Gonorreia – transmissão, principais sintomas e tratamentos!

Compartilhe
gonococo
A bactéria Neisseria gonorrhoeae, ou Gonococo é a responsável pela transmissão da gonorreia.

A blenorragia, ou gonorreia, é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns, e é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, ou Gonococo. Essa bactéria prejudica principalmente a uretra, que é o principal canal que liga a bexiga, ao lado externo. Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostra que a cada ano 78 milhões de pessoas são infectadas pela gonorreia.

Como ocorre a transmissão da bactéria?

A gonorreia é transmitida na maioria das vezes por relações sexuais desprotegidas, pode ser oral, vaginal, ou anal. Tanto homens quanto mulheres podem contrair a bactéria. Se você mantém relações sexuais com um portador da bactéria, em casos de sexo anal e sexo oral, a bactéria pode ser levada para região anal ou da orofaringe. Mas em alguns casos ela também pode ser transmitida de mãe para filho, no momento do parto.

Sintomas da gonorreia

Os sintomas começam a aparecer normalmente 24 horas depois de ter tido relações sexuais desprotegidas. Quando a bactéria se instala no canal da uretra, você pode sentir inflamação, dores, ou ardência ao urinar, e saída de pus da uretra.

Veja acima, como é o funcionamento dos rins, bexiga, e uretra.

Mais da metade das mulheres que contraem a bactéria, a doença pode ser assintomática, ou seja, não apresenta sintomas. Já os homens podem apresentar ardor e vermelhidão na região do pênis, secreção purulenta, e vontade de urinar a todo momento, como se a bexiga nunca estivesse vazia por completo.

Como reconhecer a gonorreia em mulheres?

Por ser uma doença assintomática, em torno de 60% das mulheres que contraem a bactéria, a gonorreia é difícil de ser reconhecida, pois não provoca dores na uretra, a secreção purulenta pode ser confundida facilmente, com uma secreção vaginal, e o odor desagradável pode ser semelhante ao da clamídia. Então o aconselhável é perguntar se o parceiro sexual da sua ultima relação desprotegida, sente algum sintoma. Em caso de dúvidas é aconselhável que você procure seu médico para que ele possa realizar um diagnóstico completo através de exames laboratoriais.

Quais são os riscos?

Essa bactéria pode se disseminar pela corrente sanguínea, infectar o canal da uretra, e prejudicar outras regiões do corpo. Se entrar e contato com sangue ou sêmen, nos olhos, nariz, boca, e feridas expostas, a bactéria pode trazer fatores de risco, veja quais são:

  • Ânus – pode apresentar sangramento na região anal, além de pus e coceira;
  • Olhos – apresenta sensibilidade a luz, dores, e saída de pus, em um, ou nos dois olhos;
  • Articulações – pode causar dores, inflamações e inchaço pelas grandes articulações pelo corpo, como cotovelos, tornozelos, e principalmente joelhos;
  • Pele – pode apresentar vermelhidão e feridas;
  • Garganta – alteração na voz, dificuldade para engolir e presença de pus na garganta.
região-orofaringe
Veja acima o que pode acontecer caso entre em contato com sangue ou sêmen infectado pela bactéria.

Se não tratada a gonorreia pode afetar outros órgãos. No caso dos homens, a infecção pode atingir os testículos, e causar infertilidade. E nas mulheres, a gonorreia pode ser estender até o útero, as tubas uterinas, e chegar nos ovários onde podem causar inflamação, causando infertilidade, e em 15 dias o quadro de uretrite evolui para a doença inflamatória da pélvis.

Qual a ligação da gonorreia e da AIDS?

Por se disseminar facilmente na corrente sanguínea, uma vez que a pessoa contrair a bactéria gonococo, pode ter mais chances de contrair o HIV, vírus da aids.

Como faço para me prevenir da gonorreia?

A principal forma de prevenção contra a gonorreia é evitar relações sexuais com pessoas que foram diagnosticas com a doença, até que seja tratada por completo. O uso de preservativos nas relações sexuais, é indispensável, dessa forma você evita que seja contagiada pela bactéria gonococo.

Como é feito o tratamento da gonorreia?

O tratamento da gonorreia é feito com a ajuda de antibióticos, o mais usado era a penicilina benzatina. Porém por conta da automedicação excessiva os micro-organismos bacterianos são resistentes aos agentes desse antibiótico. 

“As bactérias que causam gonorreia são particularmente inteligentes. Toda vez que usamos uma nova classe de antibióticos para tratar a infecção, as bactérias evoluem para resistir a eles.”

– Teodora Wi, médica da área de reprodução humana, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Atualmente a azitromicina e a ceftriaxona são os remédios mais recomendados para o tratamento de gonorreia. Mas os médicos têm recorridos a doses únicas, e assistidas, ou seja, são tomadas na hora, na frente do mesmo. O tratamento é o mesmo para ambos os sexos, e a taxa de sucesso a partir desse tratamento é de 99%. Você pode encontrar o remédio gratuitamente nos postos de saúdes públicos do seu município.

Em casos de gonorreia durante a gravidez, é necessário procurar um médico o mais rápido possível, apenas ele pode oferecer um tratamento adequado, e que não haja riscos para a mãe e o filho. E se não tratada pode trazer a perda dos olhos, e atingir a massa encefálica. Pode causa a meningocefalite e levar a criança ao óbito.

reposicao-hormonal

Agora sabe, a principal forma de prevenção é o uso de preservativos. Gostou do post? Comente abaixo!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui