Intestino preso na menopausa: quando a situação vira um transtorno!

Compartilhe
intestino-preso-na-menopausa
intestino preso na menopausa

IH! Bateu aquele desconforto? A barriga está inchada e pedindo socorro, mas quando você vai no banheiro, não sai nada? Saiba mais sobre as causas, sintomas e tratamentos do intestino preso na menopausa!

O que é o intestino preso?

O intestino preso ou prisão de ventre, como também é conhecida, são denominações comuns para o que é conhecido pelos médicos como obstipação ou constipação intestinal, tendo como principal característica a dificuldade para eliminar as fezes.

Não existe um padrão preciso para determinar a frequência normal do funcionamento do intestino, tendo como média a variação de 3 a 12 vezes por semana.

Pode-se considerar um caso de prisão de ventre quando acontecem 2 ou menos evacuações por semana, ou quando é inversamente proporcional, ou seja, o esforço para defecar é muito grande e pouco produtivo.

Causas da prisão de ventre

Este problema pode estar associado com algumas doenças colorretais, como fissura anal, câncer ou diverticulite. Alterações no metabolismo ou no cérebro, ansiedade, depressão e remédios também podem causar problemas no intestino.

Conhece alguém que alega não conseguir defecar fora de casa? Pois é! Isto não é algo incomum. Muitas pessoas se sentem desconfortáveis em ambientes estranhos, desconhecidos ou diferenciados, e o intestino acaba não funcionando da mesma forma. Muitos passam por problemas em viagens, já que não conseguem evacuar, como você pode ver no depoimento abaixo:

“Minha amiga que mora em São Paulo resolveu ir para o Rio de Janeiro a passeio, ela passou 7 dias lá e como não consegue eliminar fezes fora de casa, passou a semana toda sem ir ao banheiro. Quando voltou pra SP, sentiu a barriga inchada e uma dor horrível. No hospital, o médico viu que se tratava de um caso onde todo a massa fecal estava acumulada, e foi parar próximo à região das costas. Foi necessário fazer uma lavagem para remover tudo.”

— internauta Bianca Abreu

A complicação mais conhecida da obstipação é o fecaloma, sendo essa massa compacta de fezes duras, que se acumulam no reto ou no cólon-sigmoide, interrompendo o fluxo intestinal. Este problema ocorre em maior parte com cadeirantes, crianças, idosos e pessoas com dificuldade locomotora.

E a menopausa?

intestino-preso-na-menopausa
intestino preso na menopausa

Uma queixa muito frequente de mulheres no climatério é o intestino preso. Este problema afeta 34% das mulheres acima dos 40 anos, fase na qual a queda hormonal se inicia. A perda do estrogênio é responsável pela maioria dos sintomas encontrados neste período, enfraquecendo o assoalho pélvico e seus nervos, os esfíncteres, além de poder causar prolapsos genitais (deslocamento do reto).

Esforços em repetição para evacuar podem elevar ainda mais os danos na região retal, tendo como consequência uma fraqueza regional e alterações anatômicas, propiciando a dificuldade de defecar.

“Os hormônios sexuais femininos influenciam os movimentos peristálticos do intestino grosso. Tanto que já se sabe que o intestino de muitas mulheres fica *preguiçoso* durante o período menstrual. Por outro lado, a prisão de ventre é comum na menopausa ou em idades mais avançadas, já que as mudanças ocorridas durante essas fases da vida também afetam os músculos do intestino grosso.”

— dr. Marcelo Ponte

Se não tratada de início, a constipação pode causar problemas mais incômodos: as hemorroidas. O endurecimento das fezes pode afetar as veias do reto, gerando fissuras ou acessos, devido à pressão exercida sobre elas.

Sintomas do intestino preso na menopausa

  • Distensão;
  • inchaço no abdômen;
  • esforço em excesso para evacuar;
  • mal-estar;
  • gases;
  • problemas digestivos;
  • fezes duras ou ressecadas;
  • sensação de evacuação incompleta.

Além dos sintomas apontados acima, o intestino preso pode causar até mesmo refluxo, e de acordo com a gastroenterologista e endoscopista, dra. Ana Lucia Maia da Silva, este problema é denominado informal e popularmente como “Síndrome do Engarrafamento”, sendo difícil de se solucionar com medicamentos. Isso acontece principalmente por causa do desequilíbrio da flora intestinal ou super proliferação de bactérias, interferindo na qualidade de vida do paciente e trazendo até mesmo outro sinal: o mau humor.

reposicao-hormonal

Tratamentos mais indicados

Em casa

O consumo de fibra auxilia no equilíbrio da flora intestinal, por isso é indicado por médicos nesses casos. Além disso, beber bastante líquido, praticar exercícios físicos, diminuir o consumo de alimentos industrializados e de proteína animal (se ingerir em excesso) é essencial.

É importante também ir ao banheiro assim que a vontade se manifestar, pois do contrário, compromete o funcionamento comum dos intestinos grosso e delgado.

Suplementos naturais também auxiliam no intestino preso menopausa, pois estimulam a produção natural de hormônios pelo próprio corpo, estabilizando o sistema corporal.

No médico

Em casos mais difíceis, os especialistas podem indicar laxantes específicos, para facilitar a saída das fezes acumuladas. Se ainda sim, o volume for muito grande, a lavagem intestinal também pode ser aplicada, onde se utiliza uma sonda no reto, com finalidade também de retirar o sangue e os bolos fecais.

Sofre com o intestino preso na menopausa? Como você trata este problema? Ele é frequente? Deixe seu comentário!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui