Coceira na menopausa – Por que sofremos desse mal?

Compartilhe
coceira-na-menopausa

Coceira na menopausa? Ninguém merece! Entenda nos mínimos detalhes o motivo pelo qual, esse infortúnio acomete tanto as mulheres na perimenopausa, quanto as que já estão na pós-menopausa. Os dedos já até ficam em posição de garras, a qualquer sinal de prurido, elas estarão apostos para saciar o incômodo causando pela coceira. Você está sofrendo com esse sinal? Vamos ajudá-la!

Mas, antes você é capaz de responder o motivo pelo qual ao esfregarmos a região que está coçando, imediatamente ocorre um alívio? Sim, é porque coçou o que está incomodando, entretanto, ocorre uma ação em seu organismo, muito mais complexa. Isso porque, ao coçar (ou esfregar) a pele liberamos o hormônio chamado serotonina, isso mesmo, a hormona da felicidade, e é ela que proporciona o alívio passageiro da coceira. Todavia, o comportamento de coçar não é o mais indicado, pois foca apenas o alívio momentâneo, mas não elimina o gatilho desencadeador.

reposicao-hormonal

Por que temos coceira na menopausa?

Se a sua resposta for: por causa da queda do estrogênio. Você acertou, e acertou em cheio! A hormona sexual está intrínseca em muitas atividades nos corpos femininos, e é justamente o elemento que sofre uma drástica baixa no período pré, e pós-menopausa. Para você que não acreditou que um hormônio é capaz de causar tanto impacto, iremos lhe conceder alguns fatos.

Menos estrogênio, é igual à menor produção de elastina e colágeno

O nosso maior órgão é a pele, e ela precisa de dois elementos básicos primordiais para garantir a sua estrutura saudável: a elastina (provedora de elasticidade); e o colágeno (responsável por garantir a firmeza da pele). O fato é que sem esses componentes a pele estará a mercê de ser impactada pela coceira. Nós temos uma matéria ótima que aborda a relação do colágeno e a menopausa, leia o conteúdo. Será uma boa leitura complementar. Garantimos!

Sem estrogênio, não tem oleosidade!

Você reclama muito por ter uma pele oleosa? Depois de ler esse trecho, diminuirão as reclamações por ter uma pele desse tipo. Isso porque, é a oleosidade que garante a hidratação, bem como funciona como uma proteção contra ameaças externas.

O estrogênio está envolvido na produção de sebo, mas como fica em níveis baixíssimos na fase menopáusica, as glândulas sebáceas sofrem com a escassez do reservatório. E se não tem matéria prima, não tem o produto final: a oleosidade.

Uma pele pobre em hidratação está propensa a ser acometida pelo ressecamento, e uma cútis ressecada sofrerá com a coceira, pois é o primeiro alerta de desidratação.

Você sabia que os banhos quentes removem toda a oleosidade? Assim como esfregar em demasia a bucha no corpo? Se possível opte por deixar a água em uma temperatura morna. E não esfregue muito a bucha na pele! Esse comportamento agride muito, cuidado.

 A oscilação hormonal altera a espessura da cútis

Pode notar, é só chegar a menopausa, que a pele começa a dar sinais de afinamento. E são os hormônios que a deixam assim, pois se não tem colágeno e elastina em quantidades ideais, a pele terá camadas mais finas.

É um grande sinal para a chegada da maturação corporal, pois está no roteiro de todos os seres que vivem nessa atmosfera, nascer, crescer, amadurecer e morrer. Já existem inúmeras técnicas que estão amenizando os efeitos do terceiro estágio do desenvolvimento (amadurecer). Que podem ser desde cremes, ou procedimentos estéticos. É uma escolha. Mas, você pode optar por não interferir no relógio biológico, o que também é válido. O que não podemos é abrir mão da saúde, aparentar ou não a idade que tem, é uma questão particular! Respeite as escolhas distintas e destoantes da sua. Respeito é tudo.

coceira-na-menopausa
Como combater a coceira na menopausa?

A subtração que assusta!

Conforme já foi mencionado, a pele vai perdendo o tônus de outrora, e é normal e faz parte do envelhecimento. Entretanto, a subtração é sagaz com nós mulheres. Perdemos 30% do nosso estoque de colágeno, absurdamente nos cinco primeiros anos pós-menopausa, e depois passamos a perda de 2% ao ano, como os homens. É assustador não é?! A baixa do estrogênio em nossos organismos causa inúmeros impactos, e muitos irão reverberar por muitos anos.

Chega de subtrair! Queremos adicionar e multiplicar. E é claro, dividir com as amigas!

Somos detentoras dessa equação que chamamos de vida. Portanto, é possível converter essa sinalização negativa. Deixando esse papo matemático de lado, algumas ações e atitudes podem nos ajudar a não perder tanto estrogênio, colágeno, elastina, e todos os outros atores que estão envolvidos no bem-estar e no funcionamento da pele. Busque alternativas seguras e saudáveis para repor esses elementos.

Não deixe de assegurar uma alimentação saudável e balanceada, parece clichê, mas aumente o consumo de vegetais, frutas, legumes, sementes e oleaginosas, assim como corte o consumo excessivo de alimentos refinados, processados e condimentados. E no mais querida, viva com uma garrafa de água em uma mão, e com um creme hidratante com fator de proteção solar na outra. Cuide-se!

Você está sofrendo com a coceira na menopausa? Deixe o seu comentário. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui