Ultrassom da mama – quando deve ser feito, diagnóstico e principais cuidados!

Compartilhe
ultrassom-da-mama
Ultrassom da mama

A ultrassonografia de mama é um dos exames que é feito para checar a saúde das mamas, e normalmente é indicado pelo ginecologista ou pelo mastologista. Essa recomendação é necessária depois que o médico sentir que tem algum caroço ou nódulo, durante a palpação da mama. Os médicos optaram em utilizar o ultrassom da mama em lesões em tecidos mais densos, ou em mulheres que já tem histórico familiar em câncer de mama. Lembrando que mulheres gestantes devem fazer o ultrassom da mama pois elas não podem se expor aos raio-x, que é o caso da mamografia.

Qual a diferença entre eles?

Ultrassom da mama

Como falamos anteriormente o ultrassom da mama é um exame feito para checar a saúde das mamas, principalmente nos casos onde pode haver um possível diagnóstico de câncer de mama. Mas para obter um resultado preciso, apenas a ultrassonografia mamária não é suficiente. Ela deve ser feita juntamente da mamografia.

Mamografia

Já a mamografia é um exame realizado principalmente para obter o diagnóstico do câncer de mama, pois ela é capaz de identificar lesões em mamas menos densas. Normalmente é realizado em mulheres a partir dos 40 anos. Existem 2 tipos de mamografia, sendo elas:

  • Mamografia convencional: é usado um tipo de filme que após a exposição da mama ao raio-X deve ser processado. A imagem é registrada no próprio filme, mas caso dê algum problema técnico, ele deverá ser refeito
  • Mamografia digital: um detector é usado, e ele transforma o raio-X em sinal elétrico, passando a mensagem para o computador. Comparado a mamografia convencional, a digital oferece algumas vantagens a mais. Como por exemplo a imagem mamográfica, que pode ser registrada e recuperada nos aparelhos eletrônicos, e ainda permite que o radiologista ajuste as imagens no próprio monitor da estação de trabalho, destacando ou ampliando alguma região, para realizar uma análise melhor. E também existem softwares, que auxiliam na detecção de lesões.

Quando o ultrassom da mama é indicado?

O ultrassom da mama pode ser indicado em dois casos, primeiro em pacientes jovens ou que tenham as mamas radiologicamente mais densas, pois nesses casos a quantidade de tecido fibroglandular pode causar alterações nos nódulos. E em segundo, nos casos onde serve como complemento para a mamografia, para o diagnóstico de câncer de mama.

Como é feito esse exame?

Durante o exame a paciente permanece deitada numa maca, sem camisa e sutiã, e assim o médico inicia o procedimento passando o aparelho de ultrassonografia sob as mamas com o auxílio de um gel. O aparelho usado nesse exame é o mesmo que é usado no ultrassom abdominal, ou gestacional. Assim que o aparelho de ultrassonografia mamária entrar em contato com os seios, o médico irá deslizar o equipamento pelas mamas e acompanhará através da tela do computador se existem alterações que pode vir a ser um câncer de mama.

Diferente da mamografia, a ultrassonografia não é um exame dolorido e não é desconfortável. Porém, ele não é o suficiente para diagnosticar um câncer de mama precoce. Por isso ele deve ser realizado em conjunto a mamografia.

Quais resultados o exame pode me dar?

O exame pode apresentar alterações, sejam elas lesões ou nódulos. A ultrassonografia também consegue informar se o formato do nódulo é arredondado, sólido ou oco. Essas informações podem fazer toda diferença na hora de realizar o diagnóstico, pois o médico consegue dar um resultado mais preciso sobre um possível tumor maligno ou benigno. Assim o médico consegue indicar o melhor tratamento para você. O resultado em si pode ser descrito de acordo com a classificação Bi-RARDS, e pode variar com as seguintes classificações:

  • Categoria 0 – o resultado mostra uma avaliação incompleta, assim outro exame deverá ser realizado para detectar outras alterações. Normalmente a mamografia é recomendada.
  • Categoria 1 – resultado negativo, não mostra alterações, nesse caso é necessário manter o acompanhamento de rotina.
  • Categoria 2 – alterações benignas, ou seja, cistos simples, implantes ou quaisquer alteração pós-cirúrgica. Pode apresentar nódulos sólidos e benignos.
  • Categoria 3 – Algumas alterações foram encontradas, e provavelmente são benignas, assim o exame deve ser realizado novamente de 6 em 6 meses. O resultado pode ter mostrado nódulos que podem ser um fibroadenoma ou cistos complexos. Corre um risco de se tornar maligno de até 2%.
  • Categoria 4 – Houve alterações suspeitas, uma biópsia deve ser feita, podem ser nódulos sólidos, porém não mostra características de benignidade. O exame deve ser realizado novamente para obter um diagnóstico mais preciso.
  • Categoria 5 – Há grandes alterações, e grandes chances de ser maligno, uma biópsia deverá ser realizada.
  • Categoria 6 – Há confirmação do câncer de mama, deverá ser encaminhada para o tratamento, podendo levar a quimioterapia ou cirurgia.
Ultrassom da mama

Quais os principais cuidados para quem vai realizar a ultrassonografia?

Antes de realizar a ultrassonografia da mama alguns cuidados, ou procedimentos devem ser feitos, são eles:

  • Autoexame – é importante que você realize o autoexame antes de realizar o procedimento, dessa forma você conhecerá melhor seu corpo, e além disso terá mais conhecimento sobre o diagnóstico final.
  • Normalmente os médicos indicam que o procedimento seja realizado, depois do fim do período menstrual. Essa recomendação surgiu a partir de que os seios ficam mais sensíveis e doloridos durante o ciclo.
  • Passe obrigatoriamente pelo menos uma vez por ano no seu ginecologista, primeiro para realizar os exames de rotina e manter sua saúde ginecológica em dia, ou caso sinta alguma alteração durante o autoexame.
  • Faça anualmente a mamografia a partir dos 30 anos.

Você já realizou a ultrassonografia mamária? Compartilhe sua experiência conosco, logo abaixo nos comentários, nós queremos saber!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui