Tipos de melasma e tratamento.

Compartilhe
Tipos de melasma e tratamentos
Conheça os tipos de melasma e seus tratamentos

Neste artigo iremos esclarecer dúvidas sobre os tipos de melasma e tratamentos existentes, e as suas características.

O melasma é caracterizado pelo surgimento de manchas de tons castanho-escuros ou marrom-acinzentadas, que costumam aparecer com mais frequência no rosto, podendo surgir também nos braços, no colo e costas. Estas manchas podem variar bastante em seu tamanho, e em alguns casos, ela pode tomar por completo as duas faces de forma simétrica.

Essas manchas afetam com mais frequência mulheres durante as mudanças hormonais, como gravidez e menopausa. Os homens possuem uma porcentagem pequena de ocorrência e é raro a  manifestação do melasma durante a puberdade.

Outro grupo de pessoas mais vulneráveis são as de pele morena e de tons mais escuros (fototipos III e IV). Porque possuem melanócitos mais ativos, por produção natural. Sendo eles, afrodescendentes, asiáticos, hispânicos, e outros mais.

A grande queixa sobre o melasma é o incomodo que ele causa por motivos estéticos. As pessoas que possuem esse transtorno tendem a ter uma baixo autoestima e até mesmo bloqueios nas relações sociais.

Uma série de dúvidas surge ao que se refere a sintomas, causas e tratamentos para o melasma. Por isso, deixaremos algumas informações para que você entenda melhor sobe o assunto.

Tipos de melasma

Antes de entender as causas do surgimento do melasma na pele é importante você conhecer quais são os tipos existentes. Deste modo pode-se dividir os tipos de melasma em três categorias:

Epidérmica – a alta concentração de melanina afeta a camada protetora e superficial da pele.

Dérmica – as manchas afetam a derme, camada intermediária da pele, que está localizada entre a hipoderme e epiderme. Onde são encontrados alguns tecidos com funções distintas, como terminações nervosas e vasos sanguíneos.

Misto – Surgimento das manchas na epiderme e na derme.

Surgimento do melasma na pele.

O surgimento do melasma, causa em muitas mulheres a depressão.

Ainda não há conhecimento sobre as verdadeiras causas do surgimento de tipos de melasma, mas sabe-se que o aparecimento das manchas se dá pela hiperfunção do melanócito, que produz acima do necessário a melanina. Esse excesso fica alocado dentro da pele resultando as manchas.

Alguns desencadeadores comuns são derivados de fatores genéticos. A exposição a raios ultravioletas, ação de hormônios femininos como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal, disfunções na tireoide, uso de cosméticos que causem hipersensibilidade e drogas para tratamento de epilepsia e hipertensão.

Sintomas

O melasma não apresenta sintomas sensitivos como dor, ardência ou coceiras. O único sintoma aparente é o surgimento das manchas acastanhadas ou marrom-acinzentadas. Essas manchas são de formato irregular, mas também são bem delimitadas podendo se distribuir para os dois lados da face.

Essas manchas podem aumentar e diminuir a sua expansão e coloração de acordo com a exposição aos efeitos desencadeadores. Porém, se as manchas que você possui apresentar algum desconforto como coceiras, dores e ardência. Recorra o mais breve possível a um dermatologista.

Prevenção

tipos-de-melasma-e-tratamentos

O melasma é uma condição crônica e é necessário o cuidado contínuo para evitar a fotoexposição aos raios ultravioletas. Raios emitidos pelo sol.

Para isto, fale com seu dermatologista para recomendar um protetor solar com filtro adequado para o seu tipo de pele. A recomendação mais comum entre os dermatologistas, é indicar um filtro solar de alta proteção contra os raios UVB (FPS) e UVA (PPD), onde alguns deles possuem clareadores e antioxidantes que auxiliam a manter a saúde da pele.

É indicado o uso do protetor solar diariamente. Aplique várias vezes ao dia, a cada duas ou três horas, dependendo da exposição da pele em áreas externas. Isto vale até para os dias nublados.

A alimentação também é um fator muito importante para prevenção do melasma. Alimentos ricos em antioxidantes, por exemplo, melhora a proteção natural da pele, além de ajudar na prevenção de várias doenças.

Mulheres na menopausa devem evitar tratamentos de reposição hormonal. Eles aumentam as chances de surgimento de novas manchas e o aumento da pigmentação das existentes. Procure por tratamentos naturais para combater os sintomas da menopausa.

 Tratamento

Além da aplicação e uso diário do protetor solar, existem alguns tratamentos que auxiliam no clareamento gradual das manchas causadas pela produção em excesso de melanina.

Cremes clareadores – mesmo sabendo que as manchas não irão sumir – os cremes clareadores contribuem para que as manchas pareçam mais uniformes a pigmentação da pele. Mas lembre-se os resultados não são imediatos, existem fatores como o tempo de existência da mancha, a sua profundidade e a exposição ao sol, é preciso paciência e uma rotina de uso seguida corretamente.

Peeling – tratamento semi-invasivo – no peeling as camadas danificadas são removidas com ácido, para estimular a renovação das células, circulação local, clareamento das manchas e estímulo da produção de colágeno. As séries de Peeling podem apresentar bons resultados, porém não dispensa o uso contínuo dos cremes clareadores.

Tratamento com laser – Dermatologistas costumam indicar esse tipo de tratamento em última instância, quando os outros métodos não deram resultados. É uma técnica com maior

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui