Como tratar miomas? Descubra aqui!

Compartilhe
como-tratar-miomas

Também chamado por médicos de Fibromioma uterino, o mioma é composto por um ou mais tumores benignos, que se instalam em vários lugares do útero, variando no tamanho, provocando ou não sintomas. Existem várias formas de tratar miomas, algumas mais simples, como o acompanhamento médico e uso de medicamentos, ou mais intensas, como cirurgia.

Pode começar a aparecer durante o desenvolvimento da fase fértil feminina, mas atinge principalmente por volta de 50% das mulheres entre 30 e 50 anos. Algumas só notam quando o médico pede exames ginecológicos específicos, já que pode não causar dor ou incômodos.

Tipos de Mioma

Mioma subseroso

Localiza-se na parte mais externa da parede do útero, conhecida como serosa e geralmente não apresenta sintomas, a não ser quando alcance tamanhos maiores, pressionando outros órgãos.

Mioma intramural

Aparece e se mantém na parede do útero, ou seja, é encontrado na espessura da musculatura uterina. Os sintomas costumam aparecer quando o tumor benigno atinge um tamanho maior, afetando o útero, desencadeando sangramento ou pressão sob os órgãos próximos, dentre eles, os mais atingidos são o intestino e a bexiga.

Se este tipo de mioma crescer demasiadamente a ponto de causar infertilidade, é porque atingiu tanto a parte interna quanto a parte externa do útero, sendo denominado mioma transmural.

Mioma submucoso

como-tratar-miomas
Como tratar miomas – Imagem por: MD Saúde

É encontrado perto da cavidade uterina, mais especificamente na região do endométrio, sendo este o tipo mais comum. Caracteriza-se por deixar toda ou uma parte lesionada, se desenvolvendo dentro da cavidade do útero. Tem como principais sintomas sangramento anormal do útero e dor na região da pélvis (principalmente na parte lesionada na região submucosa). Em casos extremos pode levar ao aborto espontâneo ou à infertilidade.

Mioma pediculado

Apresenta-se na superfície exterior uterina (no canal cervical), sendo ligado por uma haste, normalmente móvel. Este tipo de tumor benigno cresce em tais proporções que se desprende do útero, ficando preso apenas pelo pendículo, que aparenta ser como um pequeno cordão. Ele pode ter um crescimento tanto para dentro, quanto para fora do útero.

Mioma intraligamentar

De acordo com o Dr. Drauzio Varella, este mioma encontra-se entre os ligamentos do ovário e do canal uterino, que são “localizados um de cada lado do útero, na parte mais larga, oposta ao colo do útero.”

Como tratar miomas?

Tratamento clínico

Baseia-se no controle de hormônios, sejam eles em comprimidos para ingestão, implante sob a pele ou injeção. Nota-se que o mioma depende do hormônio para de desenvolver, e quando há uma administração com inibidores hormonais, a tendência é diminuir a proporção e os sintomas. Entretanto, o uso frequente pode trazer problemas à saúde, e quando este tratamento é finalizado, existe o risco dos miomas voltarem a crescer e ficarem mais fortes.

Tratamento cirúrgico

Os tratamentos feitos através de cirurgia podem ser divididos em três pilares principais:

Embolização

É uma inovação tecnológica, pois não utiliza de cortes nem deixa cicatrizes. Como os miomas são irrigados pelo sangue, o corte desse canal por meio do processo de embolização leva à “morte” dos miomas.

O procedimento é feito por um especialista em radiologia intervencionista, que aplica uma anestesia na região, e com o uso de catéteres, bloqueia a passagem sanguínea das artérias que “alimentam” o mioma, com microesferas. Depois de 2 ou 3 ciclos, a mulher volta a menstruar. Após a operação, a mulher ainda pode engravidar, pois a função do útero é preservada.

O tempo de internação é de no máximo 24h, e a pessoa operada pode voltar de forma rápida às suas atividades diárias.

Miomectomia

Esta cirurgia envolve a retirada do mioma, por meio de corte na região abdominal ou videolaparoscopia (endoscopia feita com uma microcâmera). Neste procedimento, existe o risco da mulher não conseguir engravidar, e pode gerar problemas na bexiga, no instestino ou ureter, necessitando até mesmo de transfusões sanguíneas. Lembrando que isto não é uma regra, pode acontecer ou não.

Histerectomia

Consiste na retirada do útero por meio de cirurgia. Quando se trata de um tumor benigno, como o mioma, a remoção uterina é questionável, já que ele possui funções não só reprodutivas, mas hormonais.

Não é comum a reclamação de mulheres que ficaram com um transtorno que as impossibilita de ter um orgasmo, após efetuar esta cirurgia. Procure um bom médico, muitas histerectomias poderiam ser substituídas por embolização.

Relação de miomas com a menopausa

Você sabia que a chance de ter mioma é reduzida na menopausa? Pois é! Isso se deve ao fato de que o hormônio de estrogênio pode levar ao crescimento deste tumor benigno, e a progesterona aumenta a capacidade de divisão, podendo gerar outros miomas. Na menopausa, a mulher passa por um processo de queda hormonal, consequentemente, a chance de ter mioma também é reduzida.

reposicao-hormonal

Já passou por isso? Conte para nós qual foi o seu modo de tratar miomas.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui