Gordura no fígado: tudo o que você precisa saber

Compartilhe
Homem com dor no abdômen
Dor no lado direito superior do abdomen é um dos sinais que a gordura no fígado está avançada - Imagem: Freepik

Fígado gordo, ou esteatose hepática, é um termo que descreve o acúmulo de gordura no fígado. E quando há uma grande quantidade dessa gordura e ela está presente de maneira crônica, as células do órgão podem inflamar e sofrer danos mais sérios. Nesse estágio, o quadro passa da esteatose hepática para uma esteato-hepatite ou hepatite gordurosa. Como o nome sugere, trata-se de uma hepatite causada pela gordura.

O fígado é o segundo maior órgão no corpo humano e o responsável por diversas funções, incluindo o processamento de tudo o que comemos e do que bebemos, bem como a filtragem de substâncias nocivas ao nosso organismo.

Assim, já temos uma noção da sua importância com essas informações, por isso é essencial conhecermos os meios para se evitar complicações nesse órgão.

Gordura no fígado: aspectos iniciais

A gordura estocada age lesionando o fígado aos poucos. Geralmente, quando há alguma pequena lesão, o fígado se repara reconstituindo novas células para substituir as danificadas. No entanto, quando há danos repetidos no órgão, ocorre uma lesão permanente, levando a uma condição conhecida como cirrose.

Quando o fígado apresenta um estágio inicial de gordura, esse problema ainda é reversível. Mas, é preciso ficar atento, pois muitas vezes, o fígado gorduroso não apresenta sintomas.

Conforme o nível de gordura aumenta e não há o devido cuidado com isso, a situação começa a ficar cada vez mais prejudicial ao paciente. A esteatose hepática pode evoluir até para um câncer de fígado!

Estágios das complicações da gordura no fígado
Estágios das complicações da gordura no fígado

Sintomas da gordura no fígado.

Nos estágios mais avançados do fígado gorduroso, o paciente começa a sentir fadiga ou desconforto abdominal. O fígado ainda é capaz de ficar ligeiramente aumentado nessa situação. O médico pode notar esse sintoma durante um exame físico.

Caso o fígado chegue ao estado de uma hepatite gordurosa, a pessoa passa a ter os seguintes sintomas:

  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Dor abdominal;
  • Fraqueza;
  • Gosto ruim na boca;
  • Náuseas;
  • Fezes mais claras que o normal;
  • Fadiga.

Se a gordura no fígado evoluir para a cirrose e insuficiência hepática, começam a surgir os seguintes sintomas, além dos apresentados na inflamação do órgão.

  • Abdômen dilatado;
  • Icterícia da pele e dos olhos;
  • Confusão mental;
  • Sangramento anormal.

Fígado gorduroso na gravidez

Apesar de ser uma condição rara na gravidez, ela é muito grave durante esse período, tanto para a mãe como para o bebê. A chance de o problema ocorrer é maior para mães na primeira gravidez ou na gravidez de gêmeos. Os sintomas surgem geralmente no terceiro trimestre e incluem:

  • Náuseas e vômitos persistentes;
  • Dor na parte superior direita do abdômen;
  • Dor de cabeça;
  • Icterícia;
  • Mal-estar geral;
  • Fadiga;
  • Diminuição do apetite.

Mulheres que estão grávidas e que apresentam algum desses sintomas precisam ser avaliadas e acompanhadas por um médico.

Dependendo da gravidade da situação, será necessário a indução do parto. Quando tratada da maneira adequada, a mulher melhora depois de poucas semanas.

As causas da gordura no fígado

Pessoas com o fígado gorduroso, em geral, apresentam um consumo exagerado de álcool. Além disso, essa condição pode aparecer em quem não bebe, mas que está obeso. Pessoas que perdem uma grande quantidade de peso em pouco tempo são mais suscetíveis a sofrer com o fígado gordo.

Uma dieta rica em açúcar processado, triglicérides elevados, diabetes e pouca atividade física são outros fatores de risco ao paciente. Também não podemos deixar de lado a genética como algo que contribui para o problema.

Diagnóstico da gordura no fígado

Exame físico

Caso suspeite que o seu fígado está com algum problema, o seu médico poderá detectar a condição examinando o abdômen para verificar se ele está aumentando. Mesmo estando inflamado, o órgão pode não apresentar esse aumento.

Exames de sangue

É possível descobrir se as enzimas hepáticas estão mais altas que o normal durante exames de rotina. Apesar de não confirmar se o fígado está gordo, eles indicam se há uma inflamação por lá. Alguns testes adicionais ainda serão necessários para encontrar a causa dessa inflamação.

Exames de imagem

Com o auxílio de ultrassom, o profissional é capaz de detectar a gordura no fígado. Outros estudos de imagem são alternativos, como a tomografia computadorizada ou a ressonância magnética.

Um exame que já está disponível no Brasil, mas ainda em poucos lugares, é o fibroscan. Assim como ultrassom, o fibroscan, utiliza ondas sonoras para determinar a densidade do fígado, as áreas correspondentes de gordura, o tecido hepático normal e o comprometido

Biópsia

A biópsia ainda é considerada a melhor maneira para determinar a gravidade e extensão de uma doença hepática. Durante o procedimento, o médico insere uma agulha no fígado e remove um pedacinho de tecido para o exame. A biópsia serve para ajudar o médico a determinar a causa exata  e gravidade do problema.

Como tratar a gordura no fígado

Atualmente, há diversas pesquisas em medicamentos que auxiliam na saúde do fígado gorduroso, mas o principal tratamento continua sendo na linha de seguir as recomendações que também reduzem os fatores de risco. E esses conselhos incluem os seguintes procedimentos.

  • Limitar o consumo ou até mesmo evitar as bebidas alcoólicas;
  • Diminuir o colesterol considerado ruim;
  • Perder peso de maneira saudável;
  • Controlar o diabetes.

Praticas saudáveis são essenciais para combater e prevenir a condição

Se você sofre com a esteatose hepática por causa da obesidade ou hábitos alimentares pouco saudáveis, será necessário modificar a sua dieta. Também será preciso iniciar ou aumentar o nível de exercícios físicos.

Ciclismo
Uma vida saudável é importante para acabar com o fígado gorduroso

Nos estágios iniciais, é possível melhorar e reverter o quadro ao reduzir ou eliminar alimentos gordurosos e alimentos ricos em açúcar do cardápio.

Para isso, escolha uma dieta equilibrada, com alimentos mais saudáveis, como frutas frescas, vegetais, grãos integrais e gorduras saudáveis, como as nozes e os abacates. Substitua as carnes vermelhas por proteínas magras, como a soja, o frango, o peru e o peixe. Refrigerantes e sucos prontos também devem ser evitados.

Perspectiva a longo prazo para o fígado gorduroso

Na maioria das vezes, o fígado gorduroso não progride para outras formas de complicações hepáticas. Mas, para isso, é necessário tomar as medidas para combater o problema. Quem costuma beber de maneira frequente, precisará ao menos diminuir a ingestão de álcool.

A progressão do fígado gorduroso para a cirrose, por exemplo, vai depender da causa. Em relação ao álcool, poderá haver insuficiência hepática, se os cuidados com a diminuição da bebida não aconteçam.

Já nos casos da doença hepática gordurosa não-alcoólica a situação é variada. No entanto, na maioria dessas pessoas não ocorre a cirrose. Por outro lado, quem é diagnosticado com a esteato-hepatite, tem maior chance de desenvolver outras doenças hepáticas.

Se fígado gorduroso progredir para a cirrose, ainda há o risco de insuficiência hepática. Há também um maior risco de câncer de fígado e morte por doenças cardíacas.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui