Metrorragia: tudo sobre sangramentos fora do período menstrual!

Compartilhe
metrorragia
metrorragia

Você já ouviu falar em metrorragia? Sim? Não? Independente da resposta, mostraremos a você o que ela é e os motivos pelos quais ela acontece.

O que é metrorragia?

A metrorragia é caracterizada pelo sangramento anormal do útero, ou seja, quando ocorrem descartes de sangue uterino fora do período menstrual. Este fator pode ser sintoma de vários problemas, podendo ser de hormônios, de inflamações, de coagulação, ou de suor excessivo.

Se a duração deste fluxo sanguíneo incomum passar do período de 14 dias, caracteriza-se uma menometrorragia, sendo muito comum em mulheres jovens ou no climatério, pois são períodos de alterações hormonais. Na menopausa por exemplo, o ressecamento vaginal decorrente da queda dos níveis de estrogênio e progesterona possibilitam os sangramentos.

Por volta de 20% das pacientes com sangramento anormal são adolescentes e 50% se concentram na faixa etária entre 40 a 50 anos.

Além do sagramento anormal, a metrorragia também pode apresentar alguns sinais, como: desmaios, palidez, dor na nuca, convulsões, cólicas e falta de ar. Lembrando que nem sempre estes outros sintomas vão aparecer.

A constante perda de sangue pode causa anemia ferropriva (por deficiência de ferro), por isso é importante consultar um especialista se tiver os sintomas.

“O problema é considerado a terceira maior causa de consultas ao ginecologista. O fluxo menstrual é considerado normal quando os intervalos entre um sangramento e outro duram entre 24 e 32 dias (média de 28), a duração da menstruação varia entre 3 e 7 dias (média de 4 dias), e a quantidade, mais difícil de ser mensurada, não exceder um pacote de absorvente médio a cada ciclo. Menstruações que fogem desses padrões são consideradas anormais.

— Dr. Marcelo Pontes dias, ginecologista.

Tipos de sangramento anormal

Existem algumas classificações para os sangramentos incomuns, para facilitar a diferenciação entre eles, sendo:

  1. Hipermenorreia – relaciona-se a um sangramento longo, com um período normalmente acima de 8 dias ou com uma quantidade alta de fluxo (menorragia), maior de 80ml, podendo também ser uma união de ambos;
  2. Hipomenorreia – consiste em um fluxo com período inferior a 3 dias, ou quantidade menor de 30ml, podendo também ser uma associação dos dois;
  3. Polimenorreia – refere-se a um ciclo o qual possui frequência de menos de 24 dias;
  4. Oligomenorreia – caracteriza-se por ciclos que acontecem em intervalos acima de 35 dias;
  5. Metrorragia – sangramento do útero fora do período de menstruação;
  6. Menometrorragia – sangramento que acontece durante ou fora do ciclo menstrual. É comum por causa de miomas subserosos ou pólipos do endométrio. Este problema é como uma evolução da menorragia.

“Qualquer hemorragia genital em mulheres após a menopausa deve ser considerada anormal e implica uma cuidada avaliação no sentido de diagnosticar a sua causa.”

— Leonor Assis Ramos

Causas da metrorragia

  • Problemas hormonais: síndrome do ovário policístico, hipotireoidismo, cetoacidose, dentre outros;
  • trauma corporal: DIU e acidentes de alto impacto;
  • sangramento por medicação: anabolizantes, anticoncepcionais, excesso de aspirina e pílula do dia seguinte;
  • gestação fora do útero;
  • dificuldade de coagulação;
  • doenças: câncer de cólon do útero ou câncer de ovário.

Como diagnosticar a doença?

A existência de metrorragia ou menometrorragia em mulheres acima de quarenta e cinco anos pode ser um forte indício de câncer de endométrio. Se este fato ocorrer com frequência, indica-se a ida a um ginecologista, que fará exames específicos, retirando e examinando parte do tecido do endométrio, por meio de biópsia.

O acompanhamento médico costuma seguir estes passos de exames:

metrorragia
Imagem por: FCMG

Metrorragia tem tratamento?

É necessário saber a causa da metrorragia para recomendar o tratamento adequado, mas normalmente, um desses 3 métodos é indicado:

  1. ablação endometrial (convencional): feita por meio de vídeo, sendo um procedimento cirúrgico pouco invasivo, que baseia-se na introdução de uma alça de ressecção (semelhante a uma pinça) e uma ótica (lente) para remover o endométrio, sendo necessária a distensão endometrial com um líquido singular;
  2. ablação endometrial (global): é a inserção de um dispositivo para remover o endométrio, sendo através de corrente elétrica ou um líquido em alta temperatura, não tendo necessidade de visualização frequente do útero;
  3. histerectomia: remoção total do útero, e em alguns casos, dos ovários também. É uma cirurgia mais extrema, requerendo um tempo grande de operação, utilizando anestesia geral, podendo apresentar riscos.

Gostou de saber mais sobre metrorragia e como lidar com ela? Você já passou pelo sangramento fora do período menstrual? Conte-nos aqui no portal Saudável e Feliz!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

2 COMENTÁRIOS

  1. Fiquei melhor esclarecida e feliz por ler essa matéria assim tiro o peso da minha consciencia, pois tenho sangramento a 5 dias fora do período menstrual e já ia pensando que desenvolvi um canser. mais como uma das causas é o DIO e eu uso a 3 anos tranquilizou-me pois estava mesmo apavorada.
    contudo vou segui as orientações da minha genecologista peso embora mandou fazer o papanicolau que será impossivel pelo fluxo sanguíneo. contudo estão a fazer um belo trabalho em divulgar a informação para os menos esclarecidos. Bom trabalho e continuem assim

    • Bom dia Ângela! Muito obrigada por ler nossas matérias e pelo retorno. Ficamos MUITO felizes com o comentário e pela confiança. Desejamos recuperação total para você. Beijos Equipe Saudável e Feliz

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui