Tipos de fibrose: descubra os principais e o que fazem com o organismo!

Compartilhe

Algumas doenças têm a capacidade de serem identificadas com o olhar, pois alteram o corpo de uma forma em que ficam visíveis. Alguns tipos de fibrose são assim! Descubra como esta patologia reage no organismo.

O que é fibrose?

A fibrose é caracterizada pelo desenvolvimento ou formação de tecido conjuntivo em algum órgão ou parte da pele, agindo como se fosse um processo de cicatrização ou degeneração das fibras do tecido. Ou seja, é um processo que começa através de um respostas defensivas, para manter o equilíbrio (homeostasia) do organismo.

Tipos de Fibrose

1. Fibrose Pulmonar

A fibrose pulmonar é uma doença no sistema respiratório, que gera formação excessiva de fibrose (tecido conectivo), deixando as paredes dos pulmões mais grossas. Resumindo: o tecido do pulmão é prejudicado, formando cicatrizes, endurecendo, alterando a elasticidade e a troca de gases.

Esta patologia acontece com mais frequência após os 55 anos, por causa da degeneração natural dos tecidos ao envelhecer, e também é mais frequente em homens, devido à maior exposição à gases tóxicos e poeira de origem não orgânica no ambiente de trabalho.

Ela pode ser causada por por doenças pulmonares intersticiais ou autoimunes, infecções, herança genética ou hábitos de vida não saudáveis.

Esta doença tem como principais sintomas: falta de ar (principalmente ao se esforçar), tosse seca, cansaço, fraqueza, queda de peso e deformação na ponta dos dedos (devido à falta de oxigenação).

2. Fibrose cística

A fibrose cística, também denominada como fibrose quística ou mucoviscidose é uma doença hereditária comum, que atinge principalmente pulmões, pâncreas e o sistema digestivo, gerando deficiências progressivas. Esse conjunto de órgãos afetados pode levar à morte prematura.

Ela ocorre por alteração de cromossomos, tendo como principais sintomas: dificuldade respiratória, infecção frequente de vias aéreas, falta de fertilidade, problemas no sistema digestório, falta de crescimento e desnutrição.

3. Cirrose hepática

tipos-de-fibrose

A cirrose hepática atinge o fígado, surgindo por causa de um processo infamatório (hepatite), fibrose e formação de vários nódulos.

Esta patologia é considerada como uma doença terminal no fígado, órgão no qual convergem também outras doenças, tendo complicações, como destruição das células, alteração estrutural e inflamações.

No começo, a doença quase não apresenta sintomas, mas em fase avançada, gera desnutrição, capilares dilatados (aranhas vasculares), hematomas, desnutrição, sangramento (principalmente da gengiva, icterícia, barriga d’água, varizes e encefalopatia hepática.

4. Fibrose endomiocárdica

tipos-de-fibrose

“A Endomiocárdio Fibrose é doença degenerativa inflamatória progressiva em que a camada mais interna do coração, o Endocárdio, que tem menos de 1mm, começa a se espessar, obstruindo o coração por dentro.”

— Dr. Rodrigo Paez

Os sintomas mais comuns são: insuficiência cardíaca, apneia e congestão pulmonar. Estes sintomas se apresentam devido à restrição do ventrículo esquerdo e acometimento do ventrículo direito.

5. Mielofibrose idiopática

tipos-de-fibrose

A MFI (Mielofibrose Idiopática) é um problema clonal de uma célula, sendo caracterizada por fibrose da medula óssea. Essa é uma doença considerada rara, cerca de 5 casos por milhão de habitantes, por ano.

Esta doença ocorre em maior parte em pessoas acima de 65 anos.

25% das pessoas com mielofibrose idiopática não apresentam sintomas. As que apresentam sinais, sofrem com: esplenomegalia (que gera desconforto na região superior esquerda do abdômen ou dor no ombro), cansaço, dispneia, perda de peso, suor noturno e sangramentos.

6. Doença de Crohn

A Doença de Crohn prejudica o trato gastrointestinal, por causas ainda desconhecidas por especialistas.

O sistema digestório envolve: bocaesôfago, intestinos e o reto. São nessas regiões onde doença acontece, caracterizada por um processo de inflamação extremamento invasivo, comprometendo todas as camadas do aparelho intestinal, o que causa dor por um longo período. A parte normalmente mais afetada é o íleo terminal, onde a parede torna-se espessa e menos flexível, como um cano de borracha.

Seus principais sintomas envolvem: dor abdominal (muitas vezes por dia), diarreia com aparecimento de sangue, muco, pus, perda de peso, anemia; fadiga, falta de apetite, febre, dores nas articulações, lesões cutâneas, inflamação nos olhos e pedra nos rins.

7. Fibromatose peniana

fibrose-peniana

“Tecido cicatricial fibroso dentro do pênis que causa ereções curvas e dolorosas.”

— Hospital Israelita Albert Einstein

Esta doença é causada por uma lesão da região do pênis, de forma repetida, que acontece principalmente durante uma relação sexual ou exercícios físicos.

Os pênis costumam variar de tamanho ou forma, tendo uma ereção dolorosa e curva, causando interferência no ato da relação.
Seus sintomas são: dor peniana, dor na relação sexual, disfunção erétil ou disfunção sexual e encurtamento do pênis.

8. Fibrose retroperitoneal

tipos-de-fibrose
Tipos de fibrose

É uma patologia caracterizada por presença inflamatória e fibrose tecidual, ao redor da aorta abdominal e das artérias ilíacas, evolvendo também estruturas dos lados, como os ureteres.

Dor lombar, anorexia, perda de peso, indisposição, obstrução do ureter, febre, dores nos testículos, hematúria e edema na área das pernas são alguns dos sintomas da fibrose retroperitoneal.

9. Fibrose queloide

tipos-de-fibrose
Tipos de fibrose

A fibrose queloide acontece na pele, principalmente como uma cicatriz, sendo lesões fibroelásticas. O queloide pode acontecer no processo de cicatrização de lesões cutâneas, e na maior parte dos casos são inofensivos, tendo como problema maior o fator estético.

“Queloides são difíceis de erradicar e, quando excisados (retirados cirurgicamente), tendem a recorrer. Ocorrem igualmente em ambos sexos, embora seja relatada a maior incidência (quase o dobro, isto é, 1,8:1) entre jovens do sexo feminino.”

— A Enciclopédia Livre

10. Esclerodermia

tipos-de-fibrose

A esclerodermia é caracterizada por uma doença rara e crônica, na qual ocorre por um excesso de colágeno nos órgãos (principalmente no pulmão) e na pele, na qual geralmente não é fatal.

Esta doença costuma afetar em sua maior parte mulheres, de 30 a 50 anos. Seus sintomas são: enrijecimento da pele, dor articular, reação ao frio e azia.

Gostou de saber sobre os tipos de fibrose? Sofre com algum deles? Deixe seu comentário e conte sua história!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

3 COMENTÁRIOS

    • Olá, Maria! Em casos de Endometriose Profunda Infiltrativa, pode ocorrer uma distorção anatômica, tendo como consequência a fibrose, que pode elevar ainda mais as dores causadas por este distúrbio. De qualquer forma, é importante que você consulte um médico especialista, para verificar se um problema foi consequência do outro, ou se são casos isolados. Esperamos ter ajudado! Abraços, equipe Saudável e Feliz.

  1. Olá eu estava com a barriga cheia de fibroses pós uma lipoaspiração que fiz, minha barriga estava muito feia, e fiz tudo que o médico indicou e nada funciona, fiz milhares de sessões de drenagem linfática e todos outros tratamentos pós cirurgia e estéticos e nada adiantou, mesmo depois de um ano pós lipo eu ainda sentia dores e desconforto fora que não mostrava a barriga para ninguém mais, então um dia me indicaram a Ângela Gomes e seu Tratamento Power pós cirurgia, manual e indolor e senti melhora logo nas primeiras sessões, fiz 20 sessões do tratamento Power pós cirurgia da Ângela Gomes e agora estou muito feliz que estou livre das fibroses e a minha barriga está bonita agora, vou deixar o e mail dela caso alguém esteja nas condições em que eu estava
    angelazen@gmail.com meu nome é Bete moro na Mooca

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui