Bactérias super desenvolvidas: as inimigas que nós fortalecemos!

Compartilhe
bacterias-super-desenvolvidas
Elas já são os pesadelos dos médicos, pois se tornaram resistentes e diminuiriam os recursos capazes de eliminá-las de nossos organismos.

Você sabe o que são bactérias super desenvolvidas? As bactérias super desenvolvidas são organismos que ao longo dos anos adquiriram a capacidade de resistir à ação de combate de muitos medicamentos, com isso, a equipe médica fica sem muita opção de recursos para combater as infecções causadas por elas.

reposicao-hormonal

 

“Grande parte destas superbactérias surgiu em função do uso de antibióticos de forma incorreta, indiscriminada ou sem prescrição e acompanhamento de um médico. Com o passar do tempo, muitas bactérias foram ganhando resistência aos antibióticos. Isso acontece, pois muitas pessoas interrompem o tratamento antes do prescrito pelo médico. Nestes casos, as bactérias não são eliminadas e ganham resistência ao medicamento (antibiótico).”

-Portal de Pesquisas Temáticas e Educacionais.

Por que elas são resistentes?

Assim como qualquer outro ser vivo em nosso planeta terra, as bactérias super desenvolvidas sofreram mutações com o objetivo de se adaptar ao habitat até então hostil em que elas viviam. O problema é que essa adaptação ocorreu rápido de mais, e os responsáveis por essa aceleração de evolução, somos nós humanos.

Somos os algozes de nossas próprias enfermidades. Pois fomos negligentes para com os antibióticos que até então eram eficazes no combate das bactérias, todavia, o consumo indevido fez com que esses organismos ficassem mais fortes.

“As bactérias sofrem alterações genéticas como mutações cromossômicas, transferência de plasmídeos ou por elementos de transposição que as tornam resistentes a determinados antibióticos. Pelo fato dos antimicrobianos possuírem diferentes mecanismos de ação, as bactérias desenvolveram diferentes mecanismos de resistência. Geralmente, a resistência bacteriana aos antibióticos é devido a três fatores: uma mudança na permeabilidade de sua membrana celular, dificultando a entrada do antibiótico na célula; desenvolvimento da capacidade de degradar ou inativar o antimicrobiano; ou uma mutação que altera a estrutura do alvo de um antibiótico de modo que o novo alvo da bactéria não seja mais afetado. Os antibióticos eliminam as bactérias sensíveis a ele, entretanto as que sobrevivem transmitem para as próximas gerações os genes de resistência até criar uma bactéria super-resistente.”

-Samira Pirola Santos Mantilla, Doutora em Higiene Veterinária e Processamento Tecnológico de Produtos de Origem Animal.

Fortalecemos o nosso inimigo!

bacteria-super-desenvolvida

As bactérias super desenvolvidas possuem os seus locais prediletos para a proliferação são eles: prontos socorros, hospitais e os centros cirúrgicos, pois esses lugares ofertam tudo do que elas precisam para se tornarem cada dia mais resistentes e incompatíveis!

“Essa batalha perdida pelos antibióticos já mata mais que a aids nos Estados Unidos – são 23.000 mortes anuais, ante 15.000 causadas pelo HIV. No país, os remédios existentes não conseguem combater dezessete tipos de micro-organismo, segundo o Centro e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês). Um relatório divulgado no fim de março pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mostrou que cerca de 500.000 casos de tuberculose em 2012 foram causados por bactérias super-resistentes em todo o mundo. Até 2015, os casos podem ser 2 milhões. Ou seja, milhões de pessoas podem adoecer como se estivessem no início do século XX, antes da descoberta do primeiro antibiótico.” 

-Rita Loiola, Revista Veja, a era pós-antibiótico, 2014.

É uma soma de fatores que fazem desses locais o ambiente ideal para a evolução delas, bem como, o covil de suas vitimas. As pessoas enfermas e/ou operadas muitas vezes estão com os seus organismos debilitados, facilitando a contração das bactérias e como consequência, infecções tão intensas que os médicos utilizam todos os remédios disponíveis e não conseguem obter êxito!

“Ao entrar em um organismo debilitado ou até mesmo de crianças ou idosos, estas superbactérias podem levar o indivíduo infectado à morte. Elas costumam se reproduzir rapidamente, prejudicando o funcionamento de um ou mais órgãos do corpo.”  

-Portal de Pesquisas Temáticas e Educacionais.

Como podem ser combatidas bactérias super desenvolvidas?

As bactérias super desenvolvidas, são combatidas com antibióticos específicos e muito fortes, entretanto, esses medicamentos, podem acarretar em efeitos colaterais indesejados para as pessoas.

A prevenção é a melhor arma contra essas inimigas microscópicas! Os procedimentos de higienização e desinfecção devem ser premissas básicas em todos os espaços públicos, onde ocorre a circulação massiva de cidadãos.

Os espaços de cuidados com a saúde devem garantir a esterilização dos equipamentos, bem como, devem garantir que os seus hábitos de costumes sejam perpassados pelo cuidado com a higiene pessoal, evitando o transporte dessas bactérias para os seus pacientes. Portanto, lavar a mão e o antebraço com água e sabão são imprescindíveis.

Resguardando a sua saúde

A população também pode tomar algumas medidas para que não ocorra a propagação, bem como, a colaboração com a evolução das bactérias super desenvolvidas, são elas:

  • Mantenha o hábito de lavar sempre as mãos após utilizar conduções públicas, bem como, antes das refeições e de utilizar o banheiro;
  • Tome os medicamentos corretamente, não interrompa o tratamento;
  • Não tome medicamentos por conta própria.

Alguns hábitos básicos podem fazer a diferença evitando a propagação desses organismos. Não podemos abrir guardar com a nossa saúde, um descuido pode ser o suficiente para colocar em risco a nossa vida, portanto, previna-se!

Deixe o seu comentário! Participe.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui