Para que serve a vesícula?

Compartilhe
para-que-serve-a-vesícula
para que serve a vesícula

Muitas pessoas só ouvem falar deste órgão quando ele tem um problema, e não sabem sua verdadeira função, mas e você, sabe para que serve a vesícula? Descubra!

Para que serve a vesícula?

A função da vesícula é armazenar a bile produzida pelo fígado. Essa bile é como um sabão que dilui a adiposidade, ou seja, ela é enviada ao duodeno, onde ela será misturada com a gordura, promovendo a digestão.

Por ser um órgão apenas de reservatório da bile, ela pode ser removida em caso de problema.

Alterações mais comuns na vesícula

1. Colecistite

Consiste numa inflamação da vesícula biliar, e de acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein:

“A colecistite costuma ser causada por pedras que obstruem o tubo que vai da vesícula biliar para o intestino delgado. Os sintomas incluem dor intensa na parte superior direita da barriga e inchaço. O tratamento inclui internação e remoção cirúrgica.”

2. Colelitíase

É a famosa pedra na vesícula, causada por pequenos depósitos de fluidos resultantes da digestão, podendo variar de tamanho e quantidade.

A vesícula só tem capacidade de armazenamento de 600 ml de bile por dia, por causa de sua absorção. Ela suga água e eletrólitos, concentrando a bile de 5 a 10 vezes. Essa concentração pode fazer com que a solução do cálcio e do colesterol sejam afetadas, causando cálculos (pedras).

A colelitíase pode não provocar sintomas, mas quando demonstra sinais, os mais comuns envolvem: dores abdominais, indigestão, vômitos, náusea, cólicas ou desconfortos.

Seu tratamento pode ser através de mudanças nos hábitos alimentares ou cirurgias, dependendo do caso.

3. Colangite esclerosante

A CEP (Colangite Esclerosante Primária) é uma patologia crônica no fígado, gerada por cicatrização e inflamação frequentes das vias biliares (dutos que conectam o fígado à vesícula). Essas inflamações impedem que a bile circule normalmente para o intestino, podendo evoluir até mesmo para a cirrose, insuficiência e câncer.

O Hepcentro aponta como estatísticas de sintomas no início da doença:

  • fadiga – 75%;
  • coceira – 60%;
  • febre – 20%;
  • colangite (febre + dor + icterícia) – 10%;
  • aumento do fígado – 50%;
  • aumento do baço – 30%;
  • hiperpigmentação da pele – 25%;
  • xantomas (tumores benignos) – 5%;
  • sem sintomas – 25%.

Especialistas creem que a doença é causada como uma resposta inflamatória, sendo autoimune, e o tratamento eficaz e permanente é o transplante de fígado.

4. Gangrena ou abscessos

O abscesso é como um saco de pus que pode se armazenar em órgãos, tecidos ou espaços dentro de nosso corpo. Já a gangrena representa a morte de algum tecido corporal. Quando um destes problemas ocorre na vesícula biliar, prejudica o bom funcionamento na região.

No caso de abscesso, os sintomas incluem: pus, inchaço ou sensibilidade, e requer um tratamento através de abertura no corpo, para retirar os fluidos.

Já na gangrena, pode-se apresentar pele azulada por má circulação, úlceras, febre, pressão baixa, diminuição na sensação de tato, inchaço, pus ou secreção e exige cuidados emergenciais, através de antibióticos e retirada de tecido morto.

Além dos fatores apontados acima, alguns outros problemas também afetam o bom funcionamento da vesícula biliar, como:

  • doença da vesícula biliar de cálculos crônicos (que ocorre pois os movimentos normais, feitos para o esvaziamento da vesícula, não ocorrem de forma correta);
  • formação de pólipos (tecidos) na vesícula;
  • defeitos congênitos (desde o nascimento) na vesícula biliar;
  • tumores da vesícula e do ducto.

Pessoas mais afetadas

Existem alguns grupos mais propensos à desenvolver pedra na vesícula, sendo conhecidos como os 5 Fs, de acordo com indicadores americanos, sendo:

  1. female (fêmea) – por atingir muito mais mulheres do que homens (proporção de 3 para 1, por causa das alterações hormonais femininas);
  2. fertile (fértil) – em idade fértil;
  3. forty (quarenta) – com mais de 40 anos de idade;
  4. fat (obeso) – já que afeta muito pessoas acima do peso;
  5. fair (branco) – atinge em maior parte a população caucasiana.

Outro ponto muito importante o fator hereditário. Se houveram casos de outras gerações da família com o problema, isso pode ser passado, sendo uma predisposição genética.

Como evitar problemas na vesícula?

A alimentação saudável previne problemas na vesícula e isso reflete nas estatísticas. No Brasil, 10 a 15% das pessoas possuem problemas de pedra na vesícula, de acordo com o cirurgião Pablo Hübner. O aumento significativo de pessoas com esta doença se associa à outro fator preocupante, a obesidade.

Dados da OMS indicam que 1,9 bilhões de pacientes no mundo estão acima do peso, e desse número, 600 milhões são obesos. A previsão é que em 2025 2,3 bilhões de pessoas estarão com peso elevado, logo, a tendência é que casos de pedra na vesícula aumentem.

Gostou de descobrir para que serve a vesícula? Já teve problema nela? Mudou seus hábitos após o tratamento? Deixe sua história aqui no Saudável e Feliz.

reposicao-hormonal

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui