Espasmo muscular pode aparecer por stress e sobrecarga

Compartilhe
espasmo-muscular
espasmo muscular

Sabe aquela dorzinha nas costas, nas pernas e até mesmo a câimbra? Elas podem ser resultados do espasmo muscular. Descubra como ele se manifesta no corpo!

O que é espasmo muscular?

O espasmo muscular é caracterizado por uma grande dor em uma ou mais partes do corpo. A dor intensa do pode despertar você de noite e até mesmo dificultar a caminhada, sendo uma dor repentina e aguda, que dura de alguns segundos a 15 minutos.

De uma maneira geral, o espasmo serve para proteger uma estutura, como: ligamentos, nervos, disco, etc, que podem sofrer algum tipo de pressão ou stress mecânico.

Os espasmos dos músculos esqueléticos são mais comuns e ocorrem frequentemente devido ao uso excessivo, fadiga muscular, desidratação e anormalidades eletrolíticas.

O responsável por essa contração é o cérebro, que envia comandos para os músculos, com o objetivo de prevenir complicações, chegando até mesmo à travar a região muscular, como acontece muito na área próxima à coluna por exemplo.

Sintomas do espasmo muscular

Os espasmos podem afetar muitos tipos diferentes de músculos no corpo, levando consequentemente a sintomas diferenciados. Por isso é importante sempre ter um acompanhamento médico, procurando possíveis causas subjacentes.

Músculos lisos que estão dentro das paredes de órgãos ocos (como o cólon) podem entrar em espasmo, causando dor significativa. Muitas vezes essa dor é uma cólica, o que significa que ela vem e vai, como a do período menstrual. Essa sensação pode se assemelhar também a dor de: diarreia, dor na vesícula biliar e a passagem de uma pedra nos rins.

Uma forma especial de espasmos musculares são as distonias, onde uma anormalidade talvez exista com as substâncias químicas, que ajudam a transmitir sinais dentro do cérebro. Exemplos incluem: torcicolo e blefarospasmo.

Saudável responde

3 principais dúvidas dos leitores Saudável e Feliz, respondidas pelo Dr. Helder Rocha:

1. Existe algum tipo de cirurgia para os espasmos musculares?

Em casos de pessoas que possuem lesão neurológica na coluna ou não praticam exercícios físicos regularmente, o espasmo muscular pode ser desencadeado, por causa da falta de oxigenação nos músculos.

Existe sim cirurgia, mas é necessário uma avaliação médica, porque isso varia de acordo com o caso.

2. A neuromiopatia causa fraqueza no membro afetado?

A neuromiopatia é uma doença muscular causada por uma alteração neurológica, e ela pode sim gerar fraqueza e espasmos.

3. É normal sentir espasmos depois da academia?

A dor após o exercício é um tipo de lesão muscular, onde se “exigiu” demais da musculatura, por ser contraída ou esticada demais. Isso pode ser resolvido com alongamento, aquecimento, hidratação e alimentação saudável.

reposicao-hormonal

Tratamento

Do espasmo músculo esquelético

  • Toxina botulínica: desde 1985 é usada para o controle de espasmos musculares faciais, seja para os movimentos involuntários persistentes (tônicos) ou seguidos de relaxamento (clônicos), sendo aplicada direto no músculo afetado;
  • Digitopressão: a técnica vem da medicina tradicional chinesa e consiste em pressionar a musculatura para aliviar as dores. O tratamento é indicado para diversos tipos de dor, como as de cabeça e de coluna, e se mostra bastante efetiva no alívio das contrações musculares involuntárias;
  • Ultrassom contínuo: emite ondas sonoras de alta frequência através da pele, penetrando profundamente o tecido e produzindo calor na musculatura afetada, favorecendo o fluxo de sangue e reduzindo consequentemente os espasmos musculares. Além disso, se houver lesão das fibras, o músculo acaba tendo uma recuperação acelerada;
  • Fisioterapia: recomenda-se para pacientes que possuem dor ou têm altas chances de desenvolverem lesão muscular, pois este tratamento trabalha o relaxamento, fortalecimento e reabilitação do músculo;
  • Acupuntura: envolve o relaxamento da musculatura e o alívio das sensações de enrijecimento e dor. Além disso, a acupuntura é usada para melhorar quadros emocionais, favorecendo a diminuição da ansiedade e do stress, que podem levar a espasmos;
  • Liberação miofascial: é uma técnica voltada ao alongamento muscular com o intuito de reduzir as tensões regionais, amenizando a rigidez, melhorando a mobilidade, aumentando a circulação do sangue e diminuindo dores. Basicamente, são aplicadas pressões na pele, a fim de inibir a dor. O procedimento pode ser feito inclusive pelo próprio atleta, desde que haja conhecimento sobre pontos específicos e a força que deve ser exercida;
  • Quiropraxia: a quiropraxia pode diminuir e prevenir dores, principalmente nas costas. A prática trabalha com a reeducação e adequação da postura, ajuste manual do desalinhamento da coluna, estímulo muscular, estímulo elétrico nervoso transcutâneo (TENS), alongamentos e exercícios.

Do espasmo músculo liso

espasmo-muscular
espasmo muscular

Podem ser usadas compressas quentes e repouso do paciente, como é geralmente indicado para quem sofre com cólicas menstruais intensas. Em casos mais intensos, também pode-se utilizar relaxantes musculares e remédios para bloquear a dor.

Lembre-se, acompanhamento médico é a melhor solução para cessar de vez o problema e não só maquiar.

Sofre com o espasmo muscular? Conte-nos! Deixe seu depoimento aqui no Saudável e Feliz.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui