Herpes Labial: como minimizar o desconforto?

Compartilhe
herpes-labial
O herpes labial é uma doença crônica, entretanto, é possível viver sem grandes impactos no cotidiano.

Você acordou disposta, pois é o dia de encontrar as suas amigas do tempo da faculdade, são tantos assuntos para colocar em dia! Sem dizer nas experiências que vocês irão compartilhar: viagens, novos relacionamentos, restaurantes, livros… De repente você sente um leve desconforto na sua boca, para ser mais específico, no seu lábio inferior próximo ao canto direito. Surgem pequenas bolhas e a lesão não para de crescer. Você como é bem informada, já sabe do que se trata! É herpes. Não desista de seu compromisso existem maneiras de minimizar o incômodo e a ferida.

Você não é a primeira e não será a última!

Ao longo dos anos muitas pessoas estarão propicias a desenvolverem o herpes. Seja na boca, nos órgãos genitais ou em qualquer outra parte do corpo. De acordo com a médica infectologista Dra. Vivian Iida Avelino Silvaexistem oito tipos distintos de vírus da família herpes e todos podem causar doenças para as pessoas.

Nessa grande família destaca-se o tipo I que está associado a lesões orais, conhecido também como herpes labial. O herpes labial é uma moléstia muito comum – e é contagiosa – a sua principal característica são aquelas pequeninas bolhas conglomeradas. Para o tipo I ainda não existem medicamentos que proporcionem a cura, apenas a amenização sintomática.

Essa doença viral por ser crônica, volta e meia assola a pessoa portadora do vírus, impactando em sua rotina e no convívio social. Principalmente nos casos de herpes labial onde as lesões na boca ou no rosto ficam mais visíveis gerando constrangimento e muito incômodo para portador.

Herpes labial

O herpes labial é considerado um tipo de herpes simples. Sua transmissão pode ser realizada diretamente pelo contato por pessoas que já são portadoras do vírus. O canal de transmissão pode ser o beijo, o sexo oral e o compartilhamento de objetos de higiene pessoal contaminados por sangue ou saliva.

Normalmente ocorre um equivoco com a pessoa que está infectada, ela confunde o herpes com uma alergia, principalmente porque as lesões tendem a desaparecer após alguns dias, todavia, a não presença das bolhas não é sinal de cura, simplesmente a ação viral está em estado de remissão.

Por ser uma doença sem cura,  é muito recorrente inúmeras  manifestações do vírus ao longo dos anos, no período de ativação do herpes labial, a pessoa quase sempre se isola, pois fica apreensiva com medo, acreditando que a ferida possa gerar nojo.

“ O herpes tipo 1 é o responsável pelo quadro de herpes oral, que se caracteriza por vermelhidão, ardor e pequenas bolhas preenchidas com líquido claro, comumente na região do lábio ou na parte interna da boca. Geralmente, o primeiro contato com o vírus ocorre durante a infância, através de secreções orais. Em seguida, o vírus se aloja em um neurônio e lá pode permanecer durante toda a vida do indivíduo sem causar qualquer sintoma, em um estado que chamamos de latência.”

– Dra. Vivian Iida Avelino Silva, médica infectologista.

Sintomas do herpes labial

O primeiro sintoma notado é uma sensibilidade ou formigamento nos lábios, seguida por uma queimação na região. A sensação de dor e mal-estar podem aparecer também, e são demasiadamente incômodas. Veja os sintomas:

  • Pequenas bolhas que causam dor e/ou prurido;
  • Inflamação na garganta;
  • Febre;
  • Queimação;
  • Erupções nos lábios;
  • Sensibilidade na pele e/ou formigamento;
  • Dores ao engolir.
herpes-labial
O principal sintoma do herpes labial é a ferida que aparece na boca.

Fatores que desencadeiam a ativação do vírus no organismo

Como já foi mencionado o herpes labial é uma doença crônica que apresenta repetidos quadros, existem alguns fatores desencadeantes que fazem com que o vírus sai de seu estado de remissão e reative, com isso, ocorre a sua multiplicação e transportação do neurônio, onde ele estava em estado de inércia até a pele ocasionando novas lesões na boca. Veja abaixo os desencadeantes:

O Tratamento para herpes labial

O herpes labial é considerado benigno e pode desaparecer em cerca de 5-7 dias sem precisar recorrer ao uso de medicamentos. Todavia, utilizar as pomadas antivirais no estágio inicial pode colaborar para o não aparecimento das bolhas.

As pomadas antivirais mais utilizadas são as: Zovirax, Aciclovir, Zopen  e Penvir. O importante é recorrer ao médico para obter uma avaliação, e se for o caso, receber uma indicação para tratar a infecção com medicamentos antivirais de via oral também.

A higienização da área lesionada

A limpeza da lesão é de suma importância para a saúde bocal e do corpo. Ela impede que bactérias, fungos e até mesmo outros vírus oportunistas se aproveitem do machucado para adentrar no organismo. Para realizar a limpeza da ferida você precisará:

  • Gaze ou algodão;
  • Hastes com algodão nas pontas;
  • Soro fisiológico;
  • Álcool cirúrgico.

Umedeça a gaze no soro fisiológico e passa em toda região afetada pela ferida. Atenção, não faça movimentos ríspidos e nem force a mão, a forma mais correta é passar a gaze com pequenos toques leves e rápidos. Descarte a gaze e umedeça outra no álcool cirúrgico e repita o mesmo movimento. Caso você queira finalizar a higienização com uma pomada antiviral, é possível e é recomendável. Com o auxílio de uma haste com algodão nas pontas, aplique a pomada em toda a lesão.

Prevenção do herpes labial

O herpes labial é uma DST (Doença sexualmente transmissível), portanto, a melhor forma de prevenir a contaminação é o uso do preservativo. Para as pessoas que são portadoras do vírus HSVI (Vírus herpes tipo I), é de suma importância evitar o beijo quando o vírus estiver ativo no organismo, entretanto, é liberado quando a carga viral estiver em latência. Evite também, tocar na ferida e em seguida em outra região do corpo, pois esse comportamento pode acarretar na proliferação do vírus  para outras áreas.

Ações paliativas contra o herpes labial

Conforme foram mencionados no tópico dos fatores desencadeantes, existem componentes externos e internos que podem causar a reativação do vírus. Veja como viver bem e afastar a possibilidade de ativar a carga viral.

 

Exposição Solar

Adquiria o hábito de se proteger dos raios solares, seja nos dias de céu aberto ou encoberto! Independente da ocasião você deve passar o protetor solar todos os dias. Opte pelo fator de proteção acima dos 30. O simples hábito de passar o protetor solar pode ajudar no impedimento do aparecimento do herpes. Não se esqueça de passar protetor solar labial. Hoje em dia, existem diversas maquiagens que garantem além da beleza a proteção solar – invista nesses produtos.

reposicao-hormonal

Alimentação balanceada

Não deixe de comer frutas, legumes, verduras e sementes. Mantenha uma dieta rica em vitaminas, proteínas e sais minerais para que o seu organismo não fique a mercê por falta de imunidade. Lembra-se a baixa imunidade pode reativar o herpes labial.

Atividade física

Exercite o corpo e a mente! As atividades físicas são ótimas para aliviar a tensão e o estresse. Não deixe de mover o seu corpo!

Tire um tempo para extravasar ou relaxar

Vivemos em uma rotina atribulada e insana! Mas nem todo o dinheiro do mundo é capaz de pagar a sua sanidade mental. Portanto, sempre reserve alguns momentos ao longo da semana para você relaxar. Você pode ler um livro, assistir um filme, meditar ou simplesmente desacelerar.

A segunda alternativa é extravasar! Já pensou em marcar com o parceiro ou com as amigas uma ida ao clube de dança? Garanto que você voltará leve e completamente renovada.

herpes-labial
Um protetor solar labial pode ser um grande aliado contra as feridas causadas pelo herpes labial.

Receita contra herpes labial

Não deixe de sair só por causa de um herpes labial. Que tal fazer uma maquiagem para disfarçar a ferida? Veja as instruções:

Você vai precisar de:

  • Creme antiviral;
  • Base de maquilagem líquida livre oil na tonalidade de sua pele;
  • 1 esponja de maquiagem sem látex;
  • Duas hastes com algodões nas pontas;
  • Pó facial na tonalidade da sua pele;
  • Um pouco de algodão;
  • Um batom líquido (opte por uma tonalidade mais escura).

Instruções

Passo 1

Conforme foi instruído no tópico de higienização, faça a limpeza da região e aplique o creme (pomada) antiviral.

Passo 2

Aplique a base líquida de maquiagem em todo o seu rosto como o de costume com a ajuda de uma esponja sem látex. Não passe na região que está com a ferida.

Passo 3

Com uma haste com algodão nas pontas, aplique uma pequena quantidade de base em cima da lesão. Lembre-se a haste que entrou em contato com a infecção deve ser descartada. Caso você perceba que é necessário passar novamente a base, pegue uma haste limpa.

Passo 4

Passe o pó facial em todo o rosto, com exceção da zona afetada pelo herpes labial. Na região da ferida utilize o algodão. Passe levemente e não sobrecarregue o local com muito pó.

Passo 5

Coloque um pouco de batom líquido no dorso da mão. Com a ajuda de uma haste com algodão aplique-o em toda a boca, tente deixar a cobertura da ferida o mais uniforme possível. Uma técnica ótima de maquiagem é ultrapassar um pouquinho a linha dos lábios com o batom. A sua boca ficará aparentemente maior e a ferida passará desapercebida pela multidão.

O herpes não é o fim do mundo. Sabendo cuidar e manter uma vida saudável e com as precauções necessárias não há motivo para deprimir.

Você achou a matéria relevante? Então deixe o seu comentário!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui