PANCs (Planta Alimentícia Não-Convencional): o que são e como elas podem ajudar nos ciclos femininos?

Compartilhe
Conheça as PANC's, Plantas Alimentícias Não-Convencionais, um tratamento alternativo rico em nutrientes que pode fazer a diferença na saúde.
Conheça as PANC's, Plantas Alimentícias Não-Convencionais, um tratamento alternativo rico em nutrientes que pode fazer a diferença na saúde.

O corpo feminino possui necessidades especiais de cuidado com a nutrição, já que, para o funcionamento do útero, precisamos produzir maior quantidade de sangue. Além disso, sofremos com diversas alterações hormonais que, muitas vezes, são tratadas com medicações danosas ao corpo. Em função disso, diversas pessoas recorrem a tratamentos alternativos. Dentre as novas possibilidades, estão as PANC’s, ou Plantas Alimentícias Não-Convencionais.

Está curiosa para descobrir quais são os benefícios propiciados por estas plantas? Continue a leitura!

O que é uma PANC?

Uma série de plantas nativas, exóticas ou tidas como “mato” guardam em si uma série de propriedades medicinais e nutricionais ainda não exploradas. Algumas delas são até bem conhecidas, como a bananeira. Porém, seus rizomas, sementes e folhas são prontamente descartados, como se não tivessem qualquer utilidade.

As Plantas Alimentícias Não-Convencionais, ou PANC’s, têm sido estudadas por suas qualidades benéficas, e trazem um novo horizonte para pessoas que desejam ir além do conservadorismo na dieta. Elas podem ser usadas para complementação alimentar, diversificação dos cardápios, nutrientes ingeridos e para diversificação das fontes de renda das famílias. Dentre as PANC’s, estão a capuchinha, a parte aérea do trevo, o picão-branco, a urtiga mansa, o caule da pitaia, as folhas da abóbora e da batata-doce.

No Brasil, estima-se que tenhamos mais de 10 mil tipos de PANC’s. No mundo, essas plantas atingem 50 mil espécies. Porém, são perdidas, anualmente, de uma a duas toneladas destas plantas por hectare — em alguns locais, a quantidade chega a sete toneladas por hectare. Em um mundo onde ainda precisamos resolver a questão da fome e da miséria, trata-se de um grande desperdício de nutrientes e de princípios ativos para medicamentos. Afinal, uma das características das PANC’s é que elas nascem facilmente, crescem rápido e não necessitam de tecnologia avançada para cultivo, dispensando o uso de agrotóxicos.

O universo da alimentação com presença de PANC’s exige ousadia, cautela e muitas informações. Workshops e oficinas têm se espalhado em todo o país, auxiliando interessados a terem informações mais seguras a respeito das propriedades das plantas, e são altamente indicadas para quem ainda está se aventurando neste novo mundo de sabores.

Veja, a seguir, 6 exemplos de PANC’s que podem auxiliar na saúde da mulher:

Onze horas

A planta conhecida como onze horas possui uma variedade PANC’s, com folhas achatadas, cujos talos e folhas são comestíveis. Esta variedade, chamada “Portulaca umbraticola”, é rica em ômega-3, vitamina A, vitaminas do com B, C e sais minerais, como manganês, magnésio, cálcio e ferro. Além dos benefícios à saúde da mulher, traz benefícios ao solo, ajudando a reter a umidade. A ornamental, porém, não deve ser consumida.

Coração de bananeira ou mangará

Achou que íamos falar da banana, certo? A questão é que, na bananeira, nós somente aproveitamos as frutas maduras. O coração e o umbigo, por outro lado, são desprezados como alimentos, transformando-se em lixo orgânico. Entretanto, tais partes carregam diversos nutrientes. O coração, por exemplo, é rico em carboidratos, proteínas, tem baixo teor calórico, de lipídeos e é uma importante fonte de fibras e minerais.

Com sabores tânicos, rendem receitas saborosas, como na criação de Claudia Mattos, do Zym Café:

Caponata de Coração de Banana Verde

Ingredientes:

  • 2 cenouras bem raladas;
  • 4 cebolas picadas;
  • Meia xícara de vinho branco seco;
  • 1 colher (chá) de sal marinho;
  • Meia xícara de uva-passa sem semente;
  • Meia xícara de azeite de oliva;
  • 3 ramos de orégano bem picado;
  • Meio maço de salsa, bem picada;
  • 1 coração de banana verde picado.

Modo de preparo: com luvas nas mãos, corte as folhas do coração de banana verde em tiras finas e deixe de molho na água com limão antes e depois de picar. Em seguida, retire as tiras da água com limão, escorra e ferva as tirinhas por 5 minutos. Coe e reserve. Em uma panela separada, doure as cebolas com cenoura ralada, acrescente uva passa, sal e vinho. Cubra os ingredientes com azeite. Acrescente as tirinhas de coração cozidas, uma pitada de sal e deixe no forno por mais um curto prazo de tempo. Acrescente o orégano e a salsa e deixe esfriar. Você pode servir a caponata com pão ou usá-la para temperar farofa, macarrão ou arroz.

Serralha

A serralha é excelente para quem possui problemas digestivos, já que ela facilita a digestão. Rica em vitaminas A,B e C, bem como ferro e cálcio, ela também estimula o fígado e a vesícula.

Língua de vaca

A língua de vaca deve ser preparada como a couve, sendo que o fio central pode ser retirado para que a salada fique mais macia. É rica em potássio, ferro, fósforo, cálcio e vitaminas, sendo de fácil plantio, já que se adapta a todo tipo de solo.

Maxixe

Usado em maxixadas, nos escaldados, cozidos, drinques e sucos, o maxixe lembra o pepino, sendo ele da mesma família da melancia, chuchu e melão. A Planta trepadeira tem gavinhas para encontrar um suporte, e as folhas lembram a da melancia.

No Nordeste, ele é comercializado amarrado pelo que se chama de “rabo”. A maioria dos frutos tem a casca fina com espinhos macios, como uma mamona, e apesar de ser comestível, geralmente é removida na preparação de pratos. Não é preciso tirar toda a casca no preparo, e as sementes também não incomodam. O maxixe pode ser encontrado em mercados e feiras nas estações mais quentes. Opte pelos maxixes menores e firmes.

Chá para menopausa

Com folha de tanchagem, amora e anis-estrelado, este chá ajuda no alívio dos calores intensos, irritabilidade, cansaço e sono frágil. Use uma colher de chá de cada erva e misture. Se as folhas estiverem frescas, use duas colheres de casa. Deixe em infusão por dois minutos e tome ainda quente. Evite a adição de açúcar.

reposicao-hormonal

Como cultivar PANC’s?

As PANC’s, como qualquer planta, precisam de uma boa avaliação sobre o solo, a iluminação e outros fatores locais para serem cultivadas. A maioria delas se adapta bem a diversos tipos de solo e não necessitam de adubação ou uso de agrotóxicos. Consulte um especialista para verificar quais plantas podem trazer maiores benefícios à sua saúde e verifique a possibilidade de cultivo.

Plantas sem atrativos visuais e sem perfume, tidas como mato, podem possuir diversas propriedades nutricionais e medicinais. Procure por oficinas, cursos e especialistas e explore o potencial de seu jardim!

E você, conhece uma PANC ou deseja aproveitar o potencial destas plantinhas preciosas? Se você gostou de nossas dicas, aproveite para ler também sobre tratamentos alternativos para menopausa.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email