Existem riscos de criar Pets dentro de casa?

Compartilhe
existem-riscos-de-criar-pets-dentro-de-casa

Eles são ótimas companhias, são verdadeiros membros da família. Queremos sempre tê-los bem próximos, para afagar os pelos e enche-los de abraços e cafunés. Mas será que existem riscos de criar pets dentro de casa?

Será que não existem riscos de contrair alguma doença nessa relação? Às vezes nós nos entregamos tanto para com essa relação, que esquecemos os cuidados básicos, e o que era para ser agradável e prazeroso se torna uma tremenda dor de cabeça e, o pior, pode colaborar com a propagação de algumas doenças.

Essas doenças se chamam: zoonoses, ou seja, são doenças que são transmitidas dos animais para os seres humanos e podem variar de intensidade, podendo ocasionar até mesmo o óbito. Basicamente o contágio de zoonoses está vinculado à negligência para com a vacinação do bichinho, falta de higienização dos espaços frequentados pelo pet, higiene do próprio bicho, a higiene particular e/ou por não levar o animal ao veterinário no mínimo uma vez ao ano.

tratamento-natural-para-menopausa

Zoonoses mais contraídas pelos donos de pets

Respondendo o questionamento do inicio da matéria: há riscos de criar pets dentro de casa sim, entretanto, o risco está atrelado ao não cuidado da saúde do animal. Veja a seguir as possíveis doenças que podem surgir na relação pet/dono.

Verminoses

Qualquer pet estará na mira da contaminação por vermes, pois esses parasitas podem ser transmitidos pelo ar, pela água, pelos alimentos ou através da simples caminhada pelas ruas da cidade. Os tão fofíssimos filhotes são os que mais estão suscetíveis, pois os seus pequeninos corpos estão mais despreparados e não estão blindados contra o alojamento desses organismos. Um bom exemplo de verminose é o bicho geográfico.

O bicho geográfico é um parasita causador da doença chamada de larva migrans cutânea, pois a larva penetra na pele e começa a sua peregrinação sobre o organismo do alojador deixando as pegadas (rastros) por todo o corpo. Veja o ciclo de transmissão do bicho geográfico:

bicho-geográfico
Ciclo de transmissão do bicho geográfico.

O contagio do bicho geográfico se dá pelo contato com as fezes contaminadas e uma pré-disposição (ferida na pele) para que as larvas se alojem na derme.

Prevenção

A melhor maneira de evitar a proliferação e contágio dos vermes é o reforço da limpeza e o cuidado com a higiene, bem como, a vermifugação de seis em seis meses do seu bichinho.

“A limpeza dentro da casa também exige cuidados, especialmente em relações às fezes – a dica é recolhê-las logo após a evacuação, seja em casa ou na rua, para diminuir o risco de transmissão de doenças. Vale lembrar que não é recomendável entrar em contato direto com os dejetos e, por isso, o uso de luvas é obrigatório.”

-Caio Rosenthal, Infectologista.

Doença da arranhadura do gato

Os bichanos podem carregar em suas unhas ou até mesmo na saliva a bactéria causadora da doença, eles contraem ela através das pulgas. É uma doença altamente perigosa se não for dado os devidos cuidados após o diagnóstico e, pode ser silenciosa não apresentando os sintomas no dono que levou o arranhão no corpo.

Entretanto, vale ressaltar que apenas os animais infectados são capazes de transmitir a doença. O problema é que o gato que está infectado pela bactéria não apresenta sinais, e os seus donos não associam a doença com a exposição. Veja o ciclo de transmissão da doença de arranhadura:

doença-de-arranhadura-do-gato
Ciclo de transmissão da doença de arranhadura do gato

Prevenção

A melhor maneira de combater a doença da arranhadura do gato é a prevenção, ou seja, controlar a presença das pulgas nos gatos. Portanto, procure um veterinário a fim de obter orientações, bem como, não se esqueça da higiene do animal, não é porque é um gato que ele está liberado do banho.

Raiva

De todas as zoonoses a raiva é a mais grave, sendo uma doença altamente letal. A transmissão se dá pela mordida, lambida em feridas ou mucosas de animais contaminados. Veja o ciclo de transmissão da raiva:

ciclo-de-transmissao-da-raiva
Ciclo de transmissão da raiva.

Prevenção

A prevenção é feita pela vacinação (antirrábica) de gatos e cachorros por campanhas públicas, ou por buscas particulares aos consultórios veterinários.

Toxoplasmose

Essa zoonose é prejudicial para as mulheres grávidas e para pessoas que são imunossupressoras, a sua contaminação ocorre através das fezes do gato, entretanto, o ciclo de transmissão é: fezes-oral. O causador da doença é um protozoário toxoplasma gondii que habita as fezes do bichano. Veja o ciclo de transmissão da toxoplasmose:

riscos-de-criar-Pets-dentro-de-casa
Ciclo de transmissão da toxoplamose.

Prevenção

Evite o contato direto com as fezes do animal, se for necessário a manipulação dos dejetos, não se esqueça de usar luvas, bem como, realizar a higienização das mãos e braços em seguida (água, sabão e álcool).

Alergia X Pets

Primeiramente é importante esclarecer que os pets não são os responsáveis pela alergia nos seres humanos. As pessoas possuem uma condição imunomediada no organismo, ou seja, o sistema imune ataca o próprio corpo. O que normalmente acontece é que quem tem alergia pode apresentar ou não, os sintomas clínicos quando em contato com os pets.

Mantenha o hábito de realizar o banho e tosa no seu bichinho frequentemente, bem como, não se esqueça de realizar uma escovação do pelo, no mínimo uma vez na semana, isso ajuda a remover os pelos que já estão soltos, impedindo que eles se espalhem pela casa.

Pet saudável, família feliz!

Para essa relação ser a mais agradável possível e evitar os riscos de criar pets dentro de casa, o dono do animalzinho precisa ter responsabilidade e o comprometimento em garantir a saúde da mascote, é de suma importância cumprir o calendário de vacinação, bem como, não se esquecer de realizar semestralmente a vermifugação e a prevenção de parasitas (pulgas e carrapatos).

“De fato existem algumas doenças que podem ser transmitidas dos animais de estimação para os homens. Porém, isto nunca deverá ser usado como justificativa para abandonar um bicho. Infelizmente esta já é uma realidade: diariamente inúmeros animais como cachorros e gatos são abandonados à própria sorte, geralmente devido à irresponsabilidade de pessoas que os compraram/adotaram sem pensar nos cuidados que eles exigiram (custos com alimentação e veterinário, atenção, espaço etc.). Abandonar um animal, além de ser uma atitude desumana, é crime. Assim como casos de maus tratos. A denúncia é legitimada por Art. 32, da lei Federal nº 9.605 de 1998 (lei de crimes ambientais). A pena prevista é de detenção de 3 meses a 1 ano e multa.”

-Angélica Oliveira de Almeida, Médica Veterinária. 

A guarda responsável é um dever de todas as pessoas que possuem pets, lembre-se negligenciar a saúde do seu bichinho é praticamente abrir mão de sua própria saúde.

Você tem algum animal de estimação? Conte-nos os cuidados e mimos que você pratica com o seu pet. Participe!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui