Falta de desejo masculino: quando o desejo dele acaba, o que fazer?

Compartilhe
falta-de-desejo-masculino

Ter uma vida a dois tem seus desafios. Além de todas as barreiras que enfrentamos diariamente em meio a trabalho, estudos, família e objetivos pessoais, uma situação delicada pode se manifestar: a falta de desejo masculino.

No texto de hoje, vamos quebrar alguns tabus e promover uma conversa aberta sobre sexualidade, visando compreender melhor como funciona a cabeça do homem contemporâneo e como alguns fatores podem prejudicar a sua libido, ou seja, seu desejo sexual.

A posição masculina em meio a sociedade

Ser homem, desde os primórdios, envolve um tom competitivo, a busca do poder fez com que os homens tivessem o desejo de ser, de alguma forma, superior aos seus semelhantes. E quando estamos falamos de conquistar uma mulher, a situação não é diferente, ter boa fama com a ‘‘mulherada’’ é considerado até hoje, como sinônimo de masculinidade, demonstrando assim a aparência de homem viril, vulgo macho.

Apesar de toda essa cultura sexista, engana-se quem afirma que a falta de desejo masculino não existe. Não somos máquinas, mas sim de carne, osso e alma, pensamentos como ‘‘os homens sempre estão com tesão’’ ou ‘‘faz parte da natureza do homem ter vontade de fazer sexo o tempo todo’’ são resultados do senso comum e só servem para deixar os homens mais ansiosos e inseguros.

falta-de-desejo-masculino

É fundamental entender que o desejo sexual não é um botão que homens e mulheres ligam e desligam quando quiserem, é algo bem mais complexo que isso, envolve uma série de estímulos e fantasias, se o homem não pensa em sexo, não se masturba, não tem nenhum fetiche, não conhece suas áreas erógenas (zonas que estimulam o prazer no corpo, como a nuca, a parte interna da coxa, o pescoço e obviamente, o pênis), dificilmente o tesão irá se manifestar.

Conheça os principais fatores que causam a falta de desejo masculino

De acordo com Marco Scanavino, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e do Projeto Sexualidade (Prosex) também da USP, cerca de 20% dos homens podem sentir a diminuição da libido em algum momento da vida.

Pensando nisso, vamos falar sobre alguns fatores importantes que podem atrapalhar na hora H. Vamos a eles:

Estresse

Não é à toa que esse fator é o primeiro da lista, segundo um estudo realizado por três pesquisadores europeus em 2013, que envolveu 5.255 homens heterossexuais em países de grande diferença cultural como Portugal, Croácia e Noruega, confirmaram que o cansaço e estresse são as maiores causas que resultam na falta de desejo masculino, principalmente em homens de 30 a 39 anos.

Tal fator causa fadiga física e mental, tal condição dificulta o ato sexual, já que precisamos de energia para o sexo. Nessa faixa etária a maioria dos homens se casam e tem responsabilidades maiores no trabalho ou com os filhos, deixando a situação um pouco mais complicada. Inclusive, o estresse crônico pode provocar a redução dos níveis da testosterona, de acordo com o Dr. Scanavino.

Rotina

A pesquisa europeia sobre a falta de desejo masculino trouxe resultados além da relevância do estresse e cansaço, de acordo com a pesquisa o segundo maior fator foram os problemas na relação, principalmente ligadas a casais pouco disponíveis e que costumam entrar em conflitos.

falta-de-desejo-masculino

Por isso, ter a liberdade e a maturidade de conversar sobre a relação e compartilhar suas inseguranças e expectativas pode fazer a diferença.

Andropausa

Homens maduros estão suscetíveis a queda nos níveis hormonais, assim como as mulheres na menopausa. Essa fase da vida do homem chama-se andropausa, tal etapa é marcada pela queda no nível de testosterona, juntamente com a produção de espermatozoides, podendo influenciar ou não, na queda de libido no homem.

reposicao-hormonal

Obesidade

A obesidade e problemas relacionados a ela, como a diabetes, hipertensão, hipotireoidismo e colesterol alto prejudicam a produção de testosterona e atrapalham na geração de energia do organismo.

Além disso, o problema da baixa autoestima e da aceitação do próprio corpo atrapalha ainda mais na confiança do homem.

Medicamentos

Remédios para depressão, hipertensão arterial e úlcera atrapalham a ação dos receptores da serotonina, neurotransmissores do prazer, prejudicando assim os impulsos sexuais.

Caso os problemas persistirem, vale a pena conversar com o médico que os receitou.

Disfunção Erétil

Primeiramente, aqui vai um dado importante, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, 52% dos homens acima dos 40 anos têm algum grau de disfunção erétil. Aliás, esse número só reforça a relevância de realizar o exame de próstata a partir dos 45 anos, já que essa parte do corpo continua crescendo, mesmo após a fase adulta, podendo causar problemas coligados a ereção.

De qualquer forma, existem exames para descobrir a origem desse incômodo, tanto físico quanto psicológico.

Não deixe o sexo fora da sua vida

Ao longo do texto, falamos mais sobre a falta de desejo masculina e os gatilhos que fazem ela se desenvolver. Além dos itens comentados no tópico acima, é importante ter hábitos saudáveis de maneira geral, não exagere no álcool e se você fuma, evite ao máximo esse hábito.

Lembre-se, a sexualidade se desenvolve tanto sozinho quanto a dois, pensamentos eróticos e um bom diálogo com a parceira são bem estimulantes e podem ajudar. Inclusive, não tenha receio de conversar sobre isso com o seu médico de confiança, existem tratamentos que podem ajudar nesse momento delicado, o mais importante é não abrir mão do prazer!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui