Queda de cabelo na maternidade: por que isso acontece?

Compartilhe
queda-de-cabelo-na-maternidade

A maternidade, desde a gravidez até a amamentação, envolve uma série de mudanças físicas e psicológicas do corpo feminino. Tais alterações estão ligadas a um fator importante: os níveis hormonais. Ao longo do texto de hoje, vamos focar em um desses efeitos hormonais na época da gravidez e principalmente, no pós-parto: a queda de cabelo na maternidade. Continue lendo!

O cabelo durante a gravidez.

Provavelmente, você sentiu seus cabelos mais fortes, grossos, bonitos e saudáveis durante a gestação. Isso não acontece por acaso, a magia da gravidez promove uma alta produção de hormônios como o estrogênio e a progesterona e isso afeta as madeixas, como diz a dermatologista Juliana Annunciato da Clínica Essenza São Paulo: ‘‘tal vitalidade é decorrente da intensa atividade dos hormônios estrogênio e progesterona. Já os hormônios masculinos ficam muito reduzidos nessa fase’’.

Isso acaba refletindo na queda natural de cabelo, que todo mundo tem, diminuindo assim a perda de fios. Essa fase é conhecida como anágena: ‘‘100% dos fios entram na fase anágena durante a gestação que corresponde ao crescimento ativo do cabelo […] aumentando o volume e densidade capilar’’, segundo a médica dermatologista e tricologista Elizete Kaffer, especialista em distúrbios capilares.

O cabelo após o parto.

Depois que o bebê nasce, as taxas hormonais voltam ao normal e os fios que não caiam durante a gravidez, caem de forma intensa deixando as mulheres assustadas com a mudança. Afinal, a sensação de ver o nosso tão querido cabelo cair na hora de pentear ou escorrer no ralo durante o banho é péssima.

Estima-se que essa mudança no status do cabelo acontece depois de 60 dias do nascimento e dura até seis meses. Segundo Adriano Almeida, diretor do Instituto de Dermatologia e Estética e professor da Fundação Pele Saudável “a perda pode variar entre 10% a 50%”. Mas fique tranquila, mesmo sendo um número alto, não é o suficiente para deixa-la careca. Além disso, a média é 30%.

queda-de-cabelo-na-maternidade

Vale a pena lembrar a importância de uma alimentação equilibrada, o estado nutricional do organismo conta muito, dê preferência a legumes, vegetais, frutos do mar, alimentos que possuem nutrientes como ferro, zico e proteína, ajudando assim na formação de novos fios e no fortalecimento dos existentes.

Além disso, fatores como o estresse, a falta de sono, cirurgias e mudanças drásticas de peso podem intensificar a queda, por isso os cuidados com a saúde são bem importantes. Um corte com franja ou usar um comprimento mais curto pode ajudar a dar um equilíbrio melhor no visual, já que o cabelo pode perder um pouco de volume nessa fase.

seu-cabelo-forte-novamente

Se mesmo após os seis meses, a queda continuar intensa, evidenciando até algumas falhas na cabeça, vale a pena passar em um médico para que uma análise mais aprofundada seja realizada, já que esse efeito pode ser o indício de alguma coisa mais séria como problemas na tireoide e anemia. Afinal, o que geralmente acontece é a estabilização da queda e o retorno normal de crescimento do cabelo, igual era antes da gravidez.

Cuidados especiais relacionados a queda de cabelo na maternidade.

Nesse tópico, vamos apresentar alguns cuidados especiais relacionados a queda de cabelo na maternidade.

Na hora de lavar o cabelo.

Mantenha uma temperatura adequada na hora de lavar o cabelo. Se o seu cabelo é oleoso, recomenda-se uso de água morna, assim o excesso de gordura nos fios é retirado. Se o seu cabelo é seco, recomenda-se água morna quase fria, assim a oleosidade do cabelo sai, mas não totalmente, já que a gordura natural produzida pelo couro cabeludo é importante para deixar os cabelos brilhantes e sedosos. Lembre-se, água muito quente é prejudicial em qualquer situação, seja na gravidez, no pós-parto ou em qualquer oura.

Outra dica é ter um assento no box do chuveiro, assim você evita movimentos mais intensos.

queda-de-cabelo-na-maternidade

Existe relação entre pintar o cabelo e a saúde do bebê?

Sim. Tinturas capilares e o excesso de tratamentos químicos durante a gravidez pode prejudicar a saúde do bebê, justamente pelos efeitos tóxicos da amônia e de metais pesados que podem estar ligados a esses métodos.

No caso do pós-parto, o formol e o hidróxido de potássio que podem ser encontrados nos alisamentos químicos e permanentes devem ser evitados, mesmo que não exista evidências científicas que tais elementos possam contaminar o leito usado na amamentação.

Tome os cuidados necessários e tenha uma maternidade saudável.

Ao longo do texto, levantamos uma série de orientação para as mamães que estão preocupadas com a queda de cabelo na maternidade. Sigam as nossas orientações e faça um acompanhamento pré-natal e pós-parto com o seu médico de confiança.

corte-de-cabelo

Pense que esse momento da maternidade é algo bem especial e pode demandar alguns sacrifícios básicos como segurar a vontade de pintar cabelo ou deixar a progressiva de lado. Entretanto, todos esses cuidados especiais vão valer a pena quando você estiver com o seu filho no colo e acompanhá-lo crescer cheio de saúde.

Em um momento anterior, falamos sobre dicas e tratamentos para combater a queda de cabelo, acesse o nosso material e saiba mais, abraços!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui