Entenda o que acontece com os ossos na menopausa

Compartilhe

A menopausa (que geralmente inicia-se entre 45 e 55 anos) é uma etapa comum e faz parte da vida de qualquer mulher, e indica a queda na produção dos hormônios femininos, derivada da escassez e posterior ausência de óvulos férteis dentro do ovário. Esse processo acarreta várias mudanças no organismo da mulher, com consequências físicas e psicológicas muitas vezes bem desagradáveis, como depressão, ondas de calor, falta de libido, ressecamento vaginal, fragilidade do sistema cardiovascular, entre outros.

Outro efeito bastante conhecido (e temido) da menopausa é o aumento da predisposição à osteoporose, doença que resulta em fraqueza dos ossos de todo o corpo. Você já sabia disso? Entenda agora por que isso acontece e saiba qual é, afinal, o motivo do enfraquecimento dos ossos na menopausa.

Entenda a doença

A osteoporose é uma doença que afeta principalmente pessoas com mais de 60 anos, de ambos os sexos. Ela toma lugar devido ao desequilíbrio entre a formação de células novas e a destruição de células antigas no tecido ósseo. Após os 30 anos de idade, a destruição dessas estruturas torna-se mais frequente do que sua renovação, o que leva a uma perda da força dos ossos gradual e constante.

Após certo ponto, o sistema esquelético pode estar tão fragilizado que o indivíduo pode ter extremas dificuldades de locomoção, além de estar mais propensa a quedas e fraturas graves das pernas e do quadril.

A doença tem mais chance de ocorrer em pessoas do sexo feminino (devido à sua densidade óssea naturalmente menor que a dos homens) e em pessoas que fumam e/ou possuem histórico familiar da patologia.

O enfraquecimento dos ossos na menopausa

dor-nas-costasAlém de mulheres serem naturalmente mais propensas ao enfraquecimento dos ossos, a menopausa pode agravar esse efeito e aumentar as chances do aparecimento do quadro.

A característica mais importante da menopausa é a queda dos níveis sanguíneos dos estrógenos — importantes hormônios femininos envolvidos em várias funções do corpo. Os estrógenos, por sua vez, têm um papel fundamental no transporte e fixação do cálcio nos ossos, e esse mineral é justamente o principal componente do tecido ósseo. É por isso que na menopausa a fixação do cálcio é diminuída, o que aumenta a chance do enfraquecimento dos ossos.

Hábitos saudáveis ajudam a prevenir a doença

A prática regular de exercícios físicos ajuda a fortalecer a estrutura muscular e esquelética do corpo, garantindo-lhe maior resistência e força. Por isso, realizar atividades físicas de baixo impacto (caminhada, natação, entre outros) de maneira regular pode ter importante papel na prevenção e amenização do enfraquecimento ósseo.

reposicao-hormonal

Outra prática muito efetiva para evitar a osteoporose é tomar banhos de sol diariamente por 15 minutos, na parte da manhã — sem filtro solar. A luz do sol é essencial para a captação de vitamina D no organismo e esse nutriente está envolvido diretamente com a resistência do tecido ósseo.

Além disso, evitar maus hábitos, como o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas, e alimentos industrializados ajuda a manter a saúde dos ossos (e do resto do corpo) em dia.

A alimentação tem papel importante

Certos alimentos têm propriedades específicas, que ajudam a amenizar os efeitos da menopausa sobre os ossos. O consumo regular de vegetais de folhas verde-escuras ajuda na captação adequada de vitamina D, e já vimos que esse nutriente é importante para a saúde dos ossos. Alimentos derivados do leite (queijo e iogurtes) também são importantíssimos para levar cálcio para o corpo e têm que ser consumidos rotineiramente.

Peixes de águas frias — como o atum, a sardinha e o salmão — são ricos no ácido graxo essencial ômega 3, nutriente que tem vários efeitos benéficos na captação de cálcio e na manutenção da estrutura óssea.

Gostou de saber mais sobre as mudanças dos ossos na menopausa? Deixe sua dúvida ou comentário aqui que vamos tentar te ajudar! Até a próxima!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email