Intoxicação alimentar

Compartilhe

O que desencadeia uma intoxicação alimentar? Às vezes comemos alguns alimentos e não tomamos as devidas precauções em relação à higiene, ou então realizamos as nossas refeições em locais que não sabemos muito bem quais são as providencias em relação ao controle sanitário, e com isso, o pior pode acontecer conosco. Sim, podemos ser acometidos por um mal-estar gastrintestinal que causará muito desconforto e que impactará em nossas rotinas – ocorrendo até mesmo uma internação emergencial.

Uma intoxicação alimentar é resultante da ingestão de água ou de um alimento que esteja contaminado. A contaminação ocorre por intermédio de um micro-organismo, ou por componentes tóxicos que entram em contato no momento do preparo, na manipulação, conservação e/ou armazenamento. Todo o cuidado é necessário, pois em alguns casos pode ser muito grave.

Quem são os agentes contaminadores?

Micro-organismos

Eles são extremamente pequenos, sendo impossível enxergá-los a olho nu, ou seja, podemos ingeri-los e não termos noção do mal que estamos fazendo para o nosso corpo. Portanto, todo cuidado e zelo são indispensáveis. Os agentes contaminadores são:

  • Bactérias;
  • Vírus;
  • Fungos.

Esses seres minúsculos podem liberar toxinas que irão afetar os nossos aparelhos digestivos. Duas bactérias são as mais conhecidas pelo processo de infecção são elas a  Salmonela e a Staphilococus.

reposicao-hormonal

Vegetais “venenosos”

Em muitas casas brasileiras é muito comum ter um pé de comigo-ninguém-pode, é uma planta muito apreciada pela população, todavia, ela pode desencadear uma intoxicação alimentar, principalmente nas crianças que podem colocá-la na boca.

A mandioca brava também é a algoz do infortúnio, entretanto, os índios driblaram o dissabor e fazem pratos tendo como ingrediente básico a raiz tóxica.

Produtos químicos

Os produtos químicos também são os protagonistas da intoxicação alimentar, entretanto, é mais fácil identificar quando algum desses agentes entrou em contato com os alimentos.

Diagnóstico

O diagnóstico se dá pela análise dos sintomas da pessoa. O especialista pode solicitar um exame clínico das fezes para identificar qual é o micro-organismo que está impactando e causando a infecção. Talvez seja necessário avaliar se outros membros da família estão apresentando os mesmo sinais (intoxicação coletiva), para descobrir qual o alimento que todos comeram em comum que está desencadeando o mal-estar.

Prevenção

Falar da prevenção da intoxicação alimentar perpassa pelo saneamento básico, bem como, pela higiene do corpo e do alimento. Atitudes básicas como lavar as mãos antes das refeições, após usar o banheiro e cuidar do armazenamento dos alimentos são fundamentais. Ao comprar vegetais, legumes e frutas, não se esqueça da higienização, assim como, das carnes também.

intoxicacao-alimentar
Tabela de recomendações contra a intoxicação alimentar.

Avalie as condições de limpeza da caixa d’água e do filtro de água, assegure-se que os mesmo estão extremamente conservados e não apresentam nenhuma irregularidade.

Sintomas

Os sinais corpóreos mais frequentes são:

O tratamento para a intoxicação alimentar

Basicamente os médicos irão recomendar repouso e a ingestão de muita água. Para os quadros mais graves a internação a e prescrição de medicamentos para controlar e/ou combater o cenário serão necessários.

Todo o cuidado é bem-vindo com o assunto é alimentação! Você já teve uma intoxicação alimentar? Qual foram as ações tomadas para combater a doença? Deixe o seu comentário. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui