Reeducação alimentar: uma conversa franca sobre o assunto!

Compartilhe
reeducacao-alimentar

Quando é abordado o tema sobre reeducação alimentar, muitas mulheres ficam demasiadamente inseguras, ansiosas e acabam perdendo o rumo e o foco do processo e, como consequência  naufragam as chances de ressignificar os hábitos alimentares.

A reeducação alimentar não precisa, e, nem deve ser uma mudança dolorosa, triste e punitiva. Ela deve proporcionar prazer e bem-estar para as pessoas que querem mudar os seus comportamentos de consumo em relação à comida.

Pois, toda educação que gere dor e desprazer na aprendizagem, pode até ser eficiente ao ensinar, entretanto, irá construir um futuro sem brilho nos olhos de quem aprendeu. A punição pode até ensinar, todavia, falta a alegria, que é o combustível que fará sentido na vida do educando. O mesmo se aplica na reeducação alimentar, ela deve acontecer em prol de um bem maior – a sua saúde.

Dietas mirabolantes? fuja dessa cilada!

Já que estamos falando sobre a saúde, vale apena reforçar para que você não se entregue aos encantos dessas dietas irreais, pois deixar o corpo sem alguns nutrientes essenciais para o metabolismo e defesa – é negligenciar a vida! Não vale o risco. Se você precisa perder peso, faça isso com consciência. Essas dietas são como o canto da iara (lenda do folclore brasileiro), elas irão te seduzir, todavia, é uma cilada, levando ao afogamento quem se encantou. Você colocará a sua saúde em maus lençóis.

A mudança de hábito deve ser gradativa

Ninguém deixa do dia para a noite um comportamento, até então bem enraizado e culturalmente reforçado. Os hábitos precisam ser mudados gradativamente, a mudança repentina, quase sempre resulta em muita dor e, elaborar essa perda, sempre se torna algo tumultuoso e moroso.

reposicao-hormonal

As pessoas não estão tão predispostas para as mudanças, o ser humano, vive rodilhado de seu senso de segurança, e colocar na berlinda essa sensação gera angústia e estresse. Portanto, não corte tudo de sua rotina, comece alterando cada refeição, e quando o hábito ficar bem estruturado, passe para a próxima refeição. Lembre-se o cérebro gosta de conforto e estabilidade, propor uma revolução imediata, pode ocasionar ansiedade, desmotivação e boicotes.

O que deu certo para a colega, talvez não funcione em você. Aceite!

O lema: o que é para Francisca, também é para Chica, na reeducação alimentar, talvez não funcione. Muitas vezes queremos seguir os mesmos passos que outras pessoas deram, todavia, podem nos levar para outros lugares. Nós temos metabolismos distintos, bem como, rotinas e comportamentos. Talvez diminuir drasticamente a quantidade de carboidratos para a sua amiga faça sentido, mas para você não! Procure um nutricionista, para que juntos vocês possam determinar o que é coerente para o seu corpo.

Aproveitando que estamos abordando a unidade de cada mulher, é de suma importância sinalizar para essa onda que nos consome, em querer ser parecida com determinada pessoa! Somos distintas, talvez a silhueta dela, não fique legal com o seu bio tipo. A pesagem da outra, não condiz com a sua realidade. Cada peso, uma medida.

Conquiste novos adeptos e aliados

Pense o quão seria tristonha a sua vida escolar, se você não tivesse os seus coleguinhas na sala de aula para aprender, brincar e azucrinar a professora? Nós somos uma espécie que necessita do coletivo para aprender e evoluir.

A não ser que você sofra de alguma fobia social (procure um psicólogo), fazer algo no coletivo é muito bom! O grupo acaba se tornando agentes apoiadores e, quando um membro fraquejar ou se sentir desolado, eis que surgem as palavras de consolo e motivação! Isso é muito bom!

A proposta é a seguinte: seja entre família, amigas ou colegas, faça um grupo, pois juntas vocês podem compartilhar as vitórias e reformular as derrotas (chora não coleguinha!). Que tal, fazer um grupo do WhatsApp e compartilhar fotos de pratos e receitas saborosas e saudáveis? (Não vale passar correntes estranhas, hein!).

Já pensou o quão bom seria, todas as pessoas da sua família reunidas comendo algo gostoso e saudável, e se sentindo felizes? Não tem preço. Quando todos entram na reeducação alimentar, fica mais difícil recuar e se entregar a tentação, principalmente no início do processo. É horrível comer um prato onde há uma grande concentração de salada, e ver o seu filho comendo batata frita, não é fácil, principalmente para aquelas que eram loucas por frituras. Além do que, é prazeroso e gratificante proporcionar saúde e bem-estar para quem a gente ama.

A importância de dar o primeiro passo

A reeducação alimentar é uma mudança bem mais fácil do que você imagina. Dê o primeiro passo, comece alterando o seu cardápio do café da manhã. Acrescente mais frutas, bem como, cereais integrais e derivados do leite desnatados. Você sentirá os benefícios reverberarem pelo seu organismo. Tome a iniciativa, você não vai se arrepender!

É mais fácil do que você imagina!

Às vezes achamos que mudar os hábitos alimentares, demanda uma nova compra no supermercado, colocar todo o nosso orçamento no investimento de alimentos saudáveis. Calma, não é bem assim. Nós temos em nossas dispensas esses alimentos, o que acontece, e que preparamos receitas que desvalorizam os nutrientes e aumentam os índices calóricos.

Portanto, a reeducação alimentar pode ocorrer na preparação dos pratos, e não necessariamente nos produtos que você compra. Pense nisso.

Caminhe pelas gôndolas certas

Agora, se realmente você precisa comprar alimentos mais saudáveis, pois a sua dispensa é uma viagem só de ida em busca, da pressão alta, diabetes e do colesterol alto. Deixe de circular pelas gôndolas do mal! Dispense um tempo maior, pelos corredores de produtos naturais e cereais, construa o hábito de buscar sempre o entendimento dos alimentos e seus benefícios, você ficará mais motivada em consumir eles, pois quando conhecemos o que estamos ingerindo tomamos consciência da relevância deles para a nossa saúde. A reeducação alimentar pode proporcionar para você uma atmosfera de conhecimento e de inúmeras surpresas.

Reeducação alimentar não é um bicho de 7 cabeças

Sim, não é! A gente escuta diversas estórias de pessoas que tentaram se reeducar em seus hábitos alimentares, mas que não obtiveram sucesso, todavia, quando investigamos a fundo como foi o processo de mudança, descobrimos que foi uma passagem dolorosa, e que ocorreu sem nenhuma estratégia e discernimento, ou seja, estava fadado ao fracasso. Não existe milagre, tão menos, é correto fazer uma alteração brusca do comportamento alimentar.

Você se lembra da fábula dos três porquinhos? Construir uma casa de madeira ou palha instantaneamente não te deixará livre do infortúnio! Subir bloquinho, por bloquinho é o correto, pois lá no final você será agraciada pela segurança e pelo conforto. O mesmo deve ser aplicado na reeducação alimentar, um passo de cada vez.

E aí? Após essa reflexão você está pronta para iniciar a sua reeducação alimentar? Não deixe de contar como está sendo a sua experiência. E o que precisar conte conosco. Não se esqueça de deixar o seu comentário.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui