Quais são os sintomas da menopausa?

Compartilhe
mulher passando mal com a mão na cabeça sentindo os sintomas da menopausa
Saiba quais são os sintomas da menopausa e tratamento para eles.

A menopausa é um acontecimento natural na vida de todas as mulheres. Esse é o termo utilizado para denominar a última menstruação da mulher, uma das etapas do período hormonal feminino que representa o fim do período fértil. E os sintomas da menopausa chegam junto com essa determinante fase feminina.

As temáticas menopausa e climatério são cercadas por vários mitos que, muitas vezes, deixam as mulheres preocupadas e inseguras para conversar e lidar com esses assuntos. Afinal, são muitos tabus envolvidos e muitas dúvidas relacionadas a essa fase da vida feminina e aos próprios sintomas da menopausa.

Você sabe quais são os sintomas da menopausa? Neste artigo nós vamos falar sobre eles para que você saiba identificá-los e tratá-los corretamente, caso manifeste algum dos quadros clínicos característicos dessa fase da vida feminina. Confira!

O que é a menopausa

o-que-e-menopausa

Ao contrário do que muita gente pensa, não é possível “estar” na menopausa, já que esse é o nome dado à última menstruação da mulher. O período após a menopausa, quando a mulher não mais ovula — e, consequentemente, não menstrua mais — é chamado de pós-menopausa.

Pode-se dizer que a menopausa é o início do fim do período fértil da mulher. Isso ocorre porque os óvulos se esgotam, interrompendo a ovulação e a produção da progesterona e do estrogênio. Essa alteração hormonal é a causa dos principais sintomas desse período.

O que é estrogênio?

O estrogênio é um hormônio sexual feminino que tem enorme importância em vários processos do organismo das mulheres. Ele é responsável pela textura da pele, pela distribuição de gordura, pela preparação do útero para reprodução, pelo controle da temperatura corporal, entre outros.

Ele é também o responsável pelo crescimento dos seios, pela fixação do cálcio e absorção do colágeno, além de ser importante para o bem-estar e a autoestima feminina.

Quando acontece a menopausa?

A menopausa é um processo inevitável, que ocorre geralmente entre os 45 e 55 anos. A idade em que ela ocorre pode variar de acordo com a genética e outros fatores como tabagismo — mulheres que fumam geralmente tem a menopausa antes.

Outro fator que pode influenciar é o histórico reprodutivo — mulheres que nunca engravidaram também podem ter a menopausa mais cedo. Não é possível prever quando a menopausa ocorrerá e só é possível afirmar que ela aconteceu depois que se passa pelo menos um ano sem menstruar. Isso porque na pré-menopausa os ciclos menstruais podem ficar muito irregulares, dificultando o controle e o diagnóstico.

Pré-menopausa

A pré-menopausa é o período de 3 a 7 anos antes da menopausa. São os últimos anos da vida fértil da mulher. É nesse período que alguns dos sintomas começam a aparecer.

Climatério

Climatério é o nome dado ao período em que a queda hormonal se inicia no corpo da mulher, ou seja, começa na pré-menopausa e perdura pela pós-menopausa, por  todo o período após a última menstruação da vida de uma mulher.

Perimenopausa

A perimenopausa engloba todo o período da pré-menopausa e o primeiro ano do climatério. É nessa fase que ocorrem as principais mudanças no organismo feminino, além de ser a época em que os sintomas são mais intensos.

Quais são os sintomas da menopausa

Os sintomas podem começar a aparecer na pré-menopausa, mas os principais e mais frequentes acontecem durante os primeiros anos após a menopausa. No geral, a maioria dos sintomas desaparece cerca de um ano depois da menopausa.

A maior parte desses sintomas ocorre devido à falta do estrogênio, que é um dos hormônios femininos mais importantes. Graças a essa alteração hormonal, o corpo feminino também sofre várias transformações — que se tornam um grande incômodo para a maioria das mulheres.

Vale lembrar que os sintomas citados a seguir são os mais comuns, mas dificilmente uma mulher sofrerá todos ao mesmo tempo. Não há regras e todos os sintomas variam de pessoa para pessoa, tanto em sua forma como na intensidade.

Mudanças no organismo

Ainda na pré-menopausa, devido à diminuição do estrogênio no organismo, algumas mudanças podem ocorrer. A produção de colágeno também é diminuída — deixando a pele mais flácida — assim como a formação da massa muscular, o que aumenta as gorduras localizadas.

As taxas de colesterol e triglicerídeos também podem subir, aumentando os riscos de doenças cardiovasculares. A absorção de cálcio também fica prejudicada pela falta de estrogênio, tornando maiores as chances de osteoporose.

Menstruação desregulada

menstruacao-desregulada

Durante a pré-menopausa, a menstruação pode ser bastante desregulada. É possível que os ciclos durem 60 dias ou até mais. O fluxo também pode ficar irregular — tanto para mais quanto para menos — e é possível que aconteçam alguns escapes durante o ciclo. É por esse motivo que só se pode dizer que a mulher teve a menopausa após um ano sem menstruar.

Calor na menopausa

O fogacho — também conhecido como “onda de calor” — é um dos sintomas que mais acomete as mulheres no período da menopausa — cerca de 75% das mulheres são atingidas.

Na maioria das vezes, as ondas de calor começam a ser percebidas na região do tórax, se espalham para outras partes do corpo e aparecem, principalmente, no rosto.

Elas também podem vir acompanhadas de suor frio, vermelhidão facial, tontura e palpitações. Essas ondas de calor geralmente acontecem à noite, mas podem ocorrer algumas vezes durante o dia, causando certo incômodo para as mulheres que estão na menopausa.

Esse é o sintoma mais comum da menopausa e é causado pela falta do estrogênio, que faz com que o termostato natural do corpo fique desregulado. Para lidar melhor com esse sintoma, alimente-se de maneira mais saudável, pratique esportes para aumentar o bem-estar e procure algum tratamento — natural ou hormonal — para minimizar o seu desconforto.

Vale a pena ressaltar que o tratamento de reposição hormonal não é recomendado, já que ele pode trazer algumas complicações, como câncer de ovário ou de endométrio, e muitas delas não podem se expor a esse risco. Por isso, nunca deixe de consultar o seu ginecologista antes de se medicar.

Sudorese noturna

A sudorese noturna é uma consequência dos fogachos, que ocorrem com mais frequência no período da noite. É muito comum acordar bem suada durante o climatério, principalmente após consumir muita bebida alcoólica ou se dormir em um quarto abafado.

O calor e a sudorese noturna podem causar ainda problemas de sono, ansiedade e estresse. Esse é um sintoma que pode ocorrer ainda na pré-menopausa e se intensifica aproximadamente um ano antes da última menstruação.

Alterações no humor

Na fase que antecede a menopausa, durante e após a presença da última menstruação, algumas mulheres relatam mudanças bruscas de humor ao longo do dia. Essa situação acontece graças às flutuações hormonais que estão ocorrendo no organismo da mulher — uma consequência natural do climatério.

Como o corpo está se adaptando para uma nova fase, que é o período sem a menstruação e a ovulação, alguns hormônios podem ter sua produção reduzida, resultando em alterações no humor da mulher — um dos clássicos sintomas da menopausa.

Para lidar melhor com essas flutuações hormonais e de humor, vale a pena praticar esportes e introduzir, na sua rotina, atividades que lhe dão prazer. Essas práticas ajudam a melhorar a sensação de bem-estar e a minimizar os impactos dessa nova etapa da sua vida.

Depressão na menopausa

Desde a pré-menopausa, dobram as chances de uma mulher entrar em depressão. Além das mudanças no corpo e da alteração hormonal, acredita-se que isso pode ocorrer também em função dos incômodos causados durante esse período.

Além disso, a chegada da menopausa representa o início do envelhecimento para muitas mulheres e esse é um dos fatores que podem contribuir muito para a depressão. Acredita-se, ainda, que as alterações de humor podem resultar em atritos mais frequentes com pessoas próximas, aumentando as chances do desenvolvimento da doença.

A menopausa é um momento muito difícil para a maioria das mulheres, tanto física quanto psicologicamente. Por isso, é importante manter-se informada e informar as pessoas ao seu redor sobre as causas e as consequências.

O apoio da família e de pessoas próximas é muito importante para que a mulher passe pelo período da pré-menopausa até o primeiro ano do climatério com mais tranquilidade.

Sintomas psíquicos

Além da depressão e das alterações de humor, a menopausa pode causar outros sintomas psíquicos como instabilidade emocional e ansiedade.

Uma excelente opção para amenizar esses problemas é buscar o acompanhamento de um profissional que ofereça terapias — importantes para qualquer pessoa em qualquer época da vida.

Mudanças na pele, nas unhas e nos cabelos

A queda dos níveis de estrogênio — que, consequentemente, diminuem os níveis de colágeno no organismo — faz com que a pele, as unhas e os cabelos sofram algumas mudanças não muito boas. Esses também são sintomas que não desaparecem após o climatério.

O colágeno é o grande responsável pela força, pela saúde, pela elasticidade e, em partes, pela beleza de unhas, cabelos e pele. Com sua diminuição, a pele fica mais seca, começa a descamar e as rugas tendem a aparecer mais.

A falta de colágeno e de estrogênio podem, ainda, deixar a pele mais flácida e fazer com que os seios diminuam de tamanho.

Os cabelos também ficam mais secos e quebradiços e a queda pode se agravar desde a pré-menopausa. As unhas ficam mais fracas e podem se quebrar com bastante facilidade.

A redução das taxas de estrogênio também pode provocar o aparecimento de pelos faciais, principalmente na região do buço e do queixo. Isso acontece porque com a queda do estrogênio, o nível de androgênio — hormônio masculino — aumenta.

Secura vaginal e redução da libido

A lubrificação dos tecidos que revestem o canal vaginal são dependentes do estrogênio produzido pela mulher — hormônio que, durante a pré-menopausa e o climatério, é produzido em baixa ou nenhuma quantidade no organismo feminino.

Portanto, quando existe uma diminuição na produção desses hormônios, é natural que ocorra uma secura no canal vaginal, o que pode resultar em coceira e dor durante o ato sexual.

Outro sintoma comum causado pelas alterações hormonais é a redução da libido. A secura vaginal também faz com que a mulher sinta menos prazer na hora H.

Essas situações podem prejudicar consideravelmente a vida sexual dessas mulheres. Para lidar melhor e minimizar os desconfortos causados por esse sintoma da menopausa, é interessante contar com a ajuda de lubrificantes durante a prática da relação sexual.

Infecção urinária

A uretra — canal por onde a urina passa após sair da bexiga — também depende muito do estrogênio. Durante a pré-menopausa ela fica mais ressecada e irritável, facilitando as infecções por bactérias. Com isso, as infecções urinárias podem ser muito frequentes. Uma maneira de tratar esse problema é a partir da aplicação de estrogênio diretamente na vagina.

Sintomas cognitivos

O estrogênio tem grande importância no bom funcionamento do cérebro feminino. Sua falta pode causar alguns problemas, como memória fraca e dificuldade de concentração, por exemplo.

Esses sintomas são muito comuns e não estão ligados diretamente ao “avanço da idade”. A diminuição do estrogênio e o estresse causado por outros sintomas da menopausa fazem com que a memória e a concentração se tornem cada vez mais difíceis.

Ossos mais fragilizados

Especialmente nesta fase da vida, as mulheres são mais suscetíveis aos efeitos da osteoporose do que os homens. A baixa dos hormônios sexuais pode influenciar na absorção do cálcio e no desenvolvimento da massa óssea, fazendo com que eles fiquem mais fracos e sujeitos a fraturas mais frequentes.

Para minimizar esses efeitos, a mulher na menopausa precisa consumir mais alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados, além de alimentos abundantes em vitamina D — como vegetais verdes escuros. Esses nutrientes são responsáveis por garantir a saúde dos ossos das mulheres durante o climatério.

Também é muito importante tomar sol nas primeiras horas do dia, já que uma das formas de se produzir a vitamina D é no contato da pele com os raios solares.

Dores musculares e nas articulações

Mais da metade das mulheres na pré-menopausa sofrem com dores musculares e nas articulações, além de tendões e ligamentos. Esse é um dos poucos sintomas que não desaparecem durante o climatério — ao contrário, ele pode se agravar com o tempo. Vale mencionar, ainda, que o sintoma é mais intenso em mulheres com sobrepeso.

Você pode conferir o nosso INFOGRÁFICO EXCLUSIVO sobre os Sintomas da Menopausa neste Link Aqui.

Tratamento natural para menopausa

Com essas informações vai ser mais fácil identificar os sintomas da menopausa e enfrentar, com mais naturalidade, esse ciclo natural da vida da mulher. Uma boa maneira de evitar sofrer as consequências desse quadro clínico feminino é contar com a ajuda de tratamentos naturais para a menopausa.

reposicao-hormonal

Esses tratamentos não vão curar a menopausa — até porque isso é impossível, já que ela não é uma doença. Eles servem para amenizar os sintomas que incomodam as mulheres nessa fase da vida, além de prevenir casos mais graves como a osteoporose.

Os tratamentos naturais ajudam a garantir o bem-estar da mulher, sem que ela precise se expor aos riscos de uma terapia de reposição hormonal.

Active Woman Plus

Uma das principais opções de tratamentos naturais para a menopausa do mercado é o Active Woman Plus, um composto natural baseado em óleos essenciais. Cada ingrediente de sua fórmula possui propriedades capazes de amenizar alguns dos sintomas da menopausa, aumentando seu bem-estar.

Ele possui óleo de linhaça, óleo de prímula, gérmen de soja, ômega 3 e ômega 6 — sendo, assim, um produto totalmente natural.

Sua grande vantagem é que, mesmo livre de hormônios, ele consegue combater os sintomas mais incômodos da menopausa e do climatério.

Além desse, outros tratamentos podem ser eficazes nessa época, como acupuntura, fitoterapia, homeopatia, montagem de um plano alimentar focado nas fontes naturais de estrogênio e a prática de exercícios regulares.

Os malefícios da reposição hormonal

Até pouco tempo atrás, a reposição era um dos únicos — e o principal — tratamento para a menopausa. No entanto, foi descoberto que a longo prazo esse tratamento pode trazer muitos malefícios para a vida das mulheres.

Apesar de ser o tratamento com resultados mais rápidos, ele aumenta consideravelmente as chances de que a mulher tenha infartos, AVC, trombose, câncer de mama, câncer de endométrio, mal de Alzheimer e depressão.

Por esses motivos, a reposição hormonal é indicada apenas em casos extremos — como a menopausa precoce, por exemplo — e por um curto período de tempo. É imprescindível lembrar que esse tipo de tratamento não pode ser feito sem orientação médica e, em nenhuma hipótese, você deve utilizar o tratamento indicado para outras pessoas, como amigas e parentes.

Além disso, o tratamento de reposição hormonal é contraindicado para mulheres que já tiveram doenças cardiovasculares, câncer de mama, doenças no fígado ou que têm hipertensão não controlada.

Alimentação na menopausa

alimentacao-na-menopausa

Além dos tratamentos naturais e da prática frequente de exercícios físicos, uma boa alimentação é fundamental para aliviar os sintomas desde a pré-menopausa. É importante buscar a ajuda de um nutricionista para criar um plano alimentar específico para essa fase da vida. Alguns alimentos precisam ser consumidos com frequência e outros devem ser evitados para aumentar o bem-estar da mulher na menopausa.

Além disso, durante a pré-menopausa e o climatério, as mulheres têm uma maior tendência a ganhar peso mesmo consumindo menos calorias. Com a redução do estrogênio, o acúmulo feminino de gordura passa a ser mais parecido com o masculino, com a gordura localizada na área da barriga e da cintura.

Alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da menopausa

  • Água: o que seria do seu organismo sem água? Na menopausa é preciso beber de dois a três litros de água diariamente para se manter hidratada e para ajudar a regular a temperatura corporal;
  • Cálcio: como a absorção é diminuída pela falta de estrogênio, é importante consumir ainda mais alimentos ricos em cálcio nessa época. Derivados de leite e de soja, assim como peixe e algumas verduras — como couve e repolho — são ricas fontes de cálcio;
  • Leguminosas: feijão, ervilha, lentilha, grãos-de-bico e sementes de linhaça são importantes aliados no combate aos sintomas da menopausa. Eles contêm lignina, substância que geralmente está presente em tratamentos de reposição hormonal — porém, de forma natural nesses alimentos;
  • Azeite de oliva: o azeite de oliva possui gorduras monoinsaturadas e diminui o risco de doenças degenerativas. No entanto, é importante lembrar que ele também não pode ser consumido em excesso;
  • Alimentos ricos em ômega 3 e vitamina D: além de chocolate amargo, castanha do pará, nozes, avelã, erva cidreira e gema de ovo também ajudam a combater alguns dos sintomas dessa fase.

Alimentos que podem piorar os sintomas

  • Cafeína e bebidas alcoólicas: café, alguns tipos de chá, refrigerantes e bebidas alcoólicas fermentadas ou destiladas são diuréticas e fazem com que o corpo perca ainda mais líquido pela urina, o que pode ser muito prejudicial na menopausa.
  • Sal e açúcar: independentemente da fase da vida, sal e açúcar em excesso fazem mal para qualquer pessoa. Na menopausa, eles podem causar ainda mais problemas. O sal pode causar doenças como pressão alta ou hipertensão e o açúcar aumenta a quantidade de gordura no seu corpo.

Pronto! Esses são os principais sintomas da menopausa e qualquer mulher é capaz de identificar seu período pré-menopausa.

É importante lembrar que, mesmo após a última menstruação, é muito importante continuar fazendo visitas regulares ao ginecologista e a outros médicos. Afinal, após a menopausa, torna-se ainda mais importante cuidar de si e ter atenção redobrada em relação ao câncer de mama e à osteoporose, por exemplo.

Agora que você já sabe quais são os sintomas da menopausa, conte para a gente: você já enfrentou algum desses sintomas da menopausa? Como foi a sua experiência nessa fase da vida? Compartilhe suas experiências! Deixe um comentário!

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email