Cistite: entenda tudo sobre a infecção da bexiga

Compartilhe
cistite

A cistite é um problema que pode acontecer em homens e até mesmo em crianças. No entanto, 90% dos casos atingem as mulheres, principalmente durante a gestação, a menopausa e o início da atividade sexual.

Essa inflamação na bexiga, na maioria das vezes, é causada por bactérias que entram pela uretra e chega até a bexiga ou na flora bacteriana da urina, causando inflamações e sintomas. Em alguns casos, a doença pode se espalhar para os rins tornando-se mais grave, podendo causar uma infecção generalizada.

Um dos motivos das mulheres estarem mais sujeitas a esse problema do que os homens é por que a uretra feminina é mais curta, localizada na genitália e próxima ao ânus.

Durante a gravidez isso pode ocorrer devido à presença de mais bactérias, e geralmente não apresenta sintomas. É importante a mãe ficar atenta ao problema, pois ele pode gerar aborto ou levar ao parto prematuro. Na menopausa isso acontece pela queda dos hormônios, já que os tecidos ficam mais vulneráveis e, além disso, a idade faz com que a imunidade fique baixa, fazendo com que a mulher fique mais propensa a este tipo de infecção.

Existem dois tipos de cistite: a cistite aguda, que pode ser facilmente tratada e não tende a se repetir e a cistite crônica, que pode acontecer 4 a 5 vezes no ano ou mais, tendo um tratamento mais longo.

Cistite aguda

Caracterizada por uma infecção, quase sempre, delimitada à bexiga os seus sintomas são: dor ao urinar, aumento da frequência de micções (inclusive durante a noite), sensação de estar o tempo todo com vontade de fazer xixi, desconforto na região púbica, sangramento na urina, febre, dor lombar e urina com cor diferente.

Nos casos em que não há o  tratamento adequado, pode ocorrer uma progressão ocasionando uma pielonefrite.

Formas de prevenção

  • Beber de 2 a 3 litros de líquido por dia;
  • Urinar após as relações sexuais e antes de dormir;
  • Nunca deixe de usar preservativo;
  • Opte por relações lubrificadas intensamente, pois diminui o surgimento das bactérias;
  • Não realize sexo anal e vaginal um em seguida do outro;
  • Evite segurar o xixi;
  • A higienização diária do órgão genital é de suma importância;
  • Nunca faça uso de antibióticos sem indicação médica;
  • Limpe-se passando o papel higiênico da vagina para o ânus (de frente para trás);
  • Lave a região perianal após as evacuações;
  • Evite o uso de absorventes internos;
  • Dê preferência por roupas íntimas produzidas com algodão;
  • Use roupas mais leves e arejadas.

O tratamento da cistite aguda é feito com antibiótico e, dependendo do caso, com analgésico e antisséptico para aliviar a dor e a sensação de desconforto. Durante o tratamento recomenda-se que a pessoa evite relações sexuais por pelo menos uma semana e tome bastante líquido, assim o desconforto inicial passará e ela já conseguirá urinar sem dor.

Ao perceber os sintomas da cistite aguda, é preciso procurar rapidamente um médico para realizar o tratamento ideal, antes que se torne um problema mais grave.

Cistite crônica

A cistite crônica conhecida como cistite intersticial possui o seu diagnóstico baseado nos sintomas urgentes como a frequência e dor na bexiga e/ou baixo ventre.

A cistite crônica também é chamada pelo termo síndrome da bexiga dolorosa (SBD) pela Sociedade Internacional de Continência (ICS).

A ICS define a cistite crônica como a queixa de dor suprapúbica, onde o paciente se queixa do enchimento da bexiga, necessidade de fazer xixi com muita frequência, todavia, sem infecção urinária ou outra doença.

Estudos determinam que a frequência urinária em pessoas do sexo feminino pode ser definida como intervalos de menos de 3 horas para urinar.

Vale ressaltar que a capacidade de armazenamento da bexiga tende a diminuir com o passar dos anos. Principalmente em pessoas com mais de oitenta anos.

A primeira necessidade de fazer xixi também tende a aumentar de frequência com o passar dos anos.

Alimentos auxiliares na prevenção das cistites

Existem alimentos que colaboram com o combate e/ou a prevenção  das cistites. Uma dieta rica e balanceada com líquidos, frutas, legumes e verduras frescas faz muita diferença, pois auxiliam na melhora da inflamação.

Líquidos

Sabemos que existem pessoas que acham que beber água é algo chato! Há pessoas que dizem até não gostar de ingerir água, no entanto, esse líquido é primordial para o nosso organismo.

Comece aumentando gradativamente a ingestão de líquido para não sobrecarregar o aparelho urinário, principalmente os rins beba de gole em gole, com isso, as bactérias causadoras das infecções serão expelidas mais facilmente através da urina.

Agora, se você torce o nariz ao ver um copo de água, você pode optar por águas saborizadas  com frutas, legumes ou ervas. Os chás diuréticos de ervas e o chá verde  também podem fazer parte do seu arsenal contra a cistite.

Frutas

As frutas sempre são peças-chave quando o assunto é saúde, mas existe uma fruta que se demonstrou uma excelente aliada do nosso organismo no combate a cistite.

O mirtilo conhecido também como blueberry possui uma relevante ação anti-inflamatória, evitando que as bactérias se aloquem nas paredes da mucosa e a sua reprodução.

Vegetais

Todos os vegetais são ótimos aliados, todavia, nos casos de cistite consumir vegetais que possuem um grande teor de água  faz a diferença. O pepino, a cenoura, a abobrinha, a acelga e o aipo são recomendados.

Se possível faça a ingestão desse vegetais crus, caso não seja possível, opte por um cozimento leve para não desidratar o vegetal. O cozimento a vapor é uma alternativa.

reposicao-hormonal

Grãos integrais

O consumo dos grãos integrais, também é uma ótima estratégia de combate e prevenção. Exemplo: a linhaça, o gergelim e a aveia.

Alimentos  não recomendados em caso de cistite

Farinha de trigo branca

A farinha de trigo branca colabora com a inflamação no organismo que está sofrendo por um quadro inflamatório. Evite também, os alimentos refinados como o pão e o macarrão que possuem em sua composição a farinha de trigo branca.

Bebidas alcoólicas e bebidas cafeinadas

Essas bebidas são demasiadamente estimulantes potencializando a inflamação no canal urinário que já está inflamado. Se possível evite esses tipos de bebida quando estiver com cistite.

Doces

Os açucares e os carboidratos também podem agravar os sintomas, pois assim como nós as bactérias e os fungos também apreciam essas substâncias. O chocolate também deve ser evitado, pois agrava o quadro da inflamação.

Alimentos ricos em gorduras

Alimentos com um grande teor de gordura dificultam a digestão, portanto, não é  recomendável a ingestão deles quando estiver com um quadro de cistite. Essa ressalva também cabe em todos os casos em que o organismo estiver combatendo alguma infecção.

Pimentas

Essa especiaria aumenta a sensação de ardor e o grau da inflamação. Portanto, é recomendável evitar no período de sofrimento de cistite.

Baixe o nosso material exclusivo sobre Saúde e Bem-Estar na Menopausa! Clique na imagem abaixo e saiba mais!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui