Entenda o que é a Alopecia Androgenética

Compartilhe
alopecia-androgenetica

Principal responsável pela calvície, a alopecia androgenética afeta predominantemente homens, mas também acomete mulheres.

Em média, 70% dos homens e 40% das mulheres apresentarão sintomas da doença em algum momento da sua vida, sendo que é mais provável que isso aconteça com o aumento da idade.

Sabendo disso, entenda melhor o que é a alopecia androgenética, quais suas causas, sintomas e possíveis tratamentos. Confira!

O que é a alopecia androgenética

A alopecia androgenética é uma manifestação fisiológica resultado da estimulação dos folículos pilosos provocados por hormônios masculinos, como a testosterona, que começam a ser produzidos ainda na adolescência.

Ao atingir o couro cabeludo de pacientes com predisposição genética para a calvície, a testosterona sofre a ação de uma enzima chamada 5-alfa-redutase, e se transforma em diidrotestosterona (DHT).

É a DHT que promoverá a miniaturização folicular, ou seja, a diminuição progressiva dos fios de cabelo a cada ciclo de crescimento, fazendo com que nasçam cada vez menores e mais finos.

É importante ressaltar que a alopecia androgenética ocorre apenas em homens e mulheres geneticamente predispostas.

A herança genética pode vir tanto do lado paterno quanto materno e, devido a sua ligação com os hormônios masculinos, acaba acometendo mais homens do que mulheres.

Causas

São duas as causas da calvície definitiva: herança genética e hormônios masculinos. Porém, outras causas podem favorecer a calvície temporária, são elas: oleosidade, uso exagerado de produtos químicos, má alimentação e estresse, além do uso de alguns medicamentos. Nesses casos, o cabelo voltará a crescer assim que a causa for tratada.

Sintomas

Sintomas masculinos

Há um padrão comum de calvície entre os homens. A maioria dos casos se inicia com entradas laterais junto com o raleamento dos fios do topo da cabeça, sobrando apenas faixas de cabelo nas partes de trás e laterais da cabeça, onde os fios são menos sensíveis ao DHT.
alopecia-androgenetica

Os primeiros sintomas da alopecia androgenética em homens podem aparecer muito cedo, a partir dos 17 anos. Nesse caso, a perda de cabelo acontece de forma irreversível e deve ser vista como algo sério. No entanto, se os primeiros sinais aparecerem mais tarde, em torno dos 25 anos, a queda é mais lenta e responde melhor aos tratamentos.

De forma geral, a partir dos 50 anos, todos os homens predispostos à calvície apresentarão, em grau maior ou menor, sinais de perda anormal dos cabelos.

Sintomas femininos

Mesmo as mulheres que possuem predisposição genética contam com a proteção natural dos hormônios femininos contra a calvície. Porém, com a chegada da menopausa, o nível de estrogênio cai e essa proteção desaparece, dando lugar à queda de cabelo.

Diferentemente do que acontece na calvície masculina, os fios dos cabelos das mulheres permanecem, mas ficam mais ralos e rarefeitos, principalmente no topo da cabeça, podendo deixar o couro cabeludo à mostra.

Na contramão da genética, a alopecia androgenética feminina vem aumentando, devido ao estilo de vida das mulheres modernas. Atualmente, o dia a dia feminino conta com muita tensão e estresse, além de as mulheres utilizam mais produtos químicos nos cabelos.

Diagnóstico

Algumas pistas são importantes para determinar um quadro de alopecia androgenética:

  • Histórico familiar de calvície;
  • Perda lenta e gradual dos fios seguindo os padrões descritos anteriormente;
  • Ausência de outros problemas de saúde que justifiquem a perda de cabelo, como anemia, hipotireoidismo e infecções.

Além disso, mulheres com síndrome do ovário policístico têm mais chance de desenvolver a alopecia androgenética.

Vale lembrar que existem outros tipos de distúrbios como alopécia areata, por exemplo, que afeta cada vez mais pessoas no mundo todo e que pode em alguns casos ser confundida com outra doença do couro cabeludo.

No consultório, o médico examinará seu couro cabeludo, fará testes e descartará outros tipos de calvície. Lembre-se de que é muito importante levar a maior quantidade possível de informações, principalmente fotos que mostrem como eram e como estão seus cabelos.

problemas-capilares

Tratamentos para Alopécia Androgenética

Como o próprio nome indica, a alopecia androgenética é fortemente determinada pela genética do paciente, ou seja, é uma condição que estará com ele para o resto da vida.

Alguns tratamentos disponíveis no mercado minimizam, atrasam ou interrompem a manifestação dessa tendência.

A indicação do melhor tratamento para cada caso deverá ser feita por um médico dermatologista, após estudo do caso clínico do paciente.

É importante ressaltar que, caso o tratamento seja interrompido, a genética voltará a se manifestar e o cabelo voltará a cair. Além disso, alguns tratamentos demoram meses para apresentar resultados, portanto, é preciso paciência e perseverança.

Tratamentos tópicos

Atualmente existem alguns medicamentos que prometem acabar com a calvície, mas por serem drogas, contêm diversos efeitos colaterais, inevitáveis em qualquer intervenção farmacológicas.

Mas recentemente foi lançado um COSMÉTICO que possui como princípio ativo o Baicapil, um ganhador de prêmios em inovação cosmética para renovação do couro cabeludo desde o bulbo.

Por ser aplicado diretamente no cabeça, ele age diretamente no problema, estimulando o crescimento de novos fios e mudando o estado atual.

O produto também é indicado para quem ainda não começou a desenvolver os sintomas, mas que por pré-disposição genética provavelmente terá o mesmo problema de calvície.

Tratamentos cirúrgicos

Em alguns casos, apenas os tratamentos cirúrgicos podem representar uma solução para a calvície. A cirurgia de transplante capilar retira os bulbos capilares da parte lateral e atrás da cabeça, que são menos sensíveis aos efeitos da DHT, para implantá-los nas áreas afetadas do couro cabeludo.

A cirurgia também pode ser feita em conjunto com a redução do couro cabeludo, ou seja, uma parte da área calva é removida e a pele é puxada para cobrir o espaço.

E você? Sofre com alopecia androgenética? Procure um dermatologista e converse sobre o melhor tratamento. Com certeza, algum deles ajudará você a lidar com essa condição hereditária.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui