Absorvente interno: tire suas dúvidas a respeito disso!

Compartilhe
absorvente-interno
absorvente interno | Imagem por: Istock

As mulheres querem a melhor opção para lidar absorção do sangue menstrual, veja se o uso do absorvente interno é uma delas!

O que é um absorvente interno?

Também conhecido como tampão, o absorvente interno é um produto de higiene íntima feminina, para absorver o fluxo menstrual, inserindo um pequeno elemento na vagina durante a menstruação.

Para as curiosas, o absorvente interno é feito com materiais selecionados, a partir de duas fibras: algodão (fibra natural) e rayon (fibra química artificial), passando por rigorosos testes de higiene. Ele possui um formato especial, com ponta de arco e laterais cilíndricas, que se moldam naturalmente ao interior da vagina.

Após a inserção, ele se expande quando absorve o sangue, ficando firme e evitando vazamentos, além de ser quase imperceptível se utilizado de forma correta.

Tipos de absorvente interno

As marcas oferecem absorventes internos para vários tipos de fluxo, veja como ele pode ser classificado:

  • Fluxo baixo – abaixo de 6g;
  • Fluxo regular – 6–9 g;
  • Fluxo alto – 9–12 g;
  • Fluxo intenso – 12–15 g;
  • Fluxo muito intenso – 15–18 g.

A maioria dos fabricantes pelo mundo segue os padrões e o código de conduta indicado pela Associação Europeia de Descartes e Não-Tecidos (EDANA).

Classificações Europeias de Absorção
Gotículas Gramas Descrição Alternativa de Tamanho
1 gotícula < 6 g
2 gotículas 6–9 g Mini
3 gotículas 9–12 g Regular
4 gotículas 12–15 g Super
5 gotículas 15–18 g
6 gotículas 18–21 g

 

 

 

 

Principais dúvidas a respeito do absorvente interno

1. Pode haver vazamentos?

Às vezes, especialmente quando o fluxo é pesado, o tampão não “absorve” o excesso de sangue na vagina, e ao colocar ou tirar, pode vazar para a roupa interior, e claro, pode haver vazamento durante o uso. Sugere-se então um tampão para fluxos intensos, e se não resolver o problema, é melhor usar o absorvente externo

3. Como faço para inserir? Dói para colocar?

De acordo com a ginecologista australiana Farah Kroman:

“Inserir um tampão não deve doer. Deve ser muito fácil. As principais coisas que você precisa fazer é entrar na posição correta e, claro, relaxar. Os músculos do assoalho pélvico são muito fortes, por isso, se você não estiver relaxado, será muito difícil colocar o absorvente interno. Conheça seu corpo. Pegue um espelho e dê uma olhada onde o absorvente vai antes de começar. A posição mais fácil e conveniente é com um pé no assento do vaso sanitário.” 

“Alternativamente, sente-se no chão em frente a um espelho. Lave bem as mãos e, em seguida, use o dedo indicador para empurrar gentilmente o tampão para além dos lábios (dobras externas da vagina) até a vagina. Empurrar é o máximo possível, não se preocupe, você não pode ir longe demais. Certifique-se de que as seqüências estão saindo para facilitar a recuperação. Quando você terminar, não conseguirá sentir o tampão. Se você fizer isso, você não o empurrou o suficiente, remova-o e comece novamente com um novo.”

5. Afeta a fertilidade? Quanto tempo posso ficar com o absorvente interno?

Não, se os tampões forem usados corretamente, não haverá nenhum dano ao corpo! Certifique-se de seguir as instruções na embalagem e trocar o tampão a cada 3-4 horas.

6. Tira a virgindade?

Depende do ponto de vista. Para muitos especialistas, a virgindade só pode ser perdida com relações sexuais, não com o uso de absorventes internos. Tampões podem afetar e romper o hímen, mas a perda de um hímen não significa que a pessoa não é mais virgem.

7. Minha vagina é muito justa. O que posso fazer?

Os músculos dentro da vagina (músculos do assoalho pélvico) podem ser muito tensos. Além disso, se você ficar ansiosa sobre o fato de ser muito apertada, a musculatura pode tensionar ainda mais.

Lembre-se de que seu assoalho pélvico foi projetado para ser forte e também projetado para ser capaz de empurrar um bebê, logo, não será muito pequeno para um tampão.

Quando o fluxo menstrual é mais intenso, isso ajuda a lubrificar o canal, facilitando a inserção do absorvente interno.

Talvez você possa começar em um dia de fluxo intenso. Tente usar um mini-tampão com uma capa de seda e aplique um pouco de lubrificante nele. Ele precisa entrar no comprimento do dedo para que você possa senti-lo. Se isso ainda não funcionar, talvez pense em consultar um ginecologista para uma checagem completa para ter certeza de que nada mais está acontecendo.

8. Perdi o cordão. E agora?

As cordas dos tampões estão muito bem presas dentro do objeto, para que não caiam. A corda deve ficar pendurada para fora da vagina.

Em casos extremos, diferente da maneira normal de puxar a cordinha, ele precisaria ser alcançado com dois dedos. Se isso não for possível, deve-se procurar um médico com urgência que possa ajudar, para não causar maiores transtornos.

9. Posso nadar com ele?

Pode sim! Nadar uma ótima opção no período menstrual, principalmente para reduzir as dores. Você pode utilizar o absorvente interno na água, mas recomenda-se a remoção do mesmo logo após sair da área aquática, pois ele pode ficar molhado.

10. Causa alergia?

A composição pode variar de acordo com diferentes marcas. Se você achar que não pode usar nenhum asorvente externo, talvez você possa tentar usar tampões, pois os absorventes internos são feitos com outro tipo de material. De qualquer forma, consulte um médico antes de tomar qualquer atitude.

14. Como retirar?

Para retirar o absorvente interno, basta puxar o cordãozinho. O absorvente interno irá deslizar suavemente para fora da vagina, devendo então ser inutilizado, ou seja, deve-se jogar fora e jamais reutilizar.

Além disso, o uso do absorvente elimina o característico odor da menstruação que se produz quando o fluxo sai do corpo e entra em contato com o ar.

Absorvente externo x absorvente interno x coletor menstrual. Qual o melhor?

absorvente, tampão e coletor menstrual
Imagem por: Giphy
  • Absorvente externo: pode ser usado de dia e de noite, necessita do uso de calcinha, possui um intervalo máximo de 8 a 12h, em um ano, gasta-se mais ou menos 325 unidades e pode irritar a pele, aumentando o risco de proliferação de bactérias e candidíase;
  • absorvente interno: pode ser utilizado de dia, mas não é muito recomendado para a noite, devido ao intervalo de troca, e dispensa o uso de calcinha, gastando em média por ano, 650 unidades. Possui um intervalo recomendado de no máximo 4h e pode causar alterações na flora vaginal, devido à substâncias químicas, aumentando o risco de: Síndrome do Choque Tóxico, inflamações e infecções;
  • coletor menstrual: pode-se utilizar de dia ou de noite, e dispensa o uso de calcinha, tem um intervalo máximo de 12h, e em 1 ano, gasta apenas uma unidade, mas é necessária a higienização frequente do coletor. Como risco, pode propiciar infecções e feridas internas, se não usado corretamente.

E aí, qual você usa? Decidiu a melhor opção? Conte pra nós aqui no Saudável e Feliz!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui