Rinite: por que este problema nos faz espirrar tanto?

Compartilhe
rinite

Olhos vermelhos, nariz escorrendo e coçando, além daquele “espirra espirra”. Até quem vê de fora já consegue notar: são sintomas da rinite! Veja porque ela apresenta todos esses sinais no corpo e como reduzir estes incômodos.

O que é rinite?

O nariz é a parte externa do sistema respiratório, sendo a principal via de passagem de oxigênio para dentro dos pulmões. Junto com o ar, também são inaladas pela mucosa nasal algumas pequenas partículas estranhas, chamadas de alérgenos.

A rinite nada mais é do que uma reação exagerada do sistema imunológico à essas nanopartículas alérgenas, causando inflamações na mucosa nasal, além de afetar também olhos, garganta, céu da boca, pele e ouvido, através da liberação de histamina e mediadores químicos pelo corpo.

“Existe ainda uma questão genética relacionada às alergias. Quando ambos os pais sofrem com rinite, a chance de que os filhos também tenham o problema chega a 50%.”

— Dr. Juliano Pimentel

Mesmo que nenhum dos pais apresente alergia, o filho ainda assim pode apresentar manifestações alérgicas, como: rinite, conjuntivite, asma e dermatites. A forma mais comum, porém, é a rinite.

Normalmente, pessoas com asma, dermatite e conjuntivite alérgica possuem maior propensão à rinite.

Os principais fatores que desencadeiam o problema são: alergia à poeira, ácaros, descamação da pele dos animais ou pelo dos mesmos, pólen de árvores ou flores, poluição e fumaça.

Além disso, a alergia à certos alimentos, como: ovo, frutos do mar, ou os que contém glúten por exemplo, também podem criar reações corporais que levem à rinite.

10% a 25% das pessoas sofrem de rinite alérgica.

Rinite não alérgica

Além do principal tipo de rinite apresentada acima, a alérgica, 1/3 das pessoas também sofre com o gênero não alérgico, que se diferencia por não envolver necessariamente uma resposta do sistema imunológico à alergias.

Esta é causada por expansão dos vasos sanguíneos nasais (dilatação), enchendo o forro nasal com fluidos e sangue, deixando o nariz inchado e congestionado.

Normalmente, alguns fatores propiciam a “crise” deste tipo de rinite, como:

  • ambientais: mudança de temperatura, umidade do ar (como o ar condicionado por exemplo, que pode ressecar as vias nasais) e fumo passivo;
  • ocupacionais: odores fortes, perfumes e vapores químicos;
  • alimentos: a ingestão de alimentos quentes ou picantes pode causar reações de rinite, além disso, o consumo de bebidas alcoólicas também pode fazer com que as membranas dentro de seu nariz inche, causando congestão nasal;
  • certos medicamentos: o uso excessivo de sprays nasais descongestionantes pode ter efeito contrário, causando rinite medicamentosa;
  • alterações hormonais: oscilações nos hormônios devido à gravidez, uso de contraceptivos, hipotireoidismo ou  menstruação podem causar rinite não alérgica;
  • stress: emocional ou físico, o stress pode causar rinite não alérgica em algumas pessoas.

Sintomas mais comuns da rinite

  • nariz avermelhado, escorrendo ou coçando;
  • espirros;
  • olhos avermelhados, ardendo ou inchados;
  • “coceira” na garganta;
  • ouvidos tampados ou com ruído.

Tratamento para rinite

rinite
tratamento para rinite

O tratamento para esta doença pode se iniciar com cuidados simples no dia a dia, como:

  • limpar diariamente as passagens nasais através de irrigação, ou seja, utilizando solução de água salgada;
  • evite deixar janelas abertas na primavera;
  • mantenha a casa higienizada, evitando o acúmulo de pó nos objetos;
  • elimine a umidade;
  • evite animais de estimação com pelo;
  • use capas antialérgicas nos travesseiros e colchões;
  • evite o uso de pisos do tipo tacos de madeira.

Tratamento por medicação

Existem dois grupos de medicamentos mais utilizados nos casos de rinite. Um tipo funciona preventivamente e outro apenas trabalha o alívio dos sintomas. Do ponto de vista farmacológico, usa-se: descongestionantes, corticosteroides, anti-histamínicos e estabilizadores de membranas.

Lembre-se, é importante só utilizar os remédios com recomendação médica!

Vacinas antialérgicas

“Quando o tratamento feito nestas condições (higiene ambiental e medicamentos) falha, pode-se associar o uso de vacinas antialérgicas. Esse tratamento é longo, porém, quando feito corretamente, diminuí a sensibilidade do doente àquela substância ao qual era alérgico. Muitas vezes, chegamos ao ponto em que não há mais necessidade do uso de medicamentos.”

— Dr. Drauzio Varella

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente o tratamento de imunoterapia, mas ainda sim, a maior oferta se encontra em clínicas particulares.

Sofre com a rinite? Vive espirrando também? Alguma situação específica faz com que ela apareça? Conte-nos! Deixe seu depoimentos aqui no Saudável e Feliz.

reposicao-hormonal

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui