Você sofre de algum distúrbio do sono? Descubra agora mesmo

Compartilhe
disturbio-do-sono

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 45% da população mundial sofre com distúrbios do sono. Na menopausa, as mulheres se tornam ainda mais suscetíveis a sofrerem com esses distúrbios graças às variações hormonais e suas consequências. Quando identificado, é preciso promover o tratamento desse distúrbio para garantir melhor qualidade de vida.

Contudo, poucos sabem identificar se de fato possuem um distúrbio do sono. Pensando nisso, selecionamos os principais para apresentá-la a fim de descobrir de vez por todas se você sofre de algum distúrbio do sono:

Insônia – um dos distúrbios do sono mais comuns durante a menopausa

O distúrbio do sono mais comum em geral e inclusive na menopausa é a insônia, que é caracterizada pela dificuldade em começar a dormir ou de manter o sono durante a noite. Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo mostrou que na menopausa a taxa de incidência de insônia passa de 26 a 45% para 28 a 63%.

Durante a menopausa, a insônia pode ser causada pelas alterações hormonais e também pelos sintomas do climatério, como as ondas de calor e variações no humor, inclusive levando a quadros de ansiedade e angústia. Nesses casos, o melhor é conversar com ginecologista e também considerar a procura de um especialista em distúrbios do sono, buscando melhorar a qualidade de vida e enfrentar o período de transformações de maneira leve – para mais dicas baixe gratuitamente o nosso eBook. Algumas das medidas recomendadas incluem não se agitar ou consumir estimulantes antes de dormir e criar uma rotina saudável para o sono.

Apneia obstrutiva do sono

Já a apneia obstrutiva do sono é caracterizada pela interrupção de respiração durante o sono, tendo como um dos sintomas o ronco mais alto. A falta de oxigenação, inclusive, pode levar a problemas de circulação, aumentando o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, a ocorrência de apneia também prejudica a qualidade do sono como um todo, levando a uma sensação de sonolência e cansaço no dia seguinte.

Uma das causas para a ocorrência da apneia é a obesidade, que pode ser favorecida pela menopausa. O ganho de peso graças às mudanças hormonais também pode significar maior acúmulo de gordura na região do pescoço, favorecendo a apneia. Além de procurar seu ginecologista e um especialista em distúrbios do sono também é importante investir em uma vida mais saudável, com alimentação balanceada e prática de atividades físicas.

Síndrome das Pernas Inquietas

A Síndrome das Pernas Inquietas (SPI) ou Movimento Periódico das Pernas (MPP) é caracterizada por uma urgente necessidade de mexer as pernas de maneira repetida. Ele é considerado um distúrbio do sono porque suas consequências podem significar interrupções do sono e até mesmo queixas de insônia.

Durante a menopausa, a mudança dos hormônios, os sintomas do climatério e até mesmo o ganho de peso podem influenciar na ocorrência da síndrome. A privação de sono também é considerada como um fator, então mulheres que sofrem de insônia podem desenvolver essa síndrome em algum momento. Normalmente, os especialistas mais indicados para identificar a síndrome são o clínico geral ou o neurologista. O tratamento consiste em técnicas de relaxamento e prática de atividades físicas.

Bruxismo

Já o bruxismo é caracterizado pela pressão da mandíbula ao dormir, fazendo com que ocorra um ranger de dentes. Na menopausa, esse distúrbio do sono pode estar relacionado ao estresse, ansiedade ou depressão causados pela baixa de hormônios, além de também se relacionar a outros distúrbios do sono, como a apneia.

Procurar um dentista ou mesmo um clínico geral pode ser uma boa opção nesses casos e o tratamento é feito, normalmente, com o uso de uma placa ao dormir que evita o atrito entre os dentes.

Síndrome Alimentar Noturna

Na Síndrome Alimentar Noturna ou do Comer Noturno o paciente pode ter episódios de compulsão alimentar que podem ou não ser lembrados pelo paciente na manhã seguinte. Geralmente essa síndrome leva a um descontrole da quantidade de comida ingerida entre 2 e 3 horas após iniciar o sono.

A menopausa é um período propício para a ocorrência dessa síndrome, especialmente devido à baixa dos hormônios. Além disso, essa síndrome também está associada à insônia, já que, sem conseguir dormir, a mulher pode acabar sentindo uma compulsão por comida. Para o tratamento o ideal é procurar um endocrinologista, que receitará mudanças nos hábitos relacionadas a como se alimentar corretamente no café da manhã e não consumir alimentos que possam tirar o sono. Em casos pontuais pode ser necessária administrar medicação apropriada.

Os principais distúrbios do sono na menopausa incluem a insônia, a apneia obstrutiva do sono, a síndrome das pernas inquietas, o bruxismo e a síndrome alimentar noturna. Ao identificar os sintomas de qualquer distúrbio é fundamental procurar um médico para conseguir noites de sono tranquilas e revigorantes.

Você tem algum sintoma de distúrbio de sono? Conte para a gente nos comentários!

Baixe o nosso material exclusivo sobre Saúde e Bem-Estar na Menopausa! Clique na imagem abaixo e saiba mais!

 

 

Deixe um comentário
Print Friendly, PDF & Email