Isoflavona, soja e menopausa. Entenda a relação entre elas!

Compartilhe
soja-1

Quando a mulher está para entrar na menopausa, é recomendado que ela comece um tratamento, para que o corpo sofra menos com as mudanças desta nova fase, e uma das substâncias mais eficientes para isto é a isoflavona ou isoflavonóide.

Hormônios sintéticos podem oferecer riscos para a saúde, além de trazerem consigo uma série de efeitos colaterais. O mais recomendado é seguir um tratamento natural, principalmente aqueles que tem isoflavona na sua fórmula.

O que é a Isoflavona?

soja-2

A isoflavona é uma substância encontrada na soja e em seus derivados, que também é chamada de fitoestrogênio. Este segundo nome deve-se ao fato de sua composição ser bem semelhante ao estrogênio produzido pelo organismo feminino.

Seu uso no tratamento de reposição hormonal começou nos anos 1980, no Japão, quando pesquisadores começaram a reparar que as mulheres que consumiam essa leguminosa constantemente tinham menos sintomas da menopausa e menor incidência de câncer de mama. A partir disso, foram realizadas diversas pesquisas, até que fosse descoberta a isoflavona e a sua relação com o estrogênio produzido no corpo da mulher. Os estudiosos passaram a analisar como ele agia no organismo feminino e sua influência como um agente repositor hormonal natural.

Como a Isoflavona age no organismo?

Por ter uma estrutura química extremamente parecida com a do estrogênio, a isoflavona é reconhecida no corpo. Ela é absorvida pela flora intestinal e parte dessa substância é enviada ao sangue, chegando aos tecidos. Este fito-hormônio é capaz de se ligar a receptores de estrogênio, sendo reconhecido como semelhante ao hormônio original.

Apesar de não ser absorvido em grandes proporções e não suprir a necessidade hormonal do organismo da mesma forma que ele era suprido anteriormente à menopausa, ele ajuda a amenizar os efeitos da redução da produção deste hormônio no corpo.

Quais são os benefícios da isoflavona?

A isoflavona traz uma série de benefícios para a saúde da mulher. Descubra quais são eles!

Para a menopausa

No climatério, ajuda a reduzir os sintomas, como: ondas de calor, insônia, dores de cabeça, forte transpiração, ressecamento vaginal, mudanças constantes de humor, irritabilidade, depressão, queda na libido, entre diversos outros.

Para a osteoporose

Ela também contribui para diminuir as chances de osteoporose, já que o fito-hormônio é semelhante a ipriflavona, substância que, segundo pesquisas, ajuda a aumentar a massa óssea em mulheres na menopausa que já sofram com esta doença.

Para o câncer

Outro benefício é a redução do risco de desenvolver câncer de mama, já que pesquisas apontam que a isoflavona inibe o crescimento de amplo espectro de células neoplásicas.

Vale a pena lembrar que o câncer de mama é o segundo tipo que mais afeta as mulheres e que possui maior incidência após a menopausa.

reposicao-hormonal

Para a diabetes

Ainda há mais um benefício: cientistas apontam também que a isoflavona contribui para o controle da diabetes, reduzindo o nível de glicose no sangue.

“Devido ao seu efeito inibidor da proteína tirosina quinase, a genisteína (presente na isoflavona) vem sendo estudada como um composto regulador da secreção de insulina, cuja liberação é controlada por mecanismos complexos de sinalização celular que envolvem a ação destes receptores. Os efeitos benéficos que vêm sendo observados em estudos com animais e culturas de células sugerem que a genisteína pode ser uma alternativa no tratamento do diabetes, principalmente do tipo 2.”

— nutricionistas E.A. Esteves e J.B.R. Monteiro

A isoflavona é uma importante aliada para a mulher no climatério. Por isso é importante o consumo de produtos a base de soja para ingerir essa substância em boas concentrações.

Estudos sobre a Isoflavona

Um estudo foi feito pela Revista de Nutrição de Campinas testou a isoflavona de soja em 21 mulheres, a fim de descobrir se este fito-hormônio tinha alguma influência sobre as doenças cardiovasculares, comuns na menopausa. Nesta avaliação, mulheres utilizaram 80 mg de isoflavona por dia, em um período de cinco a dez semanas.

Os testes comprovaram que a elasticidade arterial teve uma melhora de 26% em comparação a um grupo que utilizou um placebo ou a quem fazia reposição hormonal. Ficou atestado então que a isoflavona pode prevenir os problemas no coração, e tratar alguns casos também.

Suplementos naturais são uma excelente solução para agregar os benefícios da isoflavona com o dia a dia puxado das mulheres, principalmente na menopausa.

Você já conhecia os benefícios da isoflavona? Sentiu as melhoras nos sintomas da menopausa? Conte para a gente um pouco de sua experiência nos comentários!

 

Deixe um comentário
Print Friendly

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui