. Não dá para negar que se tornam comidas suculentas, entretanto, o preço a se pagar é muito alto! A saúde do seu coração e dos vasos sanguíneos é colocada na berlinda, em xeque, e doenças podem aparecer como reflexo do colesterol alto. Veja a seguir algumas das moléstias decorrentes do consumo excessivo de frituras:

Com isso, o alerta que queremos passar é que além de escolher um óleo bom, é de suma importância mudar a maneira na qual se prepara as suas refeições. A nossa saúde reflete aquilo que consumimos. Pense nisso!

Tipos de óleos

Os óleos são divididos em três grupos, de acordo com os ácidos graxos que ofertam, veja a seguir:

Gorduras saturadas

Apesar de serem muitas vezes marcadas como “ruins” a realidade não é tão ortodoxa assim, as gorduras saturadas devem ser consumidas com moderação. O consumo em demasia propaga a elação do colesterol. Vale ressaltar, que elas são resultantes em grande parte de animais, portanto, caso você seja vegana evite.

O fato é que os óleos saturados são os melhores para cozinhar, isso porque, são estáveis quando expostos à alta temperatura. Ou seja, não soltam toxinas nos alimentos.

Gorduras polinsaturadas

Esse tipo de gordura na verdade representa um subgrupo. A divisão fica sobre dois conjuntos: saturadas e insaturadas, e no conjunto da última é realizada uma subdivisão entre polisanturadas e monoinsaturadas. Os óleos polinsaturados são os mais delicados, portanto, os menos recomendáveis a serem usados em cozimentos e frituras.

É uma gordura boa, e colabora muito para com a saúde do corpo, mas não é a ideal para cozinhar, pois quando é submetida à temperatura elevada libera toxinas, bem como perde os seus nutrientes. E o pior, é que a maioria dos óleos que utilizamos em nossas casas pertence a esse conjunto de gorduras.

Gorduras monoinsaturadas

As monoinsaturadas fazem parte do segundo subgrupo de insaturadas, todavia, não são tão frágeis como os polinsaturados, e tão menos resistentes como os saturados. O correto é usarmos esse tipo de óleo em temperatura baixa ou média. É considerada também uma gordura boa para o corpo, portanto é o melhor tipo de óleo para cozinhar, pois além de ser mais saudável, oferta nutrientes importantes para o organismo.

o-melhor-tipo-de-oleo-para-cozinhar

O melhor tipo de óleo para cozinhar

A seguir iremos abordar sobre os óleos que normalmente são usados para cozinhar, e se realmente são recomendáveis ou não.

Azeite de Oliva virgem

O azeite de oliva virgem é o melhor tipo de óleo para cozinhar. Além de ser amigo do coração, ajuda no controle dos índices do colesterol. Está no grupo das gorduras monoinsaturadas, com isso fique atenta à temperatura, para que não perca as propriedades nutritivas devido à oxidação. É fácil encontrá-lo em supermercados, e o preço não é tão expansivo. O azeite de oliva virgem reúne todos os atributos para ser o seu óleo no preparo das suas refeições.

Observação: em relação à temperatura, o azeite de oliva virgem suporta a temperatura até 180° C. Não use as versões extra virgens para cozinhar, reserve-os para temperar saladas e pratos frios, pois esse tipo não suporta o aquecimento.

Óleo de coco

A cada dia descobrimos mais novidades sobre o óleo de coco, além de ser ótimo para o cabelo, ele pode ser usado na cozinha também. Apesar de ser em sua maior parte, um óleo saturado, a gordura consegue ser facilmente absorvida pelo fígado, e convertida em energia. O que é ótimo! Pois, não ficará acumulada no corpo. É resistente ao calor, e não irá liberar toxinas.

Manteiga

Sim, sabemos que ela muitas vezes é pintada como uma inimiga da vida saudável, mas lembra-se: quando o excesso não está presente, a saúde é vigente. A manteiga pertence ao grupo de gorduras saturadas, mas é metabolizada pelo corpo rapidamente. Ela não produz toxinas, o que é muito bom, entretanto, cuidado com o consumo!

Óleo de abacate

Aqui nós temos outro queridinho dos cabelos, e é também um candidato para assumir o título de o melhor tipo de óleo para cozinhar. O óleo de abacate é parecido com o azeite de oliva quando o assunto é composição, suporta o calor e pode deixar os seus pratos com um sabor especial.

Óleo de palma

Quem é da Bahia já está bem familiarizado com o óleo de palma. Conhecido também como azeite de dendê, ele é fundamental na culinária baiana para o preparo de acarajés, carurus e vatapás. A sua composição possui uma grande concentração de gordura saturada, fazendo dele mais uma opção quando o assunto é cozinhar e fritar, pois é muito resiste ao calor.

Ofertante de nutrientes importantes para a saúde, a ressalva fica em relação ao excesso que pode elevar o colesterol ruim, bem como a procedência, pois é difícil encontrar um óleo de palma de qualidade no Brasil. Não poderíamos deixar de relatar também, sobre a degradação do meio ambiente, para cultivar o dendezeiro colocando em risco inúmeros animais, que já se encontram em risco de extinção.

Banha de porco

A banha de porco é um misto de gordura saturada (40%), e gordura monoinsaturada (45%), ou seja, é ótima para cozinhar, pois não irá liberar toxinas, e irá deixar as suas refeições cozidas bem rapidamente. Assim como os outros óleos oferta muitos nutrientes, mas fica a dica para não consumi-la demasiadamente.

O alerta sobre os óleos que usamos diariamente!

Lembra quando foi citado sobre os óleos que usamos para cozinhar as nossas comidas que não são adequados? Iremos apresentá-los agora, e alertamos o motivo pelo qual devem ser evitados em sua vida.

Os óleos de soja, canola, girassol, algodão, milho, e o não tão comum amendoim, são os mais usados no preparo das refeições, entretanto, todos pertencem ao grupo de gorduras polinsaturadas, ou seja, são sensíveis ao calor. E o resultado disso é a liberação de toxinas nos alimentos, que podem até mesmo ser cancerígenos.

A maioria das plantas que são utilizadas como base na concepção desses óleos provém de modificações genéticas. Eles carregam uma grande porcentagem de gordura trans que é prejudicial para a saúde. O problema é que usamos diariamente esses produtos em nossos lares, quando nem deveriam ser usados para cozinhar.

sucos-para-menopausa

E aí, Identificou qual o melhor tipo de óleo para cozinhar? Então deixe o seu comentário. Conte-nos qual é o óleo que você no preparo de suas receitas? Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui