Síndrome do ninho vazio: como superar?

Compartilhe
síndrome-do-ninho-vazio

Muitas mulheres passam anos se dedicando à criação dos filhos, desde quando eles estão sendo gestados até que cheguem à fase adulta, quando eles batem suas asas e voam. Aquela casa que antes era barulhenta, cheia de vozes, passa então a ser mais quieta nesse momento.

No entanto, por mais difícil que seja, não há como evitar a emancipação. Isso faz parte do ciclo da vida, os filhos crescem e deixam seu ninho para conquistar sua independência e construir sua própria família. Mesmo que seja apenas algo natural da vida, é muito difícil não sentir ao menos aquela pontada de tristeza ao vê-los sair de casa.

Quando essa pontada de tristeza começa a crescer mais e mais, a ponto de deixar a mulher deprimida, isso caracteriza-se como a Síndrome do Ninho Vazio. Confira o nosso post de hoje para entender melhor sobre essa síndrome, seus sintomas, suas consequências e o mais importante: como superá-la!

Como e por que surge a Síndrome do Ninho Vazio?

A Síndrome do Ninho Vazio surge quando a mãe começa a perceber um vazio deixado pela saída dos seus filhos de casa, quando o silêncio começa a se tornar desagradável e a solidão começa a bater, causando dor, tristeza e melancolia. Essas sensações muitas vezes deprimem a mulher, que tende a se isolar ainda mais, em vez de buscar consolo na convivência social.

Quando o ninho fica vazio, existe ainda a tendência de que os problemas adormecidos do casal fiquem mais evidentes. Se o casal não estiver preparado para lidar com a saída dos filhos de casa, o relacionamento pode se complicar e até mesmo chegar ao fim. Já para mulheres que são viúvas ou separadas, a Síndrome do Ninho Vazio pode ser ainda mais grave, devido ao sentimento de solidão.

A Síndrome do Ninho Vazio pode, inclusive, surgir não apenas quando o último filho deixa o lar: ela pode surgir quando o último parente deixa o lar. No caso de uma mulher viúva, separada ou solteira é quando os filhos deixam a casa. No caso de um casal cujos filhos já saíram de casa, é quando o cônjuge se vai que a síndrome pode aparecer.

Além disso, a saída dos filhos de casa pode coincidir com a mãe estar passando pelas transformações do climatério, a fase de transição para a menopausa. Tanto na menopausa quanto no climatério, as mulheres passam por muitas alterações hormonais, podendo tornar-se mais emotivas e até deprimidas, o que pode contribuir para o surgimento da Síndrome do Ninho Vazio.

Cada caso é um caso

As características da personalidade também interferem bastante na maneira como essa separação é encarada. Pessoas mais sensíveis e dramáticas tendem a sofrer mais com a ruptura, assim como em tudo na vida. Pessoas que são mais tranquilas e positivas tendem a encarar esse processo de modo mais natural, e até podem passar pela Síndrome do Ninho Vazio, mas tendem a superar em pouco tempo e até mesmo sozinhas.

A forma como a separação acontece também influencia muito no surgimento e na intensidade dessa síndrome. Se ela ocorrer de forma repentina, por causas mais dolorosas como brigas e até mesmo uma morte, a dor tende a ser mais intensa e durar mais — além de se aliar a outros sentimentos como o luto, o ressentimento e a sensação de perda.

Se acontecer por bons motivos e for feita de maneira planejada, dando um tempo para que a mulher se acostume à ideia da partida de seus filhos, a separação acontece de modo muito mais tranquilo e é um processo bem menos doloroso.

Quais são os sintomas da Síndrome do Ninho Vazio?

No início, dentre os sintomas da Síndrome do Ninho Vazio podem surgir a sensação de perda, não somente em relação aos filhos, mas também nas suas tarefas do dia a dia e na sua função parental. Muitas mulheres ocupam seu tempo dedicando-se aos seus filhos, mas quando eles vão embora, os dias começam a ficar mais vagos e o sentimento de solidão começa a invadir.

A sensação de desestruturação na família — principalmente se o casal não tem um bom convívio ou se a mulher fica completamente sozinha após seus filhos deixarem o lar — pode acarretar no surgimento de sintomas da depressão e de dependência. Por isso é importante que, ao longo de todo o casamento, tanto antes como depois do nascimento dos filhos, o casal busque trabalhar a relação.

Como superar a Síndrome do Ninho Vazio?

Tente ver a situação de uma nova perspectiva

Evite ficar triste por seus filhos terem saído de casa, isso é algo natural. Tente enxergar os aspectos que contribuem para o seu bem-estar. Muitas vezes a relação entre pais e filhos melhora quando eles saem de casa.

Além disso, o tempo que você antes dedicava a cuidar deles, que já estão crescidos e independentes, pode ser utilizado para que você se dedique a você mesma e invista nos seus novos projetos!

Busque realizar atividades prazerosas

Pense em tudo aquilo que você sempre quis fazer, ou nas coisas que gostava de fazer, mas não podia porque as exigências diárias não lhe deixavam tempo. Faça uma lista dessas coisas que lhe dão prazer e prepare-se para começar a realizá-las!

Cuide mais de você mesma

Agora que você tem mais tempo para si mesma e que seus filhos já estão criados, que tal passar uma tarde no salão de beleza, sair para viajar ou simplesmente relaxar fazendo algo que goste? Dedique mais tempo a cuidar do seu corpo e da sua mente!

E por falar em relaxar e se cuidar, que tal receber informações valiosas sobre saúde, beleza e bem-estar? Clique na imagem abaixo e receba em seu e-mail o nosso conteúdo exclusivo!

Trabalhe a independência

Logo que os filhos saem de casa é normal fazer umas visitinhas para ver se está tudo bem, dar uns telefonemas para matar a saudade que aperta, mas evite exagerar. Exercite a independência!

Evite invadir a vida dos seus filhos com visitas diárias e telefonemas várias vezes ao dia. Dê espaço para que eles cresçam e desfrutem dessa nova fase de suas vidas, assim eles trabalharão a independência — e você também.

Pratique atividades físicas

A atividade física pode lhe oferecer uma série de benefícios, vale a pena experimentar! Além de ganhar mais saúde, você ainda se sentirá mais relaxada e de bom humor, já que a prática de atividade física estimula a produção de um hormônio chamado serotonina, que provoca uma gostosa sensação de bem-estar.

Com a prática de atividade física você ainda pode socializar e até fazer novos amigos — seja na academia, no clube ou num grupo de algum esporte. Alguns desses novos amigos, inclusive, podem estar passando ou já ter passado pela mesma situação. Quem sabe eles não lhe ajudam a passar por esse processo?

Adote um animal de estimação

Se você estiver se sentindo muito sozinha, que tal adotar um novo companheiro para quebrar aquele silêncio todo que se instalou na casa? Cães, gatos e até outros bichinhos são excelentes companheiros.

Além de fazerem gracinhas e serem divertidos, muitos deles são bem carinhosos, podendo lhe ajudar a suprir aquela carência que pode surgir na Síndrome do Ninho Vazio.

Fale sobre o assunto

Nunca faz bem guardar os sentimentos de tristeza dentro de nós. Por isso, fale sobre o assunto com as pessoas queridas. Além de que falar proporciona uma sensação de alívio, é conversando sobre o assunto que você poderá encontrar formas de superar essa situação.

A Síndrome do Ninho Vazio é algo mais comum do que imaginamos, não deixe se abater por ela! O primeiro passo para se curar é compreender e aceitar que a saída dos filhos de casa é algo natural, que faz parte do ciclo da vida.

Não se esqueça de nos deixar um comentário relatando a sua experiência para ajudar mais mulheres a superarem essa difícil fase.

Deixe um comentário
Print Friendly