Colágeno: conheça e saiba a diferença entre os principais tipos

Compartilhe
Close-up na pele de uma mulher com boa produção de colágeno
O colágeno é essencial para uma pele bonita - Imagem: Freepik

O colágeno é uma proteína considerada importantíssima para o nosso organismo. Ele assegura toda a estrutura da pele, da cartilagem, dos ossos, das unhas, dos músculos e enfim, de todo o corpo. E nós sintetizamos essa proteína normalmente. Porém, já no início da vida adulta, aos 25 anos, começa a ocorrer um declínio na sua produção. Após os 30 anos, o corpo sofre perda de 1% ao ano e, aos 50 anos, passa a produzir apenas 35% do necessário.

A perda acentuada deste tipo de proteína nas mulheres está muito relacionada à menopausa, devido ao hormônio estrogênio. Ele tem grande importância na produção de fibroblastos que, por sua vez, são os responsáveis pela produção de colágeno.

E essa diminuição na produção acarreta em diversas adversidades para a nossa pele, como a flacidez, o surgimento de rugas e das linhas de expressão. Além disso, também há outros malefícios desse quadro, incluindo os problemas em cartilagens, nos tendões e nos ossos, incluindo a osteoporose. Também pode ocorrer flacidez em veias e nos vasos sanguíneos, causando problemas de circulação.

Reposição hormonal

É muito simples conseguirmos a dose diária de colágeno para evitarmos esse tipo de deficiência. Hoje, a alternativa mais indicada é suplementação com o colágeno hidrolisado.

Muitas pessoas ainda possuem dúvidas a respeito do tema, afinal os cientistas já identificaram mais de 20 tipos diferentes de colágeno. Mas, não se preocupe, pois, a seguir nós vamos listar e explicar as características dos principais. Confira:

Os tipos de colágeno

Colágeno Tipo I

Esse é o tipo que é mais encontrado em nosso corpo. Ele forma fibras que são capazes de esticar consideravelmente sem se romper. E essa é uma característica que o torna muito presente nos tendões, que conectam os músculos aos ossos e, portanto, são capazes de aguentar uma grande quantidade de força sem se romper.

O colágeno do Tipo I também está presente na pele, nos músculos, nos ossos, no cabelo e nas unhas. A sua diminuição está relacionada à falta de elasticidade da pele, ao aumento de rugas, ao aparecimento de celulite e à piora na aparência do cabelo.

Colágeno Tipo II

Ao contrário do tipo I, a fibra formada pelo colágeno do tipo II é encontrada principalmente nas cartilagens e articulações. Esta fibra também é elástica e a sua função principal é amortecer o estresse de impacto como o que acontece nos discos intervertebrais, nos joelhos, nos dedos e no quadril.

A suplementação com o tipo II é indicada em casos de artrite, artrose, osteoartrose, bem como outras lesões de articulações e de cartilagem.

Colágeno Tipo III

As fibras de colágeno tipo III são encontradas em abundância nos tecidos mieloides (medula óssea) e no tecido linfático.

Mas, e o colágeno hidrolisado?

O colágeno hidrolisado que você pode adquirir como suplemento é o do tipo I. Como já foi dito anteriormente, ele é o mais encontrado no corpo humano. São necessários 10 gramas diárias para que os adultos possam obter os seus benefícios.

Colágeno hidrolisado ou gelatina?

Assim como o colágeno hidrolisado, a gelatina é um derivado bovino. A principal diferença entre esses dois produtos é que a gelatina não passa pelo processo de hidrólise, ou seja, não é hidrolisada. No entanto, ela ainda continua sendo um colágeno do tipo I.

O processo de hidrólise age na quebra de proteínas presentes no colágeno. Assim, em moléculas menores, ele é absorvido pelo organismo mais facilmente. Em poucas palavras, para obter o mesmo resultado do tipo hidrolisado seria necessário consumir uma grande quantidade de gelatina.

Ainda vale a pena lembrar que os resultados da suplementação são melhores quando há o consumo junto com a vitamina C, pois esta vitamina é essencial na síntese do colágeno, tanto em quantidade como na qualidade.

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui