Câncer de pulmão ocupa o terceiro lugar no ranking do que mais mata!

Compartilhe
cancer-de-pulmao
Veja quais são os sintomas e o tratamento, para o terceiro tipo de câncer que mais mata no mundo.

O câncer de pulmão é caracterizado por uma mutação em uma célula pulmonar saudável. Essa alteração ocorre, pois a pessoa foi exposta aos fatores que desencadeiam essa “deformação” no gene que são relacionados a multiplicação celular. O resultado é que a célula obtém características próprias e começa a se multiplicar anormalmente e descontroladamente, ocasionando o câncer.

Esse tipo de câncer é um tumor maligno, tendo como característica a agressividade de sua evolução, assim como, a sua capacidade de gerar metástases. Os pesquisadores identificaram inúmeros tipos dessa doença, e as dividem em dois grupos:

  • Carcinomas de células não-pequenas;
  • Carcinomas de pequenas células.

“O câncer de pulmão é um dos tumores malignos mais comuns do mundo. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de um milhão e setecentos mil casos novos são diagnosticadas anualmente. Estimativas mostram que o câncer de pulmão, ao lado dos tumores de traqueia e brônquios, é o segundo mais incidente nos homens, com 17.330 novos casos para 2016. Nas mulheres é o quarto mais frequente, representando 10.890 novos casos.”

-A.C. Camargo, Centro Integrado de Diagnóstico, tratamento, Ensino e Pesquisa.  

Fique sabendo: o que são metástases?

Metástases são células cancerígenas que se desprenderam do tumor inicial (câncer de pulmão) e seguiram pelo corpo se instalando em outros órgãos se multiplicando e gerando novos tumores. Os órgãos que mais são acometidos por metástases do câncer pulmonar são:

Tipos dos cânceres pulmonares

Conforme foi mencionado, o câncer no pulmão é dividido em dois grupos, detectar a tipologia é de suma importância, pois irá determinar qual será o melhor tratamento, bem com, o nível da gravidade.

Carcinoma de células não pequenas

São os cânceres mais comuns na população, representando segundo as pesquisas 80% dos casos. Os carcinomas de células não pequenas, ainda são subdivididos em 3 tipos:

  • Adenocarcinoma;
  • Carcinoma epidermoide;
  • Carcinoma de grandes células.

tratamento-natural-para-menopausa

Carcinoma de células pequenas

São cânceres menos comuns, representando 20% dos casos na população. Possuem como características a agressividade e a capacidade de se propagarem rapidamente.

Fatores de riscos

Pode até parecer demagogia, ou até mesmo clichê, entretanto, o maior fator de risco é o tabagismo. O tabaco possui inúmeras substâncias químicas, e algumas já foram identificadas como tumorigênicas. Os fumantes ativos ficam expostos aos riscos de acordo com a quantidade de maços de cigarros que são fumados por dia, assim como, o tempo que exercem o vício de fumar, ou seja, quanto mais cigarros a pessoa fuma no dia, bem como, o tempo que ela é fumante irá determinar a probabilidade de desencadear a moléstia.

Estudos revelam que 90% das pessoas que foram diagnosticadas com o câncer de pulmão, relatam o fato de serem fumantes ou já terem fumado em algum momento de suas vidas. O problema, é que o fumante ativo não coloca apenas a sua vida em risco, ele coloca também as das pessoas que ficam expostas a fumaça do cigarro.

Conhecidos como fumantes passivos, eles possuem um quarto de chance de desenvolverem a doença a mais do que quem nunca foi exposto ao risco (fumaça do tabaco). Para obter dicas de como parar de fumar clique aqui.

Outros fatores que também podem colaborar com o aparecimento da mazela (todavia em menor escala em relação ao fumo de cigarros), é a exposição aos agentes químicos abaixo:

  • Arsênio;
  • Cromo;
  • Asbesto;
  • Sílica;
  • Cádmio;
  • Radônio.

Em menor escala também, precisamos ressaltar que o histórico familiar de casos da doença, pode colaborar com o aumento de riscos.

“Apesar de ser um tipo frequente de câncer e de causar muitas mortes, o câncer de pulmão é uma doença potencialmente evitável. O consumo de tabaco está estritamente associado ao desenvolvimento desse câncer e é a causa de cerca de 90% de todos os casos.”

-A.C. Camargo, Centro Integrado de Diagnóstico, tratamento, Ensino e Pesquisa.

cancer-de-pulmao  Sintoma

Identificar os sintomas é um grande agravante! Pois, os sinais que o organismo apresenta pode muito bem ser confundido com os sintomas de algumas outras doenças respiratórias, por exemplo, a tuberculose, enfisema pulmonar, bronquite e a pneumonia.

Outro agravante, é que normalmente a sinalização que o corpo concede, informando que os pulmões estão sendo acometidos por um tumor só aparece na etapa em que o câncer já está avançado. Veja os sintomas a seguir:

Diagnóstico

Frente a suspeita clínica, os especialistas podem solicitar os  exames:

  • Radiografia simples do tórax;
  • Tomografia computadorizada do tórax;
  • Broncoscopia;
  • Punção percutânea orientada pela tomografia.

O diagnóstico é importante para identificar o estadiamento da doença, bem como, sondar se ocorreu uma possível metástase em outra região do corpo. Para identificar uma possível lastração para outro órgão, são utilizados os exames:

  • Ressonância nuclear magnética para o cérebro;
  • PET-CT para analisar outras partes do corpo.

É através do diagnóstico que se obtém a classificação do câncer do pulmão. Existem 7 estádios classificatórios:

  • IA;
  • IB;
  • IIA;
  • IIB;
  • IIIB;
  • IV.

O IA representa os tumores extremamente pequenos, com entorno de 2 cm e o IV para aqueles que estão em uma fase muito avançada e com a presença de metástase. Vale ressaltar, que devido à dificuldade de se identificar a doença em estádios iniciais, o diagnóstico se dá sempre quando o problema já está critico. Apenas 20% dos casos são detectados no começo da mazela.

Tratamento do câncer de pulmão

O estádio da doença irá determinar qual será o tratamento, podendo ser cirúrgico, por irradiação e/ou quimioterápicos, bem como, por terapias alvo.

Cirurgia

A cirurgia é uma possibilidade de tratamento para os casos de câncer de pulmão de células não pequenas. É feita a remoção do tumor, assim como, de uma área de segurança para mitigar a possibilidade das células anormais de se propagarem. Os linfonodos também são removidos nesse procedimento.

Radioterapia

A radioterapia tem por objetivo irradiar as células cancerígenas e destruí-las. Para os casos avançados que não é possível realizar uma cirurgia esse tratamento é o mais recomendado.

Quimioterapia

Ela é indicada tanto para os casos que foram tratados com uma cirurgia, bem como, com os tratados com radioterapia. As pessoas que estão sofrendo com metástase também são beneficiadas com a quimioterapia. Nos casos em que ocorre uma cirurgia, o tratamento com medicamentos quimioterápicos pode ocorre antes do processo cirúrgico (neoadjuvante), ou depois (adjuvante).

Prevenção

A prevenção consiste no rompimento do hábito de fumar imediatamente, pois conforme foi alertado, o tabagismo é o maior precursor da doença. As mulheres se tornaram um ponto de alerta para o câncer de pulmão, pois nos últimos anos aumentaram-se os números desse tipo de tumor no sexo feminino. Estudos constataram que a mulher está fumando bem mais, assim como, ela pode ser mais susceptíveis aos efeitos negativos e maléficos do cigarro no organismo.

A prevenção é a melhor arma contra o câncer de pulmão. Cuide-se. Deixe o seu comentário. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui